Corinthians vence Kindermann em jogo movimentado. (Foto: Rodrigo Coca / Reprodução: Agência Corinthians)

O Corinthians, jogando em casa, venceu o Kindermann pelo Brasileirão Feminino. Além de um jogo movimentado, sem com chances claras mas sem conversão, não houve muitos momentos de ápice. A partida, que ocorreu na última quinta-feira (13), deixou o time paulista longe do G4. Do lado das catarinenses, sobrou apenas a 7ª colocação na tabela, vendo o Santos assumir a ponta.

1ºTEMPO

O jogo começou bem movimentado, com as Alvinegras pressionando desde o início. Mas, a primeira boa chance veio com Tamires, chutando cruzado na trave, aos 12′. Aliás,  a resposta das catarinenses veio aos 34′, com um chute da defensora Tuani, com uma interceptação corintiana. A partir daí, ambos os lados não criaram muito, com a primeira etapa terminando em 0 x 0. Em suma, foi um jogo bem jogado no primeiro tempo.

2ºTEMPO

A segunda etapa, por outro lado, começou monótona, contrapondo o primeiro tempo movimentado. Assim, foi somente aos 23′ que uma penalidade foi assinalada para as Alvinegras. Adriana foi a responsável por abrir o placar. As paulistanas continuaram a pressionar, até que, depois de muita insistência, o segundo veio. Victória Albuquerque recebeu no canto e, ao invés de cruzar, bateu rasteiro e cruzado. Ainda assim, o tento de misericórdia veio somente aos 48′. Em uma cobrança de falta para a área, Ingrid empurrou para o próprio gol, diminuindo.

E AGORA?

Com a vitória, porém, o Corinthians acabou caindo uma posição, e agora se encontra na 6ª colocação na tabela. Logo, o próximo adversário do timão é o Audax, na próxima segunda-feira (17), às 20h30 (horário de Brasília). Já no caso do Kindermann, contudo, sobrou amargar uma posição atrás de seu último adversário. Desta forma, as próximas adversárias são uma pedreira: ninguém menos que o Grêmio. Em resumo, a partida ocorre no próximo domingo (16), às 15h (horário de Brasília).

MELHORES MOMENTOS:

 

 

Glauber Nathan
Meu nome é Glauber Nathan, tenho 20 anos e sou estudante de jornalismo. O futebol entrou cedo na minha vida, e de lá para cá, respiro o esporte. Apesar de ser um fã assíduo do rádio, não perco a oportunidade de acompanhar qualquer jogo, independente do campeonato, divisão ou país. Entendo que o mais importante é entender e fazer os outros compreenderem a emoção do espetáculo chamado futebol.

Artigos Relacionados