Corinthians pode ameaçar Galo, Fla e Verdão em 2022?

Quem viu o ano de 2021 começar no Corinthians, não poderia imaginar que o clube do Parque São Jorge terminaria a temporada brigando pelo G-4 da Série A. A princípio, o Timão estava mergulhado em crise financeira, com time enfraquecido e destinado a ser coadjuvante.

Justamente com essa realidade, o time fez campanha fraca no Campeonato Paulista, foi eliminado cedo da Copa do Brasil e caiu na primeira fase da Sul-Americana.

Reforços mudam cenário do Alvinegro

No segundo semestre, o Timão foi ao mercado e contratou quatro jogadores que mudam o patamar de qualquer clube no Brasil. Assim sendo, Roger Guedes, Renato Augusto, William e Giuliano  elevaram o nível técnico da equipe e levaram o Corinthians à Libertadores da América.

Divulgação/Rodrigo Coca/Corinthians

Mudança de técnico

Outro fator que levou o Alvinegro a subir de produção foi a troca de técnico. Visto que Sylvinho assumiu o lugar de Vagner Mancini. Embora não seja unanimidade, o ex-lateral esquerdo do Timão tem perfil estudioso. Assim, pode crescer na carreira à medida que adquire experiência.

O que o Corinthians precisa para 2022

Para competir com o trio que domina o futebol brasileiro (Atlético-MG, Palmeiras e Flamengo)Corinthians precisa dar alguns passos:

O primeiro passo é manter as contas equacionadas. Não foram poucas as vezes em que atrasos de salários foram a principal pauta envolvendo o dia a dia do CT Joaquim Grava. Com uma folha salarial mais robusta, o Timão precisa manter as contas equacionadas. Com isso, honrar seus compromissos com o elenco atual e tornar-se mais atrativos a potenciais reforços.

Juntamente com a organização financeira, outro passo que o Corinthians precisa dar é rejuvenescer o elenco. Bem como ganhar mais peças de reposição de qualidade.

Ainda mais se contarmos que do time titular, pelo menos oito atletas têm mais de 30 anos. A saber, são eles: Cássio, Fágner, Gil, Fábio Santos, Giuliano, William e Renato Augusto.

Com o calendário apertado de todas as temporadas no Brasil e a responsabilidade de jogar uma Libertadores da América, o Timão precisa de “pernas frescas”. Além disso, que possam ajudar no rodízio com os veteranos, sem derrubar muito o nível técnico.

Finalmente, entendo que o Corinthians, se seguir esses passos, pode ser a “quarta força” do futebol brasileiro. Inclusive, convenhamos, que da última vez em que recebeu essa alcunha, o Timão papou o Campeonato Brasileiro. Será que a história se repetirá?

Foto Destaque: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Paulo Henrique Araújo
Apaixonado por futebol desde antes do que possa lembrar. Comentarista esportivo por amor e constante aprendiz do maior esporte do mundo.