Confira a lista de craques que chegaram a pendurar as chuteiras mas acabaram voltando aos gramados

Craques

 O anúncio da aposentadoria é provavelmente o momento mais difícil para todo o jogador. Grandes craques fecham ciclos gloriosos e assumem o status de lendas, não só pela contribuição que deixam ao esporte, mas também pelo exemplo e inspiração que representam para milhões de jovens em todos o mundo. A paixão do torcedor pelo futebol nasce com o talento dos grandes jogadores e cresce na medida das grandes exibições deles ao longo da sua carreira. Confira a lista de grandes craques chegaram a pendurar as chuteiras mas acabaram voltando aos gramados.

ARJEN ROBBEN

O craque holandês é o caso mais recente de um craque que regressa aos gramados após anunciar sua aposentadoria. Nos últimos dias, Arjen Robben anunciou o seu retorno ao futebol profissional já na temporada 2020/21, para vestir a camisa do clube que o revelou para o esporte: o FC Groningen.

“Ouvi os nossos adeptos: Arjen segue o teu coração!”

Foi com esta frase que Robben anunciou o seu retorno ao futebol profissional. Aos 36 anos, o atacante holandês retorna ao ponto de partida de uma carreira que o viu levantar muitos dos maiores troféus do futebol mundial. Vestiu as camisas de PSV, Chelsea, Real Madrid, mas foi no Bayern de Munique que passou os maiores e melhores momentos da sua carreira. Foram 33 títulos em todos os times por onde passou. Sim, porque Arjen Robben pode se orgulhar de ter sido campeão em todos os Campeonatos por onde passou.

https://www.instagram.com/p/CBfUU-AjeSN/

O FC Groningen é um clube holandês que, além de Robben, foi também ponto de partida para muitas estrelas no futebol europeu. Virgil Van Dijk, Luis Suárez ou Dusan Tadic são alguns exemplos de grandes craques que dali cresceram para os maiores times europeus. Faz agora praticamente um ano que Robben anunciava o final da sua carreira. Para muitos foi algo surpreendente, pois não era tão evidente a quebra de talento e capacidade física do atacante holandês. Resta saber em que condição retorna o craque de 36 anos. Saudades de ver Robben conduzindo a bola com seu pé esquerdo? Se prepara porque ainda não terminou!

PAUL SCHOLES

O meia inglês poderá não ser tão lembrado como outros craques daquele momento do Manchester United, nomeadamente Cristiano Ronaldo e Wayne Rooney. Mas o que é certo é que todo o apaixonado por futebol e todo aquele que estuda a metodologia do esporte reconhece o meia inglês como um dos melhores de todos os tempos.

O seu legado é rico em títulos e momentos históricos. Um jogador que apenas vestiu uma camisa e foi parte muito importante de uma das eras mais brilhantes do Manchester United. Só troféus de Campeão Inglês foram 11!

View this post on Instagram

❤️

A post shared by Paul Scholes (@paulscholesaaa) on

Tudo pareceu ter um fim na temporada 2010/11, quando saiu de Old Trafford aplaudido de pé. No entanto, em janeiro de 2012 voltou atrás. Não por iniciativa própria, mas porque Sir Alex Ferguson lhe pediu. O time tinha muitas lesões, e o mítico técnico precisava de alguém. Paul Scholes não virou as costas e dias depois estava no time inicial, em clássico contra o grande rival do Manchester City! Aos 37 anos, Scholes terminava a partida de retorno com 97% de passes acertados, e o United vencia por 3 x 2. Penduraria as chuteiras de vez em 2013, levantando mais um título do Campeonato Inglês.

Quem aos 37 anos teria capacidade para retornar a um grande clube europeu e desempenhar um papel importante, depois de seis meses aposentado? Quem sabe nunca esquece, e Paul Scholes provou que há jogadores que serão para sempre especiais.

DIDA

Como não considerar Dida quando se fala nos maiores goleiros da história do futebol brasileiro? Do Vitória da Bahia para o topo do futebol mundial, Dida conquistou diversos títulos ao longo da sua carreira, com destaque para a Copa do Mundo de 2002 e as épocas de ouro no AC Milan.

Guardou as luvas em 2010, mas esteve na aposentadoria apenas dois anos. O goleiro Wéverton estava de saída, e a Portuguesa não hesitou em propor o regresso de Dida ao futebol profissional, para defender o gol do time na Série A do Brasileirão. Aos 38 anos, o goleiro retornava aos gramados para mais um período na sua carreira, fazendo 32 partidas com a camisa da Portuguesa.

Dali foi para o Grêmio, ajudando o time a conquistar a 2ª posição no Brasileirão. Dida tinha 39 anos e fazia 60 partidas em 2013. Conquistaria ainda o Gauchão em 2014 com a camisa do Internacional e, aos 40 anos, dividiria o gol com o jovem de 21 anos Alisson Becker no time de Porto Alegre. Terminaria de vez em 2015.

Foto: Caco Kozen

PELÉ

O que há para falar de Pelé que todo o mundo não saiba? O melhor jogador de todos os tempos marcou para sempre o futebol brasileiro e mundial com sua carreira brilhante com a camisa do Santos e da Seleção Brasileira. Festejou mais de 1000 gols, levantou os maiores títulos mundiais e permanecerá para sempre na memória de todo o apaixonado por futebol. O nome de Pelé atravessa gerações e sua história inspira milhões de esportistas em todo o Mundo.

Com profissional, o Rei pendurou as chuteiras em 1975, mas esse não seria o ponto final na sua carreira. Menos de dois anos depois, Pelé entraria em uma estratégia de promoção do  futebol nos Estados Unidos e retornava aos gramados. Jogaria três temporadas no New York Cosmos, fazendo brilhar os olhos de muitos torcedores americanos. Assim, Pelé levava o perfume do futebol aos Estados Unidos. Se hoje o esporte apaixona milhões de norte-americanos, ele é um dos principais craques responsáveis por isso.

Foto: ESPN

Foto destaque: Reprodução/Bet4Plus

Lauren Berger

Sobre Lauren Berger

Lauren Berger já escreveu 676 posts nesse site..

Lauren Berger, gaúcha e apaixonada por futebol. Cresci vendo grandes nomes do Brasil em campo e um sentimento especial cresceu em mim. Vi Ronaldinho Gaúcho, Fernandão, Cristiano Ronaldo, Iniesta e foi amor à primeira partida. Estudo na Universidade Luterana do Brasil-RS.

BetWarrior


Lauren Berger
Lauren Berger
Lauren Berger, gaúcha e apaixonada por futebol. Cresci vendo grandes nomes do Brasil em campo e um sentimento especial cresceu em mim. Vi Ronaldinho Gaúcho, Fernandão, Cristiano Ronaldo, Iniesta e foi amor à primeira partida. Estudo na Universidade Luterana do Brasil-RS.

    Artigos Relacionados

    Topo