A coluna Desbravando o Tio Sam dessa semana vai contar a história de Adam Wolanin. Ele era um atacante polonês que chegou a disputar a Copa do Mundo de 1950, só que pela seleção dos Estados Unidos. Vamos falar sobre como ele foi obrigado a deixar a Polônia e acabou chegando nos EUA, onde foi muito importante para a região do Estado de Illinois. 

HISTÓRIA

Adam Wolanin nasceu Lvov, Polônia, no dia 13 de novembro de 1919. Primeiramente, sua carreira como profissional começou em 1935, logo após completar 17 anos. Ele começou em um time da primeira divisão da sua cidade natal, o Pogoń Lwów. Entretanto, em 1939 houve a invasão dos alemães durante a 2º Guerra Mundial. Sendo assim, Wolanin fugiu para a Inglaterra e foi jogar no Blackpool, clube da primeira divisão inglesa na época. Porém, nunca chegou a equipe principal, e acabou se mudando para Chicago. Nos EUA, acabou jogando pelos Maroons e A.A.C. Eagles, times esses que eram da Liga Nacional de Chicago. Por fim, acabou indo para o Chicago Falcons onde ganhou a National Challenge Cup de 1953.

Mesmo Adam não sendo norte-americano acabou sendo chamado para defender a Seleção dos Estados Unidos na Copa do Mundo de 1950. Fez sua estreia no primeiro jogo da seleção, um 3 x 1 contra  a Espanha. Além de defender as cores dos Estados Unidos, acabou indo para o National Soccer Hall of Fame em 1976 e para o Illinois Soccer Hall of Fame em 1992, devido a sua grande contribuição para o futebol local da região de Chicago, Illinois. Por fim, além de entrar para o Hall of Fame, ele também foi o primeiro polonês a jogar uma Copa do Mundo pós 2º Guerra Mundial.

Adam Wolanin
visto de Adam Wolanin para ir à Copa do Mundo de 1950

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto Destaque: Reprodução/Twitter

Marcos Sibinel
Marcos Sibinel
Olá, me chamo Marcos Sibinel, tenho 23 anos e curso jornalismo na Anhembi Morumbi. Nunca tinha pensado em seguir uma carreira como jornalista, mas foi quando cursava Relações Internacionais que percebi que tinha uma vontade de trabalhar com esportes. Fui então pesquisando sobre o curso de jornalismo esportivo que surgiu um grande interesse, além de amar nosso futebol, tenho vontade também de fazer o outro futebol, o americano, crescer ainda mais aqui no Brasil. Foi então que decidi que queria jornalismo esportivo. Twitter: @masibinel / Instagram: @masibinel

Deixe uma resposta