Cláudio Prates cita esforço do Bahia em classificação

- Tricolor avançou às quartas e pode fazer história se chegar às semifinais

Foi apertado, mas o Bahia conseguiu avançar as quartas de final da Copa Sul-Americana. Assim, após vencer o primeiro jogo por 1 x 0 e empatar o desta terça feira (1), em 0 x 0 o, Tricolor avançou. A princípio, após o duelo, o auxiliar Cláudio Prates deu entrevista e destacou a entrega dos atletas dentro do jogo. Em suma, vale ressaltar que ele substitui o técnico Mano Menezes, que se recupera da Covid-19.

A avaliação é a mais positiva possível. Pela entrega dos atletas. A gente pôde observar que  sempre precisamos  fazer mudanças. Estamos tendo dificuldades, por cartões, lesões, até pela própria Covid-19, de perder atletas na última linha. A gente tem que parabenizar, porque ficamos muito próximos do que desejamos, pela entrega, jogadores que podem não ter tido uma performance muito boa no jogo, mas se entregaram até o fim. Fizeram várias funções e foram exemplares em cada uma delas nelas. Isso deixa a gente contente, porque a gente sabe que pode contar com o grupo, mesmo em outras posições. É bom quando se tem jogadores que, além de terem disposição, mostraram versatilidade. Vários fizeram funções diferentes, e conseguimos suprir até o número de defensores, que está difícil, tanto no banco quanto jogando, pelos problemas da semana”.

Postura defensiva da equipe

Por outro lado, Cláudio Prates ainda falou o que ocasionou a postura recuada da equipe Tricolor. Desse modo, avaliou o contexto do jogo.

“Não foi intenção manter. Os jogadores sentiram um pouco o gramado e a umidade. Nessa região, é muito difícil respirar, há uma transpiração muito grande. Os jogadores chegaram no meio-tempo reclamando muito disso. A intenção não era manter aquela postura, até porque a gente tinha um jogador a mais e queria controlar o jogo no segundo tempo. Não conseguimos. Hoje era um jogo para o triunfo. . A performance viria em segundo plano. Felizmente, conseguimos o resultado. Vamos ajustar para ter uma melhor performance no Brasileiro”.

Por fim, ele ressaltou as dificuldades que teve até chegar no duelo. Sendo assim, lembrou dos infectados pela Covid-19, os jogadores e os membros da comissão.

“Hoje a gente se dedicou muito. Pessoalmente, quero agradecer à comissão técnica, ao professor Mano [técnico Mano Menezes], pelo apoio incondicional que tem dado a todos nós que estamos à frente nestes três jogos. Muito importante, os jogadores se sentiram muito queridos e, acima de tudo, reconfortados de ter esse apoio vindo de Salvador. Nossa entrega, dedicação, foi muito por eles”.

Foto destaque: Divulgação/EC Bahia

BetWarrior


Poliesportiva


Gilvan Rodrigues
Gilvan Rodrigues
Gilvan Junior, 20 anos, natural de Feira de Santana, estudante de jornalismo pela FAT. Desde pequeno, meu principal assunto era o esporte. Sempre acompanhado programas, sites, etc. Decidir, partir pra área que me dará a oportunidade de viver daquilo que mais amo. O futebol.

    Artigos Relacionados

    Topo