Copa Ouro da CONCACAF: a hegemonia Mexicana

Nos últimos anos, a Seleção Mexicana apresentou bom desempenho nas competições das quais disputou. Dessa forma, foi possível ver ótimas atuações tanto nas Copas do Mundo, quanto na Copa Ouro, que é uma espécie de Copa América, só que localizada na América do Norte. É sobre essa história que a coluna Papo Azteca vai falar nesta semana.

Assim, é importante dizer que hoje o México é considerado ”o dono” deste torneio, já são oito troféus levantados, o último deles em 2019.

Porém, logo atrás, está a Seleção Norte-Americana com seis canecos, que busca meios de se tornar mais competitivo para dividir os títulos com os vizinhos. Assim, por trás de todas essas conquistas, existem trabalhos que partem desde o futebol local. A Liga MX e a MLS vem fazendo ótimos trabalhos para captar talentos.

LEIA MAIS

HEGEMONIA MEXICANA

Em 2019, o México retomou a hegemonia após bater os norte-americanos por 1 x 0 no estádio Soldier Field de Chicago. Em nove finais disputadas, os mexicanos levaram o caneco para casa em oito vezes. Aliás, dessas nove finais, seis delas foram contra os americanos, no qual venceram cinco vezes e perderam apenas uma, em 2007.

A Seleção Mexicana é a equipe de maior sucesso nacional na CONCACAF, sendo a única da região a ganhar um título oficial reconhecido da FIFA. Os mexicanos tem uma medalha de ouro olímpico, uma Copa das Confederações e 10 torneios da CONCACAF. Nos últimos anos, ficaram famosos por ter equipes competitivas.

COMO O SUCESSO DA LIGA MX REFLETE A SELEÇÃO?

A Liga MX é um dos principais modelos da América Latina, tanto pelo investimento, quanto pela estrutura montada no país. O torneio é composto por franquias, onde proprietários aplicam dinheiro nos clubes e administram como se fossem empresas. Além disso, a liga possui algumas regras importantes. Uma delas, é dar pelo menos 750 minutos de jogo para atletas com menos de 21 anos de idade.

Foto: Fabrice Coffrini/GOAL
(Foto: Fabrice Coffrini/GOAL)

Dessa maneira, o Campeonato Mexicano conseguiu revelar grandes jogadores, como Javier Hernández, Hector Moreno e Andres Guardado. De fato, os mexicanos possuem um modelo muito bem montado no seu país, onde podem recorrer a jogadores veteranos e jovens promessas. Dessa forma, a seleção nacional se torna muito atrativa também para os grandes treinadores.

Foto destaque: Divulgação/Gazeta Esportiva

Fellipe Bras
Me chamo Fellipe Bras França e tenho 20 anos. Respiro futebol 24hs por dia e sou torcedor fanático do Flamengo.

Artigos Relacionados