João Carlos

A coluna Samurais da Bola traz nesta semana, a história do técnico João Carlos da Silva Costa, de 64 anos que foi destaque no futebol japonês. O brasileiro que começou sua carreira nas categorias de base do Flamengo, chegou ao Kashima Antlers no ano de 1996, a convite do grande ídolo do Rubro-Negro, Zico.

No futebol asiático, João ganhou diversos campeonatos e mais tarde recebeu o prêmio de técnico do ano em 1997 que o transformou em um dos maiores brasileiros que passaram pelo Japão.

INÍCIO DA CARREIRA

Primeiramente, João Carlos começou sua carreira no Flamengo em 1979. Nas categorias de base do clube carioca que obteve seus primeiros títulos. Após longos anos, em 1987 subiu para a equipe principal para trabalhar como preparador físico, consequentemente conquistou o Campeonato Brasileiro daquele ano.

Nesse meio tempo entre 1988 e 1989, em que treinadores foram demitidos, como Candinho e Telê Santana comandou o Flamengo em algumas partidas como interino.

Com o propósito de ser efetivado, não conseguiu a confiança dos diretores e acabou saindo para comandar o Al-Hilal, da Arábia Saudita em 1989. Sem sucesso no exterior, voltou ao Rio de Janeiro em 1990 para fazer parte da comissão técnica de Jair Pereira. Desse modo, acabaram se consagrando campeões da Copa do Brasil, de forma invicta. Por consequência, também levantou o troféu de Campeão Brasileiro de 1992, como auxiliar do técnico Carlinhos.

AUGE DA CARREIRA NO KASHIMA ANTLERS

Após passagens pelas categorias de base da Seleção Brasileira e por equipes de São Paulo, como por exemplo: América, Rio Branco e Bragantino foi comandar em 1996 o Kashima Antlers, do Japão. O convite foi feito por Zico, até então direito técnico da equipe. Em sua primeira temporada a frente do clube conquistou a J-League, em uma campanha de 30 jogos com 21 vitórias e 9 derrotas terminando o campeonato com 66 pontos conquistados.

Em 1997, mais títulos e a consagração da carreira. Ao conquistar a Copa Xerox; Copa Nabisco; Copa do Imperador e o vice-campeonato da J-League foi eleito o melhor técnico daquele ano. Dessa maneira, foi o segundo brasileiro a vencer o prêmio. O primeiro veio com o Nicanor, em 1996 na época que treinava o Kashiwa Reysol.

Foto: Divulgação/Site João Costa

SAÍDA DO JAPÃO E RETORNO AO FUTEBOL BRASILEIRO

No momento em que deixou o Kashima Antlers retornou ao Brasil para comandar o Athletico-PR. Logo depois rodou o Brasil. Treinou o Araçatuba-SP, União São João e mais uma vez a Seleção Brasileira Sub-20. Em 2000 voltou ao Japão para treinar o Nagoya Grampus e o Cerezo Osaka, mas sem sucesso. Voltou ao seu clube de origem, o Flamengo e ficou por dois anos.

Sua última passagem pelo futebol asiático foi no Consadole Sapporo e permaneceu por um ano. No final de sua carreira ficou a frente da Seleção da Jamaica e clubes como América-SP, Al Tai (Arábia Saudita), CRB duas vezes, Tupi, Tigres do Brasil e por fim, seu último trabalho foi no Orlando Pirates, em 2012. No entanto, atualmente João Carlos está sem clube.

PRINCIPAIS TÍTULOS E PRÊMIOS

  • Campeonato Brasileiro 1987 (Flamengo)
  • Copa Kirin 1988 (Flamengo)
  • Campeonato Brasileiro 1992 (Flamengo)
  • J.League 1996 (Kashima Antlers)
  • Melhor treinador da J.League 1997 (Kashima Antlers)
  • Copa do Imperador 2000 (Nagoya Grampus)

Foto destaque: Divulgação/Site João Costa

Avatar
Pedro Mazer Toyama
Escolhi jornalismo por causa da área de esportes. Sempre fui apaixonado, seja por assistir ou praticar, e com a faculdade posso adquirir conhecimentos para trabalhar com isso. Meus objetivos principais são desenvolver o máximo de conhecimento possível na área de esportes e comunicação.

Artigos Relacionados