Confira como foram definidos os finalistas da Taça Guanabara

Clássico xoxo e duelo de tricolores nas semifinais do estadual do RJ

 

FLAMENGO 1X0 MADUREIRA
Acabou o tabu de nove jogos. Finalmente o Flamengo venceu o Vasco. Depois de uma bela campanha, com cinco vitórias em cinco jogos, o Rubro-Negro chegou ao “clássico dos milhões”, em Volta Redonda, como favorito. Já o Vasco se apoiava no bom retrospecto dos últimos jogos contra seu maior rival. Dentro das quatro linhas os cruzmaltinos bem que tentaram, mas não seguraram o time da Gávea.

O JOGO
Precisando da vitória o Vasco começou mais ofensivo dando os dois primeiros chutes a gol: um de Jean e outro de Kelvin, ambos defendidos pelo goleiro Alex Muralha.

Depois das finalizações vascaínas o Flamengo dominou o confronto. Martín Silva precisou trabalhar bem na defesa do chute, de fora da área, de Everton, que em seguida, aos 26 minutos, voltou a causar perigo ao bater cruzado, obrigando a zaga do Vasco a salvar seu arqueiro.

O jogo morno dava as caras, até que aos 39 minutos, o zagueiro Luan derruba Everton dentro da área, em uma tentativa do atacante em dominar a bola. Pênalti. Diego bateu no meio gol e o goleiro uruguaio pulou em seu canto direito, logo gol do Rubro-Negro.

O segundo tempo foi marcado pela tentativa desorganizada do Vasco em marcar o gol. Administrando bem a partida, o Flamengo não sofreu pressão e nem fez seus torcedores passarem nervoso. Aos 13 minutos, Willian Arão levou perigo a Martín.

Réver, aos 24, depois do rebote do chute de Diego, finalizou para o gol, porém Henrique tirou a bola em cima da linha, evitando o tento flamenguista. No 30° minuto, Diego ainda acertou a trave

A partir daí o Vasco esboçou uma pressão, que foi aniquilada pela superioridade física e técnica do Flamengo. Final: 1 a 0 a favor do time da Gávea.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 1 X 0 VASCO

Renda: R$ 309.130,00
Público: 5.484 pagantes

FLAMENGO: Alex Muralha, Pará, Rafael Vaz, Rever e Miguel Trauco; Rômulo, Willian Arão, Diego, Federico Mancuello (Gabriel) e Everton (Berrio); Paolo Guerrero (Felipe Vizeu)
Técnico: Zé Ricardo

VASCO: Martin Silva, Gilberto, Rodrigo, Luan e Henrique; Jean, Douglas (Guilherme), Wagner (Escudero) e Nenê; Kelvin (Muriqui) e Thalles
Técnico: Cristóvão Borges

 

FLUMINENSE 0X0 MADUREIRA
Não foi fácil. No duelo dos tricolores o Fluminense, com o regulamento debaixo do braço, avançou à final da Taça Guanabara ao empatar, sem gols, com o Madureira, que sufocou até o fim. O tricolor suburbano vinha com um bom futebol, mas poucos acreditavam em uma complicação diante do outro tricolor, o das Laranjeiras, que estava pouco inspirado.

O JOGO
Com o favoritismo, o Nense tinha a obrigação da vitória e começou com a posse de bola superior. Já o Madureira, sem ser ameaçado no início, teve a primeira chance do jogo, com o experiente Souza, aos 13 minutos, que cabeceou erroneamente, por cima do baliza.

A primeira chance do Fluminense foi aos 30 minutos, com um arremate de Léo Pelé, defendido por Rafael Santos. 10 minutos depois, o goleiro Júlio César foi obrigado a fazer bela defesa em uma outra cabeçada de Souza. Assim, demonstrando a pontualidade Madureira mais perigosa que a posse de bola do Flu.

Na segunda etapa, Júlio César (do tricolor suburbano), arriscou e fez seu xará (do Fluminense) defender. O time das Laranjeiras não conseguia converter em finalização sua posse de bola. Enquanto isso o Madureira chegou ao ataque com Esquerdinha, que cabeceou para fora.

Henrique Dourado foi o responsável pela primeira chance perigosa do Nense, ocorrida aos 17 minutos, com um chute cruzado defendido pelo goleiro rival. Sem se abater, Rezende, volante do tricolor suburbano, finalizou no travessão.

Aos 27 minutos do segundo tempo o volante fluminense Douglas parou com falta um contra-ataque, logo sendo expulso ao receber seu segundo cartão amarelo. Depois disso o Madureira foi para cima, encurralando o Flu e aos 31 minutos, com Souza, quase ficou à frente do placar com uma cabeçada que raspou a trave.

O final do jogo foi marcado pela pressão suburbana. O tricolor das Laranjeiras recuou e conseguiu conter o ataque desorganizado do Madureira.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 0 X 0 MADUREIRA

Renda: R$ 49.940,00
Público: 1.992 pagantes

FLUMINENSE: Júlio César, Lucas, Renato Chaves, Henrique e Léo Pelé; Douglas, Jéferson Orejuela, Gustavo Scarpa (Marquinho), Junior Sornoza e Wellington Silva (Richarlison); Henrique Dourado (Pierre)
Técnico: Abel Braga

MADUREIRA: Rafael Santos, Ruan, Diego Guerra, Jorge Fellipe e Wellington Saci; Leandro Carvalho, Rezende, Luciano Naninho (Jefferson Maranhão) e Douglas Lima (Esquerdinha); Julio Cesar (Soares) e Souza
Técnico: Paulo César Gusmão
Agora a final da Taça Guanabara será disputada entre Flamengo e Fluminense no próximo domingo, 5, ainda sem local definido (provavelmente deve ser em Brasília, no Mané Garrincha). A nota triste dessas semifinais foi o baixíssimo público, que acumulou apenas 7.476 nos dois estádios, no Raulino e em Los Lários. O Rubro-Negro está com seis jogos e seis vitórias, marcou 17 gols e levou 2. Já o tricolor está com cinco vitórias e um empate. Fez 14 gols e ainda não sofreu nenhum.

Leonardo José
Leonardo José
Sou o Leonardo José, jovem alagoano, estudante de jornalismo e esquerdista, sim. O esporte, a filosofia e a sociologia correm em minhas veias simultaneamente. Louco pelo futebol latino. Prefiro Libertadores à Champions League. No Brasil, clássicos como CSA x CRB, Sampaio Corrêa x Moto Club e ABC x América-RN são bem mais emocionantes que Flamengo x Vasco, Cruzeiro x Atlético-MG e Corinthians x Palmeiras. Para você, leitor, não se cansar lendo minha biografia, finalizo dizendo que "todos os detalhes e os bastidores da vida precisam ser olhados com atenção". Twitter: @leo_silva997

Artigos Relacionados

Topo