Confiança completa 86 anos de história; Confira alguns momentos desse período do clube

“É a Desportiva Confiança, dos operários tem o nome a vitória”. O trecho anterior retirado do hino oficial retrata as origens da Associação Desportiva Confiança, clube que completa 86 anos nesse domingo (1). Fundado em 1936, sua origem vem da classe operária quando, dentro da fábrica de tecelagem no Bairro Industrial, iniciaram a fundação do time.

Apesar de no futebol o Confiança ter as principais conquistas, o clube tem sua origem no voleibol. Assim, ainda em 1936, depois de competição na fábrica de sua origem, os primeiros passos da história do clube começaram a serem dados. Confira agora um pouco mais da história do Dragão e dois grandes momentos desses 86 anos.

História da fundação do Confiança

Joaquim Sabino Chaves Ribeiro, Epaminondas Vital e Isnard Cantalice foram os fundadores do Confiança. Na fábrica de tecelagem Confiança, localizada no Bairro Industrial, acontecia competições de voleibol, entre outras agremiações da cidade. Logo depois de um dos eventos, os três idealizadores iniciaram as atividades para o nascimento do time azulino. Assim, no dia 1 de maio de 1936, nascia o clube voltado para o voleibol e basquete.

No início, os operários da fábrica foram os atletas naquele primeiro momento, com as participações em eventos do Gigante Azulino. Porém, apenas 13 anos após sua fundação, o Confiança dava o pontapé inicial no futebol, esporte que vinha ganhando popularidade no Brasil. Assim, no dia 1º de maio de 1949, era apresentado a equipe dessa modalidade, com o intuito de ganhar espaço no cenário estadual.

Aliás, a data de fundação do aniversário do clube é no feriado do dia do trabalhador. Por isso, com origem vinda dos operários, as comemorações acontecem no mesmo 1º de maio.

Ademais, entre os grandes momentos ao longo da história do clube está a construção do Estádio Sabino Ribeiro, palco que hoje é Centro de Treinamento da equipe, inaugurado em 1955. O nome é uma homenagem ao idealizador do Confiança. Ademais, o Dragão do Bairro Industrial também foi o primeiro do futebol sergipano a vencer um clube carioca, na ocasião o Bonsucesso por 3 x 1. E disputou uma turnê no estado de Pernambuco, enfrentando equipes da região.

Confiança completa 86 anos de história; Confira alguns momentos desse período do clube
Centro de Treinamento Sabino Ribeiro – Foto: Divulgação/ADC

 

O 1ª título estadual

Primeiramente, o Confiança disputou o Campeonato Sergipano ainda em 1949, ano da criação do seu time de futebol. Ademais, mesmo vitorioso em jogos da competição o clube foi penalizado com a perda de pontos, devido a antiga Lei do Estágio. A mesma dizia que os jogadores não podiam atuar por certo período, logo depois de trocarem de clube. Assim, o time foi punido por atuar com atletas recém chegados. O Confiança só retornou ao estadual em 1951.

Decerto, o regulamento da época constava a divisão do campeonato em duas divisões. Logo, o campeonato era entre a capital e o interior, com o campeão de cada decidindo o título final. Aliás as informações são do historiador do clube Felipe Leite, do perfil Dragaopedia.

Na divisão da capital o Confiança foi campeão com campanha quase invicta. Ao todo, foram 14 partidas feitas pelo clube com 11 vitórias, duas derrota e um empate. Assim, o Dragão do Bairro Industrial confirmou sua permanência na decisão geral. Entre os destaques no 1º turno estão vitórias sobre Atlético, por 10 x 0, Palestra, por 4 x 1 e  o clássico contra o Sergipe, que venceu por 4 x 3.

A fase final do estadual de 1951

O Confiança confirmava sua vaga na decisão do estadual. Porém, seu adversário no duelo viria da zona do interior. Assim, a fase era dividida em duas. Na divisão do interior, Ipiranga, campeão da zona Centro, e Passagem, campeão do Norte, fizeram um duelo para conhecer o adversário do time azulino. Enfim, o Passagem, atual campeão estadual, venceu o confronto e foi disputar a grande decisão.

Na final, o Confiança goleou o adversário conquistando assim seu 1º título. Decerto, no jogo de ida, as equipes empataram por 2 x 2 na casa do time do interior. Na volta, no dia 2 de dezembro de 1951, no Estádio Estadual de Aracaju, o Dragão venceu por 7 x 1. O Dragão do Bairro Industrial foi a campo naquele dia com a seguinte escalação: Marotinho; Sílvio e Tutu; Zé Antônio, Sandoval e Pimentel; Anastácio, Bia, Dunga, Pedrinho e Tião.

Ademais, os gols do jogo vieram dos pés de Dunga, Pedrinho (4), Tião e Anastácio para o Confiança. Bequinho marcou o do Passagem. Enfim, na 1ª participação com todos os jogadores regularizados, o Dragão do Bairro Industrial ganhou seu título estadual. A campanha teve 45 gols feitos e 19 sofridos, segundo dados do historiador Felipe Leite.

O acesso em 2019 do Confiança

O ano era 2019 e o Confiança vinha de uma sequência de batidas na trave na busca pelo acesso a Série B. Decerto, o time retornou a 3ª divisão nacional em 2015, quando foi 4º lugar na divisão anterior. Assim, nos anos anteriores ao da subida, o Gigante Operário vinha caindo de produção nos momentos chaves da competição, ficando assim sem o grande objetivo. Mas em 2019, a história mudou.

Primeiramente, o clube não saiu vitorioso no estadual. Assim, o time saiu no hexagonal do Sergipano, além de cair cedo na Copa do Nordeste. Restava então a competição nacional, cujo o Confiança teria foco máximo naquele momento. Liderados por Daniel Paulista, a campanha teve duas derrotas logo na estreia do torneio. Mas, ao longo da Série C, o Confiança se reabilitou.

O Confiança terminou a 1ª fase com 26 pontos na 4ª colocação do grupo A. Foram ao todo oito vitórias, quatro empates e seis derrotas. Assim, o time conquistou a vaga para as quartas de finais, quando enfrentou o Ypiranga de Erechim. Ademais, as duas partidas separavam da Série B. Desse modo, o clube teve seu 1º compromisso na Arena Batistão, quando venceu por 1 x 0, com gol de Tito.

Na volta, as duas equipes empataram por 1 x 1 no Rio Grande do Sul, no memorável dia sete de setembro para o torcedor. Enfim, após o apito final, o Confiança confirmava seu retorno a 2ª divisão nacional, após anos na luta pela vaga. Ademais, a campanha finalizou após eliminação nas semifinais da competição após derrotas para o Sampaio Corrêa, mas já com o acesso garantido.

Sentimento do torcedor com o acesso

O torcedor Mike Gabriel, idealizador do canal Dragão de Aracaju, fala um pouco do sentimento resultado daquela campanha.

“O acesso de 2019 foi a coroação de um bom momento do Confiança, de um momento de afirmação, pois já eram 4 anos estando em uma divisão que não a última do Brasil, com alguns sustos de rebaixamento e 2 decepções com eliminações no mata-mata do acesso. Após anos adquirindo experiências, maturidade, se acostumando a jogos grandes era chegada de dar mais um passo, o de chegar a Série B”.

E completou:

“Cabe lembrar que esse sonho já era nutrido desde a campanha memorável de 2008, mas aquela campanha também trouxe traumas e fantasmas, exorcizados no acesso de 2014 e brilhantemente superado com o acesso de 2019, 11 anos depois não tínhamos o mesmo time talentoso de 2008, mas era um time operário que tinha em sua força o coletivo e nada mais representa o Confiança que um time assim, que desde o início de sua história foi carregado nos braços por sua torcida e que foi abraçado por ela depois do grande 7 de setembro de 2019”.

Em busca de novas glórias

Enfim, o Confiança completa 86 anos de muitas histórias, conquistas e feitos memorizados na cabeça do seu torcedor. Logo, o sentimento de seus operários na construção do clube aparece nas arquibancadas nos dias atuais, com novos proletários surgindo e dando continuidade a paixão azulino. O Dragão do Bairro Industrial completa nesse domingo (1), mais um ano completado em sua vida em busca de continuar escrevendo sua história no futebol.

Foto destaque: Divulgação/Lucas Almeida/ADC

Victor Castro
Sou de Sergipe e sempre tive o sonho de trabalhar na área dos esportes. Acredito que esse mundo mexe com um dos sentimentos mais nobres de cada um, a paixão. E o jornalismo, o meio de eternizar grandes momentos através de roteiros que cativam as pessoas. Assim, cheguei ao jornalismo esportivo, onde procuro transmite os momentos dos esportes através das palavras.