A coluna Desbravando o Tio Sam dessa semana vai contar a história do Atlanta Chiefs. E vamos contar também porque os americanos os consideram um dos maiores terrores do Manchester City. Além disso, o clube também já chegou a jogar com o Santos de Pelé na década de 70. Vamos fazer uma passagem sobre a sua história e sobre seus esses duelos contra esses dois gigantes do futebol mundial.

HISTÓRIA DO ATLANTA CHIEFS

Os Chiefs foram criados em 1967, por Dick Cecil, então vice-presidente da franquia de beisebol do Atlanta Braves. A equipe era membro fundadora da NSPL. A criação ocorreu quando Cecil ficou fascinado com a Copa do Mundo de 1966 na Inglaterra e acreditava que um time com sua sede em Atlanta, Geórgia, acrescentaria muito para o esporte local e para o Estádio de Atlanta. Sendo assim, de 1967 até 1972 a equipe jogou no Estádio de Atlanta.

Em 1973 a equipe foi vendida e ganhou um novo nome, Atlanta Apollo e no final daquela mesma temporada tiveram suas atividades encerradas. Entretanto, em 1979 o Nome Chiefs foi ressuscitado por Cecil e Ted Turner. Isso aconteceu porque o Colorado Caribenho, que jogava na NASL, foi transferido para Atlanta. Sendo assim, eles voltaram a jogar por lá por mais duas temporadas, quando novamente em 1981 tiveram suas portas fechadas definitivamente.

Embora tenha encerrado suas atividades, Kaizer Motaung um ex-jogador dos Chiefs fundou o Kaizer Chiefs F.C. Uma equipe profissional que joga na Premier Soccer League da África do Sul. Além do nome, o seu escudo teve também  inspirações no seu antigo clube.

TEMPORADA DE 1968 – 1981

Ao fim da temporada de 1968, começou o declínio da NSPL. Em 1969, 12 das 17 foram a falência e o contrato com a CBS havia expirado. Sendo assim, com somente cinco times, a temporada de 1969 foi dividida em duas partes. A primeira recebeu o nome de Copa Internacional. Essa liga teve clubes “importados” do Reino Unido, os Chiefs sendo representados pelo Aston Villa F.C. Acabaram o torneio em 3º lugar com um recorde de duas vitórias, quatro empates e outras duas derrotas. Na segunda metade, tudo ocorreu normalmente, e os 16 times jogaram a temporada sem Playoffs. Terminaram a temporada com um recorde de 11 vitórias, duas derrotas e três empates, sendo considerados vice-campeões. Isso aconteceu porque mesmo o Kansas City Spurs possuindo um recorde pior, possuía mais pontos.

Entretanto, na temporada de 1971 da NSPL, a equipe conseguiu ser campeã da sua divisão avançando para a final. Mas novamente foram vice-campeões, perdendo para o Dallas Tonado. Na temporada de 1972, venderam a franquia e recebeu o nome de Atlanta Pollos. Além disso, a equipe teve a pior campanha em sua história, com um recorde de três vitórias, sete empates e nove derrotas. Dessa forma, em 1973 a equipe fechou as portas. Somente em 1979 a equipe voltaria a existir, após a franquia Caribenha do Colorado se mudar para Atlanta com Cecil e Ted Turner como proprietários. Turner havia gastado US$ 1.5 milhão. Por fim, mesmo com as temporadas restantes tendo um aumento do público e a conquista de mais uma divisão, a falta de rentabilidade levou o Turner a desligar a ficha do time após aquela temporada.

MANCHESTER CITY E O SANTOS DE PELÉ

Em 1968, dois amistosos foram organizados pelos Chiefs para enfrentar o Manchester City.  E no dia 28 de mais, venceram o clube inglês por 3 x 2. Com o resultado inesperado o técnico do City solicitou uma revanche, e no dia 15 de junho novamente viu sua equipe ser vencida, dessa vez pelo placar de 2 x 1. Nesse mesmo ano, recebiam os Santos de Pelé. Diferentemente do City, perderam por 6 x 2, diante de um público de 25.000, na época o maior público para um jogo de futebol em Atlanta. Mais tarde, em 1975, Pelé se mudaria para os EUA para defender o New York Cosmos da NASL.

Foto Destaque: Reprodução/Twitter

Marcos Sibinel
Marcos Sibinel
Olá, me chamo Marcos Sibinel, tenho 23 anos e curso jornalismo na Anhembi Morumbi. Nunca tinha pensado em seguir uma carreira como jornalista, mas foi quando cursava Relações Internacionais que percebi que tinha uma vontade de trabalhar com esportes. Fui então pesquisando sobre o curso de jornalismo esportivo que surgiu um grande interesse, além de amar nosso futebol, tenho vontade também de fazer o outro futebol, o americano, crescer ainda mais aqui no Brasil. Foi então que decidi que queria jornalismo esportivo. Twitter: @masibinel / Instagram: @masibinel