Confiança e Brasil de Pelotas empatam na Arena Batistão pela Série B

- Mesmo superior, Dragão não conseguiu traduzir em gols
Confiança e Brasil de Pelotas empatam pela Série B (Foto: Reprodução / Luiz Neto)

Nesta quarta-feira (30/9), Confiança e Brasil de Pelotas entraram em campo em jogo válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Assim, na Arena Batistão, apesar de superior em boa parte da partida, o Dragão viu o Xavante abrir o placar, ainda no primeiro tempo, com Matheus Oliveira. No entanto, com as mudanças de Daniel Paulista, os mandantes cresceram, empataram com Bruno Paraíba e ainda tiveram chances para virar. Dessa forma, o empate em 1 x 1 não foi bom para nenhuma das equipes.

1º TEMPO

Trocando passes e com boa consistência técnica, o Confiança iniciou a partida melhor e com mais organização no campo de ataque. Assim, aos 3′, Marcelinho recebeu na intermediária, avançou e chutou forte para a defesa de Rafael Martins. Em seguida, Alyson cobrou falta levantando na área, Rafael Martins saiu de soco e Leandro Kivel ficou com a sobra, mas finalizou em cima da marcação. No entanto, aos poucos, o ritmo do Dragão foi caindo e o Brasil de Pelotas cresceu no confronto.

Logo, a equipe teve sua primeira boa oportunidade em escanteio de Matheus Oliveira que Sousa cabeceou para fora. Na sequência, aos 29′, o Confiança ficou reclamando de um toque de mão na área, mas o árbitro nada marcou para o Dragão. Em seguida, após bobeira absurda da defesa mandante em dois momentos, a bola sobrou para Matheus Oliveira, que acertou um chute certeiro no gol de Rafael Santos, abrindo o placar para o Brasil de Pelotas. Já na reta final, desorganizado, os donos da casa quase sofreram mais um gol através de Luiz Henrique.

2º TEMPO

Na volta do intervalo, o técnico do Confiança, Daniel Paulista, promoveu algumas mudanças que fizeram a equipe voltar a dominar a partida. Assim, aos 7′, Ítalo deu drible seco e levantou na área do Brasil de Pelotas, o goleiro tirou e Tiago Luis acertou belo chuta, a defesa gaúcha tirou no laço. Na sequência, em cobrança de escanteio, por pouco Tiago Luis não marcou o gol de empate para o Dragão.

Em seguida, o Brasil de Pelotas criou a melhor chance da segunda etapa com Gegê, que recebeu bola de Poveda, e carimbou o travessão. No entanto, a partir de então, o Xavante não mais levou perigo ao gol do Confiança, que fez pressão à meta adversário. Assim, aos 28′, sem ângulo, Renan Gorne mandou chute forte, cruzado, e Rafael Martins espalmou. Na sequência, depois da finalização de Renan Gorne, a bola sobrou para Bruno Paraíba que completou de cabeça para empatar a partida. No fim, Tiago Luis ainda teve chance de virar, mas o goleiro visitante defendeu.

E AGORA?

Dessa forma, o resultado não foi bom para nenhuma das equipes que seguem fora da zona de rebaixamento, mas cada qual longe de seus objetivos. Assim, o Confiança ocupa a 14ª posição com 12 pontos, enquanto que o Brasil de Pelotas segue na 11ª colocação com 15 pontos. Agora, na próxima rodada, o Dragão visita o Náutico, no sábado (3), às 16h (horário de Brasília). Já o Xavante recebe a Chapecoense, no mesmo dia, às 16h30 (horário de Brasília).

MELHORES MOMENTOS

Foto Destaque: Reprodução / Luiz Neto

Ricardo do Amaral

Sobre Ricardo do Amaral

Ricardo do Amaral já escreveu 718 posts nesse site..

"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

BetWarrior


Poliesportiva


Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

    Artigos Relacionados

    Topo