City vence mais uma e United leva melhor em clássico da 30ª rodada da PL

- Tabela segue praticamente inalterável na reta final do campeonato inglês
Gabriel Jesus Manchester City

A 30ª rodada da Premier League obedeceu à máxima da cadeia hereditária – onde “o de cima, sobe, e o de baixo, desce”. Com exceção de Liverpool, que perdeu para o Manchester United no confronto direto pelo segundo lugar, e o Newcastle, que venceu o Southampton na luta pela fuga do rebaixamento, os times de parte de cima da tabela somaram pontos e subiram na classificação, enquanto os da segunda metade permaneceram em seus lugares ou desceram alguns degraus. O fim de semana teve também destaques negativos, como a lesão de Harry Kane na goleada do Tottenham sobre o Bournemouth, e cenas para lá de lamentáveis no duelo entre o West Ham e Burnley, que terminou com vitória dos visitantes e invasão de torcedores dos Hammers. Sem mais delongas, confira o resumo da 30ª rodada do campeonato inglês.

PREMIER LEAGUE – 30ª RODADA

10/03 – SÁBADO

Manchester United 2 x 1 Liverpool

No North West Derby, valeu o fator casa. O Manchester United não deu chances ao Liverpool, venceu com certa propriedade e deu um enorme passo para garantir a vaga na Champions League da próxima temporada. Nos 90 minutos, brilhou a estrela de Marcus Rashford.

O jovem atacante de 20 anos abriu o placar aos 14 minutos de partida. Após bola enfiada por Lukaku, o inglês deixou Alexander-Arnold na saudade e bateu bonito para balançar as redes.  Com um visitante sem muita criatividade para chegar à área, era mais provável os Red Devils ampliarem a vantagem do que o Liverpool empatar. E foi exatamente o que aconteceu. Novamente com Rashford, que aproveitou a bola que sobrou na área e finalizou de forma semelhante ao primeiro gol, aos 24 minutos.

Na segunda etapa, nada mudou. Os Reds seguiam alçando bola na área, chutando de longe, mas nada muito efetivo. Nem Salah, nem Firmino e nem Mané conseguiam salvar. Esse último, ao menos, participou do gol que diminuiu o placar. O senegalês arrancou pela linha esquerda da grande área e cruzou. Eric Bailly se enrolou para cortar a bola e jogou contra o próprio patrimônio, para a surpresa de De Gea. No entanto, não passou disso. Vitória do time da casa, que agora soma 65 pontos na segunda posição, nove à frente do Chelsea, primeiro fora do G-4. O time do técnico Jürgen Klopp, por sua vez, perdeu o terceiro lugar na tabela e agora está em 4º, com 60 pontos.

Everton 2 x 0 Brighton

O Everton encerrou a série de cinco jogos sem derrota do Brighton e, mais do que isso, voltou a vencer após duas derrotas consecutivas. A vitória serviu para dar tranquilidade maior para uma possibilidade de Z-3 que já era bem remota.

Para abrir o placar, porém, os Toffess precisaram da ajuda do time visitante – e só o faria depois do intervalo. Yannick Bolasie trouxe a bola pro meio e cruzou no segundo pau. A bola fatalmente encontraria Theo Walcott, mas Gaëtan Bong conseguiu cortar antes da chegada do atacante inglês. Entretanto, o camaronês desviou para a própria meta e Mat Ryan não pôde evitar o gol.

O time da casa ainda ampliou a vantagem 15 minutos depois. Leighton Baines achou Cenk Tosun dentro da área. O turco dominou e bateu bonito, sem chances para o goleiro adversário. Com o 2 a 0, ficou fácil para o Everton dominar a partida, principalmente depois Anthony Knockaert foi expulso. Wayne Rooney teve a chance de fazer o terceiro, de pênalti, mas dessa vez Mat Ryan salvou e evitou o gol. Os Toffees recuperaram as duas posições perdidas nas duas últimas rodadas e agora estão em 9º lugar, com 37 pontos. Já o Brighton desce um degrau, agora em 11º, com 34 pontos.

Huddersfield 0 x 0 Swansea

O empate no John Smith’s Stadium não foi bom para nenhuma das duas equipes, é verdade. Porém, o Swansea tem motivos para estarem felizes com o ponto conquistado fora de casa. Afinal, desde os 11 minutos de jogo, os galeses jogaram com um a menos.

Jordan Ayew fez falta em Jonathan Hogg e o árbitro deu vermelho direto para o ganês. Com um a mais, o Huddersfield massacrou. Foram 81,2% de posse de bola e 30 – isso mesmo, 30! – finalizações, contra nenhuma do adversário. Mas faltou direção. Somente quatro foram ao gol e nenhuma foi suficiente para vencer o polonês Lukasz Fabianski.

Assim, o Swansea perdeu uma posição na tabela, em 14º com 31 pontos, uma posição acima dos Terriers, que têm a mesma pontuação. O fantasma do Z-3 ainda é bem real para ambas as equipes.

Newcastle 3 x 0 Southampton

Teve brasileiro que desencantou e resolveu a partida no St. James’ Park. Kenedy, cria do Fluminense, demorou seis jogos para balançar as redes pelo Newcastle, mas não poderia ter escolhido melhor hora pra isso. No confronto direto com Southampton pela fuga da zona de rebaixamento, o atacante fez dois gols e colaborou na vitória por 3 a 0.

O primeiro deles foi um golaço. Após cruzamento de Jonjo Shelvey pela direita, o camisa 15 dominou no peito já tirando da marcação, girou e evitou o goleiro Alex McCarthy para abrir o placar aos 2 minutos de jogo. Ainda no primeiro tempo, ele faria outro. Em rápida transição, os Magpies chegaram ao ataque trocando passes, até que Dwight Gayle encontrou o brasileiro livre dentro da área, que só teve o trabalho de empurrar para as redes.

Na segunda etapa, houve espaço para mais um. Matt Ritchie pediu a bola e recebeu na entrada da área para bater bonito, colocado, no canto direito de Alex McCarthy, que não alcançou. Números finais dados à partida e um certo sossego para o Newcastle, que subiu três posições e está com 32 pontos, na 13ª colocação. Do outro lado, o Southampton segue flertando com o Z-3, sendo a primeira equipe fora dele, na 17ª posição, com 28 pontos.

West Bromwich 1 x 4 Leicester

O Leicester tomou um susto no início da partida, mas conseguiu se organizar e encontrou forças para virar a partida e golear o lanterna da competição. Em uma boa atuação da dupla Vardy e Mahrez, os Foxes enfiaram 4 a 1 e voltaram a vencer na Premier League após cinco partidas.

Aos 8 minutos de jogo, Oliver Burke ganhou da marcação pela direita e cruzou forte para a entrada da pequena área. O artilheiro do West Brom na competição, Salomón Rondón, apareceu como um raio para desviar e abrir o placar. Depois disso, os donos da casa só incomodariam Kasper Schmeichel com uma bola no gol mais uma vez. O Leicester dominou as ações da partida e, ainda no primeiro tempo, empataria o duelo. E que golaço… Riyad Mahrez lançou Jamie Vardy nas costas da defesa. O inglês ajeitou o corpo e bateu sem deixar a bola cair, no cantinho. Ben Foster não teve nem reação. Assim terminou a etapa inicial.

Depois do intervalo, o Leicester fez uma exibição digna de um campeão inglês. Aos 17 minutos, Kelechi Iheanacho encontrou Mahrez, que teve tempo e espaço para tirar de Ben Foster e virar o jogo. Mais tarde, o próprio Iheanacho aproveitaria o cruzamento de Ben Chiwell e faria de cabeça o terceiro dos Foxes, aos 31 minutos. Já nos acréscimos, também de cabeça, Vicente Iborra deu números finais à partida.

O reencontro com a vitória permitiu aos visitantes a manutenção do 8º lugar na competição, agora com 40 pontos. Já o West Brom segue na lamúria da última posição, com 20 pontos na competição e sem muita perspectiva de continuar na Premier League na próxima temporada.

West Ham 0 x 3 Burnley

Um jogo em que o destaque, infelizmente, não ficou para os gols, para as jogadas ou para o espetáculo em si. Ameaçado pela zona de rebaixamento e vindo de duas derrotas consecutivas de 4 a 1, o West Ham precisava reagir e contava com a força de jogar em casa. Do outro lado, tinha o Burnley, que após 11 rodadas sem vencer, finalmente conseguiu conquistar três pontos na última partida e queria engatar uma segunda vitória. E foi o que aconteceu.

Com um belo gol de Ashley Barnes (um chutaço no ângulo direito), já no segundo tempo, as coisas começaram a fugir do controle. Um torcedor invadiu o gramado e se dirigiu ao centro do campo. Mark Noble, capitão dos Hammers, derrubou o invasor, empurrando-o para fora do gramado, até ser contido pelos seus companheiros de equipe. Outro rapaz pegou a bandeirinha de escanteio e levou ao círculo central. Dessa vez, Collins foi quem partiu para cima. Outros espectadores invadiram as quatro linhas, e a segurança teve trabalho para agir. Nas arquibancadas, torcedores protestavam veementemente contra os jogadores no banco de reservas. A confusão foi tanta que algumas crianças foram colocadas no banco de reservas do Burnley, por segurança. Foram três minutos de paralisação.

De volta ao jogo, mais dois gols. Duas vezes de Chris Wood, para os visitantes. Primeiro, em bola que passeou pela área e o encontrou livre para empurrar para as redes. Depois, em rebote cedido por Joe Hart. Com o placar definido e um clima de tensão, o jogo foi encerrado com dois minutos apenas de acréscimo. O West Ham desceu duas posições na tabela e agora é o 16º com 30 pontos – três acima do Crystal Palace, que encabeça o Z-3. O Burnley, de volta ao campeonato, está em 7º com 43 – cinco a menos que o Arsenal, na zona de classificação para a Liga Europa.

Chelsea 2 x 1 Crystal Palace

O Chelsea voltou a vencer na hora certa – se bem que não há hora ruim para voltar a vencer, não é mesmo? Porém, após quatro derrotas nos últimos cinco jogos e com a vaga da Champions League ficando distante, os Blues conseguiram vencer o Crystal Palace dentro de casa e, mais do que isso, aproveitaram-se da derrota do Liverpool para encostar novamente no G-4.

Quem abriu o placar foi um rapaz que acostumou-se a decidir nas últimas partidas. Willian, mais uma vez, foi importante no jogo e, aos 25 minutos, após partir da lateral esquerda para dentro, até a entrada da área, bateu rasteiro sem muita força, mas o suficiente para Wayne Hennessey não chegasse à bola, que ainda tocou na trave antes de entrar. O segundo gol veio após uma jogada muito bem trabalhada pelos donos da casa, que tocou até a bola entrar com uma ajuda do adversário. Davide Zappacosta recebeu dentro da área e bateu rasteira para a pequena área. Martin Kelly tentou afastar, mas jogou nas costas do seu goleiro e, impiedosamente, a bola voltou em seu joelho antes de ultrapassar a linha do gol.

Os Eagles tiveram uma boa chance de diminuir a vantagem ainda no início da segunda etapa, quando Alexander Sorloth aproveitou a bobeira na saída de bola da defesa adversária e chutou forte para tirar de Thibaut Courtois, mas acertou a trave. O Chelsea também acertou a trave com Olivier Giroud, mas quem balançaria as redes mais uma vez seriam os visitantes. Patrick van Aanholt recebeu um bom passe e invadiu a área, tocando entre as pernas de Courtois para diminuir o placar. De qualquer forma, era tarde demais e assim terminou o jogo.

O Chelsea agora tem 56 pontos, quatro a menos que o Liverpool, que está no G-4. O Crystal Palace perdeu a chance de sair da zona de rebaixamento e segue em 18º lugar com 27 pontos.

11/03 – DOMINGO

Arsenal 3 x 0 Watford

Mais um grande que se recuperou na competição. A péssima fase do Arsenal trazia desconfianças por parte da torcida, que já pressionava pela saída de Arsène Wenger, além da possibilidade de perder a vaga na Liga Europa. Do outro lado, vinha um Watford embalado e confiante. Porém, na hora que a bola rolou, tudo isso ficou para fora do campo e os Gunners construíram uma bela vitória.

O primeiro gol veio logo aos 7 minutos. Mesut Özil cobrou falta na área e Shkodran Mustafi subiu e testou firme para abrir o placar. No lance seguinte, praticamente, o Watford teve a chance de empatar, mas Petr Cech salvou os mandantes. Mais tarde, o goleiro tcheco faria mais uma boa defesa em cobrança de falta feita por Richarlison. Ambas as equipes teriam boas chances de alterar o resultado ainda no primeiro tempo, mas não conseguiram.

Depois do intervalo, só deu Arsenal. Primeiro, aos 14 minutos, com Aubameyang. O gabonês recebeu bom passe de Mkhitaryan, limpou Karnezis e empurrou para a meta sem goleiro. Nem mesmo o pênalti assinalado pelo árbitro a favor do Watford foi o suficiente para mudar o rumo da partida – Petr Cech acertou o canto e pegou o chute de Troy Deeney. Henrikh Mkhitaryan, aos 32 da etapa complementar, fez mais um e definiu o duelo.

Com a vitória, os Gunners mantiveram a distância de cinco pontos para o Burnley e agora têm 48, na 6ª posição. Já o Watford teve sua sequência brecada, perdeu uma posição e agora é o 10º, com 36 pontos.

Bournemouth 1 x 4 Tottenham

O Tottenham conseguiu superar a ressaca da eliminação na Champions League no meio da semana e bateu o Bournemouth mesmo fora de casa. Porém, a goleada aplicada trouxe mais uma preocupação: Harry Kane. O artilheiro inglês torceu o tornozelo em dividida com o goleiro adversário e preocupa não só os Spurs, mas também a seleção.

A partida já começou com um susto quando Junior Stanislas abriu o placar para a equipe da casa. A jogada começou com um cruzamento de Adam Smith que partiu da direita e encontrou o inglês do outro lado da área com tempo de dominar, posicionar o corpo e bater cruzado, sem chances para Hugo Lloris. Quando nada poderia ser pior, veio a lesão de Harry Kane, que foi substituído aos 34 minutos do duelo. Porém, tão logo ele saiu, o Tottenham igualou o marcador. Serge Aurier recebeu com boas condições de cruzar no lado direito e assim o fez. A bola encontrou Dele Alli dentro da área, que desviou para o gol e definiu os números da etapa inicial.

Depois do intervalo, mais gols do visitante – e mais uma vez brilhou a estrela do sul-coreano Son Heung-Min. Primeiro, ele aproveitou o bom cruzamento de Dele Alli e bateu de primeira, sem deixar a bola cair, para virar o placar. Depois, ele saiu com o campo de defesa do adversário vazio, carregou até a área, viu a chegada do companheiro e, ao invés de tocar, preferiu driblar o bósnio Asmir Begovic para fazer o terceiro dos Spurs na partida, aos 43 minutos. Já nos acréscimos, Serge Aurier faria mais e decretaria o resultado final.

A vitória fez com que o Tottenham subisse uma posição na tabela e agora está em 3º lugar, com 61 pontos. O Bournemouth segue estagnado no 12º lugar, com 33.

12/03 – SEGUNDA-FEIRA

Stoke 0 x 2 Manchester City

Sem surpresas no jogo entre o líder e o vice-lanterna da Premier League. O Manchester City não teve dificuldades para passar pelo Stoke e segue a passos largos para levantar a taça do campeonato inglês. Agora, nove pontos separam a equipe de Pep Guardiola do título.

O triunfo sobre os Potters contou com dois gols de David Silva. O espanhol chegou aos 8 gols na competição e teve a ajuda de Sterling, que deu a assistência para o primeiro, e Gabriel Jesus, de volta ao time titular e contribuindo com um passe para o segundo tento da partida.

Os próximos dois confrontos que podem definir a competição para os Citizens são Everton e o arquirrival Manchester United, nos dias 31 de março e 7 de abril. A partida contra o Brighton, válida pela próxima rodada, não tem data definida.

O Manchester City segue isolado na liderança, com 81 pontos, enquanto o Stoke está na luta para sair do Z-3, ocupando a 19ª posição com 27 pontos.

Confira a classificação completa:

[soccer-info id='2′ type='table' /]

Redação FNV

Sobre Redação FNV

Redação Futebol na Veia já escreveu 1625 posts nesse site..

Um site destinado ao esporte que corre na veia da maioria dos brasileiros: O futebol! No nosso site você encontra tudo sobre o futebol, tanto nacional, quanto internacional, além de poder acompanhar nossos palpites e análises para os jogos da semana e as belas musas

BetWarrior


Poliesportiva


Redação FNV
Redação FNV
Um site destinado ao esporte que corre na veia da maioria dos brasileiros: O futebol! No nosso site você encontra tudo sobre o futebol, tanto nacional, quanto internacional, além de poder acompanhar nossos palpites e análises para os jogos da semana e as belas musas

Artigos Relacionados

Topo