Campeões da França na Copa do Mundo de 1998

Pela décima sexta vez, a Copa do Mundo iria acontecer. Contudo, foi a primeira a conter 32 equipes e a segunda ocasião que o evento aconteceria na França. Acima de tudo, três países chegaram a “decisão” de quem sediaria o torneio. Porém, a Suíça desistiu pouco tempo antes da votação. Sobrando assim, somente Marrocos e as terras francesas, como resultado, os europeus acabaram ganhando.

Eliminatórias

Em primeiro lugar, trinta e duas seleções se classificaram para participar desta edição do campeonato. Sendo quinze delas europeias, oito americanas, cinco africanas e quatro asiáticas. Dos campeões mundiais, apenas o Uruguai não esteve presente.

Bola da Copa

Consequentemente, a bola da copa de 1998 foi fabricada pela Adidas e recebeu o nome de “Tricolore”. Essa foi a oitava vez que a empresa alemã processou o equipamento para o torneio, entretanto, foi a primeira vez que o apetrecho foi multi-colorida. Em suma, seu design teve a inspiração na bandeira  da França.

Mascote

Enquanto isso, a decisão do mascote oficial, foi realizada em maio de 1996, sendo o Footix como escolhido. Seu criador, foi Fabrice Pialot, que venceu quatro concorrentes. O talismã foi feito a semelhança de um galo (símbolo tradicional da nação). Finalizando, suas cores também foram inspiradas na bandeira dos franceses, sendo assim, a coloração ficou azul, vermelho e branco.

https://twitter.com/Giankarlo23/status/1005484096531914753

Craques na Copa de 98

Durante o período, de 10 de junho a 12 de julho, a França teve o privilegio de ter em seu território diversos craques mundiais do futebol. Começando pela equipe anfitriã, jogadores como Zinédine Zidane, Fabien Barthez, Marcel Desailly e Didier Deschamps foram convocados para o plantel dos Les Bleus. Ainda na Europa teve os holandeses Dennis Bergkamp, Kluivert, Van der Sar, que também seriam favoritos para vencer o torneio. Outras estrelas europeias participaram da copa como David Beckham, Michael Laudrup, Paolo Maldini e Davor Šuker que no final seria o artilheiro do campeonato.

Pela América não faltaram nomes, Verón, Batistuta fortaleceram Los Hermanos. Gamarra e Chilavert representavam o Paraguai. E é claro não podia faltar o Brasil, com Roberto Carlos, Taffarel, Rivaldo e Ronaldo Fenômeno que eram as peças chaves da Seleção Canarinha, visando o bicampeonato consecutivo.

https://twitter.com/SeLigaNaAntena/status/1253471991031566345

Fase de Grupos

Como resultado, na primeira fase da competição não houve “zebras”. No primeiro grupo A, Brasil e Noruega se classificaram para fase eliminatória. No grupo B, Itália e Chile avançaram, assim como França e Dinamarca no grupo C e Nigéria, junto Paraguai no D. Nas outras chaves Holanda e México passaram com tranquilidade, assim como Alemanha com a Iugoslávia. As últimas vagas para o mata-mata ficaram com Romênia, Inglaterra, Argentina e Croácia.

Oitavas-de-Final

A primeira partida desta fase foi o confronto entre Itália e Noruega, os italianos resolveram logo no começo, com o gol de Vieri aos 18 minutos do primeiro tempo. No mesmo dia, o Brasil venceu sem dificultadas sobre o Chile, fechando o resultado em 4 a 1. No dia  seguinte, os donos da casa receberam o Paraguai e apenas na prorrogação a vitória veio aos franceses, gol de Blanc faltando cinco minutos para levar a disputa para os pênaltis. A “Dinamáquina” jogou contra a Nigéria, atropelando os africanos pelo placar de 4 a 1.

Os últimos quatro confrontos foram mais tranquilos. Os classificados foram a Alemanha, vencendo o México, a Holanda triunfando sobre a Iugoslávia, Croácia sendo superior a Romênia e fechando com chave de ouro a Argentina passando nos pênaltis diante os ingleses.

Quartas-de-Final

Afunilando o torneio, um clássico europeu se definiu nos pênaltis, a França venceu por 4 a 3 sobre os italianos que deram adeus a Copa. Na mesma linha, com uma trinfo “suado” o Brasil iria a semifinal após enfrentar a Dinamarca, o resultado final ficou em 3 a 2.

No entanto, apenas a seleção canarinha era a “estranha” na semifinal, pois, Los Hermanos perderam para os Holandeses, por 2 a 1. Como resultado, apenas uma seleção americana seguiu na próxima fase. Para concluir, os croatas fizeram história e não tomaram conhecimento dos alemães, vencendo os germânicos pelo placar de 3 a 0.

Semifinais

Em um jogo muito truncado, o Brasil abriu o placar aos 46 minutos do primeiro tempo, com Ronaldo Fenômeno. Contudo, no apagar das luzes, os holandeses empataram com Kluivert, ao 87 da segunda etapa. Este resultado, levou a prorrogação, que não faltou emoção, mas sem nenhuma das equipes ampliarem o resultado. Nos pênaltis, brilhou a estrela de Taffarel que defendeu a cobrança de Cocu e De Boer, classificando novamente os brasileiros a final da Copa.

https://twitter.com/Sandoval_Vzla/status/798621414836342784

Por outro lado, em jogo morno a França recebeu os croatas em busca da finalíssima. A Croácia perdeu por 2 a 1. Entretanto, esse resultado deixou o todos orgulhosos, pois, naquela época, foi a melhor colocação que a equipe tinha conquistada. Em suma, esse feito só foi quebrado na copa de 2018, quando chegou a final coincidência contra os franceses.

Final

A disputa entre Brasil e França, já era esperada por diversos torcedores, visto que, realmente eram as melhores equipes. Os franceses tiveram um desfalque, Laurent Blanc, que estava suspenso, fazendo assim, Zidane sendo o único homem de armação pelos Les Bleus. Já na Canarinha, time completo, entretanto, uma surpresa na escalação. Minutos antes, Edmundo foi anunciado como titular, em uma tentativa de blefar suas táticas aos franceses. A CBF anunciou que R9 teve problemas de saúde no dia da final, mesmo assim, Ronaldo foi a campo, mas obteve uma partida irreconhecível.

Aos 27 minutos, Zizou abriu o placar aos contemporâneos e depois aos 46 ainda no primeiro tempo. Com a seleção tupiniquim visivelmente abalada, Petit “fechou a tampa do caixão”. Resultando no placar de 3 a 0 e o primeiro título da Copa do Mundo a La Sélection. Esse marco, foi muito importante as futuras seleções francesas. Em suma, não é atoa que após a conquista, o time foi o que mais chegou em finais depois de 98, sendo vice em 2006 diante da Itália e novamente campeã em 2020 sobre a Croácia.

Além disso, após a coroação dos campeões teve os prêmios individuais. A Chuteira de Ouro, foi entregue a  Davor Šuker, que anotou 6 gols na Copa. O Melhor Jogador da competição foi Ronaldo Fenômeno. O Melhor Goleiro foi Fabien Barthez. Finalizando, ainda tiveram o título de equipe menos faltosa que ficou nas mãos dos ingleses e franceses.

Foto Destaque: Reprodução / Twitter Curiosidade Plus 

 

 

 

Bruno Gabriel
Bruno Gabriel
Olá, meu nome é Bruno Gabriel, tenho 20 anos e estudo Jornalismo na Universidade Metodista de São Paulo. Pretendo seguir na área de esportes, é um sonho desde criança. Espero alcançar os maiores eventos esportivos com muita criatividade e bom humor. Instagram: @bruhh_g20.

Artigos Relacionados