Corrupções no Calcio: Totonero 1980

- Escândalo de corrupção na Itália chocou os anos 80 antes da conquista do tricampeonato mundial da Azzurra
Totonero

Apesar de toda a história gloriosa e magnífica do Calcio, seja com times históricos, jogadores lendários, grandes campeões e uma seleção tetracampeã mundial, ainda sim o país tem seu lado terrível no esporte. Dessa forma, a coluna Calciostoria do Futebol na Veia volta com mais um Corrupções no Calcio. Na edição de hoje, falaremos sobre o Totonero, que está dividida em duas partes. A saber, a primeira parte contará os antecedentes da Copa do Mundo de 1982. Milan e Lazio foram rebaixados e Paolo Rossi  , que esteve em apuros.

LEIA MAIS:

Corrupções no Calcio: Calcioscommesse 2012

Berlusconi e Galliani: uma história de amor

A história por trás dos escudos de clubes na Itália

TOTONERO I : OS ANTECENDENTES

A saber, a Itália não viveu anos gloriosos após a conquista da Eurocopa de 1968. O mais perto que a Azzurra chegou de um título foi a final da Copa do Mundo de 1970. A década de 70 no entanto, foi longe do patamar internacional. Dessa forma, a situação piorou em 1980. Em um restaurante na capital Roma, os comerciantes Alvaro Trinca e Massimo Cruciani recebiam frequentemente jogadores da Lazio. Os atletas passaram a revelar informações sigilosas e logo, envolveram Trinca e Cruciani no jogo.

Trinca e Cruciani, a convencimento dos jogadores da Lazio, começaram a realizar apostas, de forma clandestina. Os atletas da equipe Biancocelesti guiavam os resultados que deveriam ser apostados. Entretanto, muitas vezes os comerciantes  acabaram perdendo dinheiro. Com isso, Massimo e Alvaro denunciaram todo o esquema de manipulação de resultados. No dia 1º de março de 1980, a Procuradoria da República foi notificada. Porém, o que não se sabia, é que isso ia além dos atletas da Lazio.

Massimo Cruciani e Alvaro Trinca     Reprodução/Gazetta dello Sport

O ESCÂNDALO QUE ENVOLVIA DIVERSOS JOGADORES

Primeiramente, os times que estavam mais envolvidos no esquema eram Milan e Lazio. Dessa forma, os dois clubes eram os que tinha o maior número de jogadores envolvidos. Porém, não era apenas nos Laziales e nos Rossoneros que estava o escândalo. 13 clubes da Serie A e da Serie B estavam sendo investigados. Destes, sete clubes foram punidos pelo CAF. Além disso, vários jogadores e personalidades conhecidas estavam sendo investigadas dentro do futebol italiano.

No dia 23 de março de 1980, na realização da 24ª rodada da Serie A e da 27ª rodada da Serie B, vários policiais entraram dentro de campo durante as partidas e prenderam vários jogadores, o que resultou em cenas históricas. Abaixo, veja uma lista de jogadores que foram algemados nesse acontecimento.

Lazio:  Massimo Cacciatori , Bruno Giordano , Lionello Manfredonia e Giuseppe Wilson.

Genoa: Sergio Girardi

Milan: Enrico Albertosi e Giorgio Morini

Avellino: Stefano Pellegrini

Palermo: Guido Magherini

Perugia:  Gianfranco Casarsa , Mauro Della Martira e Luciano Zecchini

Além disso, outros atletas foram apenas notificados. Mas teriam suas suspensões anunciadas depois. Paolo Rossi é o caso mais conhecido. O atleta era uma das grandes revelações do futebol italiano. Entretanto, participou do Totonero, quando jogava pelo Perugia. Entretanto, sobre ele, iremos falar mais para frente. Outras personalidades famosas do Calcio estavam sendo investigadas, mas acabaram sendo absolvidas. A Juventus e seu técnico Giovanni Trapattoni foram uma delas.

AS PUNIÇÕES DO TOTONERO

As punições pelo escândalo Totonero foram muito severas a jogadores, clubes e personalidades. Dessa forma, Milan e a Lazio, foram os dois maiores afetados. Primeiramente, as duas equipes foram rebaixadas para a Serie B na temporada seguinte. Ainda, jogadores famosos de ambos receberam punições. Enrico Albertosi doe Giuseppe Wilson foram banidos do futebol. Além disso, Felice Colombo, presidente do Rossonero, foi cassado. Pellegrini do Avellino ficou suspenso por seis anos. Enfim, a maioria dos outros atletas também não jogaram. Os períodos de suspensão iam de três meses a até seis anos, dependendo do caso. Na Serie B, o Palermo acabou sendo o mais

O Totonero afetou o futebol italiano como um todo. Dessa forma, não apenas os clubes, jogadores e dirigentes punidos sofreram. Mas também, a seleção italiana e a federação de futebol do país. Em 1980, a Itália sediou a Eurocopa e terminou apenas na 4ª posição do torneio. Além disso, no Ranking da UEFA, o país caiu para a 10ª posição, tendo poucas vagas para a Copa dos Campeões da Europa. Para se ter uma ideia, até a Alemanha Oriental tinha mais representantes.

PAOLO ROSSI: UMA FUTURA LENDA EM MAUS LENÇÓIS

De todas as histórias de jogadores envolvidos no Totonero, sem dúvidas a de Paolo Rossi foi uma das mais marcantes. O atacante esteve envolvido na manipulação do jogo entre Perugia e Avelino. O confronto terminou em 2 x 2. Dessa forma, Pablito foi suspenso do futebol por três anos. A punição ao atleta interrompeu uma sequência de carreira promissora do atacante revelado na Juventus. Paolo teve passagens também pelo Vicenza, antes de chegar no Perugia.

Paolo Rossi era na época um dos jogadores mais promissores do futebol italiano. Já havia jogado a Copa do Mundo de 1978 pela Azzurra.  Entretanto, com a punição sofrida, ficou dois anos sem pisar nos gramados. A saber, a suspensão era de três anos. Porém, com um apelo judicial, foi reduzida para duas temporadas. Isso permitiu que ele voltasse a jogar meses antes do Mundial de 1982. Enzo Bearzot, técnico da Itália, convocou o atacante. Mesmo com pouco ritmo de jogo, ele iria para o torneio da Espanha.

Isso gerou muitas críticas da imprensa. Primeiramente, pelo seu envolvimento no escândalo. Além disso, seu pouco ritmo de jogo por ter voltado logo antes da suspensão gerava dúvidas. Entretanto, Paolo Rossi provou exatamente o contrário. Dessa forma, foi fundamental na parte final da competição. A começar pela Tragédia do Sarriá. O atacante marcou três gols contra o Brasil e eliminou nossa seleção. Marcou dois tentos contra a Polônia na vitória por 2 x 0 que colocou a Azzurra na final da copa. Enfim, na decisão, abriu a contagem na final contra a Alemanha. A partida terminou 3 x 1 para os italianos.

DE VILÃO A HERÓI

Ou seja, mesmo com o escândalo Totonero, Paolo Rossi foi de vilão a herói nacional em apenas um mês. Com uma atuação impecável na Copa do Mundo de 1982, o atacante conseguiu diminuir a grande mancha que ainda se estabeleceu na sua carreira. Enfim, na semana que vem, voltaremos com a Parte II.

Foto destaque: Reprodução/Interleaning

BetWarrior


Poliesportiva


Caíque Ribeiro
Caíque Ribeiro
Olá, eu sou Caíque Ribeiro, tenho 20 anos e a paixão por esportes corre em minhas veias, sobretudo, o futebol. Um amante do futebol tanto brasileiro, quanto europeu e ainda sim, do alternativo. Tendo como maior jogador que vi jogar, Ronaldinho Gaúcho e grandes memórias futebolísticas. Estou cursando jornalismo pela Universidade Anhembi Morumbi. Quando criança,sonhava em ser jogador de futebol,mas a vida me planejou outros rumos. Desde então, decidi juntar duas paixões: a paixão por escrever e a paixão pela pelota, e seguir nessa jornada,sempre disposto a trazer a informação de forma correta e apurada ao público. Além de futebol, escrevo e sou comentarista sobre basquete na Rádio Poliesportiva. Instagram: @caiqueribero, Twitter: @CRSousa5

Artigos Relacionados

Topo