Com Solskjaer pressionado, Manchester United procura Mauricio Pochettino (Foto: Reprodução/Getty Images)

A derrota para o Istanbul Basaksehir na última quarta-feira (4) pôs ainda mais pressão sobre Ole Gunnar Solskjaer. Questionado pelas más atuações da equipe dentro de campo, o técnico viu crescer mais ainda sombra de Mauricio Pochettino. Assim, de acordo com o “Manchester Evening News”, o treinador argentino foi procurado pelos Red Devils para assumir o cargo.

Segundo a publicação, há uma parte da diretoria do United que ainda crê em Solskjaer, mas uma derrota para o Everton na próxima rodada da Premier League pode mudar o posicionamento dessa parcela. Na atual temporada, a equipe soma seis vitórias, um empate e quatro derrotas. Entretanto, apesar de liderar seu grupo na Champions League, o clube vai mal no torneio nacional.

Após o jogo diante do Basaksehir, Solskjaer respondeu sobre o temor em perder o cargo. Na ocasião, o técnico disse que está dando o seu melhor.

“Recuso-me a comentar sobre tal coisa. Claro, é cedo e as opiniões estão aí o tempo todo. Você tem que manter-se forte. Sou contratado pelo clube para fazer um trabalho e faço-o o melhor que posso com a minha equipe”, disse.

Durante essa semana, Pochettino disse em entrevista que está pronto para voltar a comandar algum clube. Há pouco tempo, seu nome esteve ligado ao Zenit, da Rússia, mas nada se definiu. O técnico está desempregado desde que deixou o Tottenham.

“Estou sempre pronto para voltar e me envolver no jogo. Não é estresse quando você está trabalhando, não é estresse entrar no treino para preparar o jogo e competir. Espero voltar em breve para que possamos começar a trabalhar de novo. Estou ansioso para voltar ao jogo. Adoro este jogo, mas é difícil, estamos dentro e trabalhando para fazer as coisas. Essa é a realidade”, declarou.

Foto Destaque: Reprodução/Getty Images

Renan Liskai
Renan Liskai
Muito prazer! Sou Renan Liskai, paulista, natural de Santo André. Desde 1998 falando, respirando, sorrindo, chorando e enlouquecendo por futebol. A vida de goleiro não deu certo, mas o jornalismo sempre esteve ali. Descobri que se não podia estar dentro de campo ou das quadras, eu poderia estar do lado de fora, mas sempre vivendo tudo isso. Sou daqueles que não perde um jogo de futebol por nada, seja ele qual for. Costumo dizer que esse esporte é assunto mundial e que não há uma pessoa no mundo que nunca tenha falado sobre tudo que acontece dentro e além das quatro linhas. Assim como todo mundo, carrego uma história e experiências. Sou filho, irmão, neto, amigo e sempre serei um eterno aprendiz dessa vida.

Artigos Relacionados