Copa do Mundo 2018

A cada quatro anos, ocorre o principal evento futebolístico que é a Copa do Mundo. A última ocorreu em 2018 e foi muito especial para os franceses, porque eles conquistaram o seu segundo título. Para muitos, o esquadrão de Didier Deschamps era uma equipe para a Copa seguinte, já que o time era muito jovem. Entretanto, os Les Bleus superaram as expectativas e conquistaram o bicampeonato. A coluna Além dos Bleus conta um pouco sobre a vitória na Rússia.

UMA GRANDE CONQUISTA NÃO VÊM DO DIA PARA A NOITE

Primeiramente, deve-se lembrar que a Seleção Francesa teve que passar por um processo de reformulação. No ano de 1998, venceram a Copa do Mundo sobre o Brasil e depois não conseguiram mais vence-la. A melhor campanha foi no Mundial de 2006, em que perderam na final para a Itália. Depois da derrota para a Azzurra, os Bleus fizeram campanha fraca em 2010, não conseguiram passar da fase de grupos. Como resultado, era necessário reformular.

Após o fracasso de 2010, Didier Deschamps apostou em diversos jovens para a Copa do Mundo de 2014. O treinador apostou em nomes como Paul Pogba, Raphael Varane e Antoine Griezmann que viriam a ser muito importantes para o futuro da França. Os Bleus fizeram grande trajetória no Brasil, foram eliminados nas quartas de finais para a Alemanha.

As jovens promessas foram se tornando realidade com o passar dos anos. Nas eliminatórias para o Mundial de 2018, a Seleção Francesa foi muito bem e se classificou com 23 pontos em 10 jogos. Portanto, as promessas se tornaram realidade. Além dos grandes jogadores citados anteriormente, dentre esse período de 2014 até 2018, surgiram Kylian Mbappé e N'Golo Kanté.

A COPA DO MUNDO EM QUE OS MENINOS FORAM HOMENS

Para muitos a França era uma equipe para o futuro, mas os garotos não foram à Rússia para passear. O plantel de Deschamps era muito bem montado, apresentava uma defesa muito consistente e forte, um meio campo muito bom fisicamente e que apoiava nas ações ofensivas. O ataque era o setor que contava com o brilhantismo de Antonie Griezmann, o melhor jogador da Copa para alguns, e Kylian Mbappé que foi considerado a revelação da competição.

Copa do Mundo
Reprodução/Três Pontos

A PRIMEIRA FASE DA COPA DO MUNDO

O grupo dos franceses era formado por Peru, Austrália e Dinamarca. Os oponente eram inferiores aos Bleus, entretanto em uma Copa do Mundo nunca se tem vida fácil. Foram três jogos, duas vitórias e um empate. O plantel totalizou três gols marcados e apenas um sofrido. Os números não foram extraordinários, mas o Mundial não foi feito para dar show e sim para vencer.

FRANÇA X AUSTRÁLIA

Toda estreia de Copa é difícil, porque envolve muita coisa, e uma delas é a ansiedade. A 1ª etapa na Arena Kazan foi muito equilibrada. Os franceses tinham mais a bola, porém a grande chance de gol foi dos australianos. Aos 16′, Hugo Lloris fez grande defesa após desviou de Trent Sainsbury. Os primeiros 45 minutos acabaram sem bola na rede.

O 2º tempo foi mais emocionante, em 15 minutos o jogo já estava 1 x 1. Os gols foram de Griezmann e Mile Jedinak, ambos de pênalti. A posse de bola seguiu sobre domino da França, todavia não se transformava em tentos. Até que aos 80′, Paul Pogba dividiu com Aziz Behich e acidentalmente a bola entrou. Os Bleus não foram bem, mas conquistaram os três pontos.

FRANÇA X PERU

O próximo confronto foi muito truncado e decidido nos míseros detalhes. A França criou bem pouco durante o jogo, porque os responsáveis pela criação do time não estavam em um grande dia. No final do 1º tempo, Mbappé abriu o placar depois de Oliver Giroud ter sido bloqueado. Após o gol o plantel de Didier Deschamps não criou mais grandes chances em toda partida.

Os peruanos fizeram um bom jogo, mas não foram bem nas finalizações. Em meados da etapa inicial, Paolo Guerreiro teve seu chute defendido por Lloris. Outra grande chance que os sul-americanos tiveram foi com Pedro Aquino que arrematou de fora da área na trave.

FRANÇA X DINAMARCA

Para o último duelo, Didier Deschamps poupou alguns titulares, porque o time já estava classificado. O placar foi de 0 x 0, mas a França teve um bom volume de jogo e até merecia sair com a vitória. Um destaque desse embate foi Antonie Griezmann, que adotou uma postura mais agressiva que da partida anterior.

O MATA-MATA DE COPA DO MUNDO SEPARA OS HOMENS DOS MENINOS

A França estava invicta, mas não estava convencendo. Por outro lado, em jogo de Copa do Mundo o importante não é convencer, e sim vencer. Mesmo sobre uma certa dúvida, o esquadrão tricolor cresceu e suas estrelas começaram a aparecer mais. Um destaque para o trio do meio-campo, Griezmann e Mbappé.

FRANÇA X ARGENTINA

Logo “de cara” os jovens franceses já teriam pela frente a Argentina de Lionel Messi. Para muitos, esse confronto foi o melhor da Copa Mundo da Rússia. Logo nos primeiros minutos, Griezmann acertou o travessão em um cobrança de falta. Na sequência, Kylian Mbappé arrancou e só foi parado com falta dentro da área. Grizi abriu o placar com o pênalti. Os Bleus estavam melhores no embate, mas os Hermanos não estavam mortos. Aos 40 minutos, Di Maria arrematou de fora da área e fez um golaço.

A etapa final foi ainda mais emocionante. Já no início, depois de um chute errado de Messi, Gabriel Mercado virou o jogo. Minutos depois, Lucas Hernández cruzou e Pavard fez um golaço, o mais bonito da Copa. Logo na sequência, o camisa 10 faz jogada individual dentro da área e marcou o 3º da França. Os Hermanos almejavam o empate, mas os Bleus estavam com “sangue nos olhos“. No minuto 22, Oliver Giroud serviu Mbappé, que não vacilou e ampliou a vantagem. Nos acréscimos, La Pulga aplicou um belo lançamento e Sergio Agüero diminuiu a vantagem.

FRANÇA VS URUGUAI

A Copa do Mundo estava chegando em seus momentos mais decisivos. O próximo adversários seria o Uruguai, equipe que apresentava um bom futebol na Rússia. Por outro lado, os Bleus eram favoritos no confronto. Era uma quartas de finais do melhor torneio de seleções, portanto era de se esperar um grande jogo.

A Celeste estava sem seu melhor jogador na Copa, Edinson Cavani, mas ainda sim continuava sendo um grande time. A bola rolou no Estádio de Níjni Novgorod e o espetáculo iria começar. Os primeiros minutos foram “lá e cá“. A França não conseguia tomar o domínio da partida, por conta da forte marcação Uruguaia.

Com o passar do tempo, os franceses começaram a gostar do jogo. Até que aos 40 minutos, Antonie Griezmann bateu uma falta perfeita na cabeça de Raphael Varane, que abriu o placar. Na sequência, o plantel de Óscar Tabárez assustou os europeus. Após cruzamento de Rodrigo Bentancur, Martín Cáceres obrigou Hugo Lloris a fazer um milagre.

A etapa final começou e as seleções estavam focadas no objetivo. Logo aos 15′, o camisa 7 dos Bleus chutou de fora da área e contou com a falha de Fernando Muslera para ampliar. Com o 2 x 0, o plantel de Deschamps acalmou o jogou e “segurou” o resultado. Portanto, os jovens talentosos chegava a final.

FRANÇA VS BÉLGICA

O esquadrão tricolor chegava confiante para a semifinal, porque vinha em um crescente alucinante na competição. A Bélgica eliminou o Brasil, um dos favoritos ao título, portanto estava animada para o decorrer do torneio.

O primeiro tempo terminou empatado em 0 x o, entretanto a partida estava muito movimentada. Pode-se dizer que a etapa inicial foi dos goleiros, porque as grandes chances foram evitadas por eles. Como resultado, os arqueiros estavam impedindo que as estrelas brilhassem.

Nos primeiros minutos, a história do jogo já mudou. Após bom escanteio cobrado por Griezmann, Samuel Umtiti de cabeça abriu o placar. Com a vantagem, os Bleus deixaram de se expor e passaram a adotar uma tática mais cautelosa. O plantel de Deschamps até teve algumas chances com Oliver Giroud, após passe genial de Mbappé, e com Corentin Tolisso. Os Belgas até tentaram, mas não conseguiram empatar.

FRANÇA VS CROÁCIA

Talvez foi um dos momentos mais importantes da carreira dos jogadores de França e Croácia. Uma final de Copa do Mundo não é para qualquer. Ambas as seleções fizeram por merecer estar nessa final e o independente do vencedor, seria muito merecido.

Como toda final de campeonato, os times entraram com uma postura conservadora, buscando estudar ainda mais o adversário dentro de campo. Até que aos 15 minutos, Griezmann cobra falta perigosa na área e Mario Mandzukic desviou para seu próprio gol e abriu o placar para os franceses. Momentos depois, Ivan Perisic aproveita a sobra de bola e arrematou forte para empatar. O jogo estava suprindo as expectativas de uma final de Copa do Mundo. No final do 1° tempo, Grizi executou o pênalti e colocou a França na frente.

A 1ª etapa foi excelente, mas o tempo complementar seria melhor ainda. A Croácia estava determinada em buscar o empate, todavia a França estava com “sede de vitória“. Já nos primeiros minutos, Paul Pogba mostrou quem manda e ampliou a vantagem com um chute forte de esquerda. Os Bleus jogavam por música e na sequência, Kylian Mbappé fez o 4º gol. O duelo parecia estar decido, mas os croatas não desistiam. Mandzukic chegou a descontar o placar, porém não foi o suficiente. Portanto, o talento francês conquistou o Mundo.

A COPA DO MUNDO É DOS JOVENS QUE JOGARAM COMO HOMENS

No decorrer da Copa do Mundo, a França cresceu, ou seja na hora de decidir, eles estavam preparados. O título veio com muito merecimento, com um coletivo impecável e todos devem ser exaltados. Entretanto, alguns nomes precisam receber um destaque.

O zagueiro Raphael Varane foi um grande líder para a defesa e foi um dos responsáveis pela boa campanha do sistema defensivo. Paul Pogba teve uma liderança incrível no meio campo. Além disso, o jogador proporcionou um dos discursos mais motivadores da Copa contra a Argentina. E para terminar, as duas “cerejas do bolo“, Antonie Griezmann e Kylian Mbappé. O primeiro foi fundamental na equipe, participou de seis gols no mata-mata e para muitos o melhor jogador da competição. E por fim, a revelação do torneio, que foi decisivo em diversos duelos.

Foto Destaque: Divulgação/FIFA

Leonardo Pinheiro
Escolhi jornalismo porque para mim é prazeroso informar as pessoas, e além disso, a paixão pelo futebol me encorajou a seguir essa carreira. Meu principalmente objetivo na profissão é trabalhar com esportes, principalmente o futebol.

Artigos Relacionados