Depois de se destacar como um clube comprador, atualmente o Palmeiras tem chamado atenção pelo grande número de vendas e liberações de jogadores que tem feito. Posteriormente a venda de Diogo Barbosa ao Grêmio e Vitor Hugo ao Trabzonspor da Turquia, agora o Alviverde Paulista negociou o volante Bruno Henrique para o Al Ittihad, da Arábia Saudita. Os valores são de cinco milhões de dólares, o que renderá por volta de 27 milhões ao Verdão.

O volante deixa o clube após pouco mais de três anos e dois títulos: o Brasileiro de 2018 e o Paulista 2020. Contudo apesar de ter sido o capitão do deca, Bruno Henrique vinha em baixa no Palmeiras, sendo apenas opção de banco. Isso somado ao fato de ele ser um dos mais cobrados pela torcida desde 2019, pesaram a favor da diretoria vende-lo. Entretanto não podemos descartar o lucro que o time terá mesmo com ele vivendo má fase: são cerca de 14 milhões em relação ao valor pago em 2017 (3,5 milhões de euros, 13 milhões na época).

Capitão do título em 2018, Bruno Henrique sai como chegou: criticado pela torcida

Bruno Henrique chegou ao Palmeiras como um pedido de Cuca em 2017, contratado do Palermo. Seu início foi irregular, rendendo críticas da torcida, mas isso mudou em 2018. O volante teve um de seus melhores anos na carreira, sendo inclusive vice-artilheiro do time no título Brasileiro com nove gols, além de ostentar a faixa de capitão. No entanto em 2019 o jogador caiu de rendimento, chegando até mesmo a ser atacado na rua por torcedores.

Em 2020, além de não mostrar bom futebol, o volante perdeu espaço para Patrick e Menino, titulares absolutos hoje. O Al Ittihad viu a chance de levá-lo após não conseguir contratar Edenílson, do Inter. Ele deixa o Palmeiras com 175 jogos e 28 gols, sendo o quinto volante com mais gols no clube. Por fim, junta-se a legião brasileira do clube árabe, que conta com: Grohe, Bruno Uvini, Jonas, Romarinho, além de Fábio Carille.

Foto destaque: divulgação/Al Ittihad

Avatar
Luiz Mutschele
escolhi jornalismo porque foi a melhor forma de aliar duas coisas que sempre gostei: escrever e esportes. Desde então já tive o prazer de escrever sobre minha três grandes paixões: futebol, NBA e games.

Artigos Relacionados