Cobresal o time sobrevivente da crise do Cobre

De todos os times que participarão da Libertadores de 2016, um dos que tem uma história bastante interessante é o Cobresal, adversário do Corinthians na fase de Grupos. Fundado em 1979, na cidade de El Salvador como um clube estratégico para o Ditador Pinochet, que dizia que era necessário fundar clubes de futebol nas regiões mais periféricas do Chile, outro clube criado dentro dessa política expansionista de times foi o Cobreloa, de Calama.

Por muitos anos o time pequenino de El Salvador, ficou comendo poeira do rival Cobreloa, que logo nos anos de 1981 e 1982, surpreendeu a América, chegando as finais das duas edições, perdendo ambas, em 1981 para o Flamengo e em 1982 para o Peñarol. Porém o Cobresal foi para a Libertadores de 1986, e apesar de ter sido eliminado o clube permaneceu invicto, a campanha: 1 vitória e 5 empates.

Mas depois dos anos 80, o time de El Salvador, passou por períodos difíceis alternou muito entre a primeira e segunda divisão chilena, sempre sendo sombra do rival do Atacama, que além de sempre estar disputando as primeiras posições, recebia mais investimento da Codelco o Cobreloa recebia 563 milhões de pesos (aproximadamente 2,8 milhões de reais,) enquanto o Cobresal recebia 454 milhões de pesos (aproximadamente 2,3milhões de reais).

Porem de 2 anos pra cá o papel se inverteu bruscamente para as duas agremiações, com a crise do Cobre, o forte Cobreloa se enfraqueceu de tal maneira que nesse ano foi rebaixado pela primeira vez em sua história. Já o pequeno Cobresal soube driblar a crise financeira, juntou forças e conseguiu consistência na equipe que brigou com a Universidad Católica até os últimos jogos, e pela primeira vez em sua história venceu o Campeonato Chileno, assim retonando a Libertadores após um longo jejum de 30 anos.

O Cobresal é tido como um clube raro no futebol mundial, pois o acampamento de El Salvador, sede da equipe, tem cerca de 7 mil habitantes e o Estádio El Cobre, local onde o clube manda seus jogos tem capacidade para 20 mil pessoas. Como consequência, o time sempre registra as piores médias de público do Campeonato Chileno.

Porém tudo não é festa para o Cobresal, já que dias piores poderão vir para o time que poderá inclusive perder a sua sede, com a crise da Coldeco, e a baixa produtividade de El Salvador, o acampamento poderá deixar de existir em 2021, e o clube do Cobre terá de se mudar para outra cidade.

Avatar
Rafael Madjarof
Rafael Madjarof, Estudante de Jornalismo da Metodista, 20 anos. Sou apaixonado por diversos esportes (inclusive o futebol). Sempre pensei em trabalhar na área esportiva, pois desde pequeno acompanhei o esporte, e um dos principais motivos de eu ter decidido fazer o curso jornalismo é de trabalhar na área, também gosto da parte política, mas me considero acima de tudo um Louco por Esportes.

Artigos Relacionados

Topo