Jorginho Putinatti

Nesta semana, a coluna Samurais da Bola traz a história do ex-jogador Jorginho Putinatti, considerado a maior revelação da história do Marília Atlético Clube (MAC). O atleta, que viveu o auge no Palmeiras na década de 80, encerrou sua carreira no Japão, país que ganhou seu único título na vida.

ÍNICIO DA CARREIRA

Antes de mais nada, Jorginho Putinatti começou sua carreira nas categorias de base do Marília. No clube, ele conquistou a Taça São Paulo de Futebol Juniores, em 1979. Em suma, chamou atenção dos torcedores por sua facilidade em armar as jogadas para os atacantes.

De acordo com os jornais da cidade do interior de São Paulo, o ex-jogador disputou 95 partidas pelo MAC entre os anos de 1975 e 1979. Posteriormente, acabou se transferindo para o Palmeiras, clube que viveu o melhor momento da carreira.

Foto: Reprodução/Edio Jr.

AUGE NO PALMEIRAS E SELEÇÃO BRASILEIRA

Jorginho chegou ao Palmeiras, em 1979, como uma jovem promessa. Apesar de não ter ganhou nenhum título importante, virou ídolo da torcida. Ficou marcado por suas cobranças de escanteios perigosas e de boa técnica. O jogador ainda teve como companheiros grandes nomes do futebol brasileiro: Mococa, Jorge Mendonça, Mirandinha, Eneias, etc.

Pelo clube alviverde, estreou contra o São Carlense, na vitória por 2 x 1, no dia 24/04/1979. Seu primeiro gol aconteceu três meses depois de sua chegada, na vitória diante do XV de Piracicaba por 3 x 1. Por fim, segundo o site oficial do Palmeiras, o ex-ponta direita disputou 369 jogos (158 vitórias, 131 empates e 80 derrotas) e marcou 95 gols.

Foto: Reprodução/Ricardo Mola

Ao mesmo tempo, o atleta também vestiu a camisa da Seleção Brasileira. Foram dezesseis vezes marcando dois gols. Acabou sendo convocado para a Copa América de 1983, chegando na final diante do Uruguai, porém não conquistou o título.

RODAGEM PELO BRASIL

Sem ganhar nenhum título pelo Palmeiras, o ex-jogador acabou entrando na lista de negociáveis do time com outros jogadores. Surpreendentemente, acabou sendo negociado com o Corinthians. Entretanto, sua passagem pelo clube do Parque São Jorge durou apenas um ano. A rejeição de parte da torcida foi essencial para sua saída do clube.

Depois de passagem pelo futebol paulista, Jorginho passou pelo Fluminense, Grêmio (saiu antes do término do Campeonato Gaúcho, em 1989, onde o clube gaúcho foi campeão), Guarani, Santos e XV de Piracicaba.

Em todos os clubes, conseguiu deixar sua marca. Porém, não rendeu nenhum título para sua carreira. Como exemplo, a Revista Placar colocou uma caricatura do jogador com os pés congelados, em alusão a não conquistar nenhum caneco.

FIM DA CARREIRA NO JAPÃO

Ao passo que sua trajetória no futebol brasileiro não engrenou, decidiu se aventurar no Japão. Optou por jogar no Nagoya Grampus, clube de primeira divisão do país asiático. Sua passagem durou 4 anos.

Por fim, o único título da carreira foi a Copa do Imperador, em 1992. Assim, não terminou sua trajetória sem ser campeão. Após sua passagem pelo Nagoya, voltou ao Brasil. O até então presidente do Marília na época, o convidou para ser técnico. Recusou, com o motivo de ainda estar se readaptando ao país.

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Foto Destaque: Reprodução/Arquivo/Trading Card Database

Avatar
Pedro Mazer Toyama
Escolhi jornalismo por causa da área de esportes. Sempre fui apaixonado, seja por assistir ou praticar, e com a faculdade posso adquirir conhecimentos para trabalhar com isso. Meus objetivos principais são desenvolver o máximo de conhecimento possível na área de esportes e comunicação.

Artigos Relacionados