City vence mais uma e está a uma vitória do título

- Taça poderá vir contra United na próxima rodada; Tottenham e West Ham também saem por cima no fim de semana

A reta final da Premier League chega nos seus momentos de definição. O Manchester City venceu o Everton fora de casa e pode conquistar o campeonato já na próxima rodada, contra o arquirrival United. Os Red Devils passaram pelo Swansea por 2 a 0 e agora obrigam os Citizens a vencê-los caso queiram erguer o caneco. Na parte de baixo da tabela, continua a péssima fase do West Bromwich, que pode ser rebaixado já nas próximas semanas, enquanto o West Ham deu um passo importante para a permanência na primeira divisão. Confira como foi a 32ª rodada, mas, mais do que nunca, não perca por esperar a 33ª.

 PREMIER LEAGUE – 32ª RODADA

31/03 – SÁBADO

Crystal Palace 1 x 2 Liverpool

Foto: premierleague.com

O Crystal Palace bem que assustou a torcida visitante no Selhurst Park, em Londres, mas no final deu a lógica. O Liverpool conseguiu a vitória na segunda etapa e deu mais um importante passo para a classificação à Champions League.

Os Eagles já tinham levado perigo com Wilfried Zaha quando o marfinense foi atingido por Loris Karius dentro da área. O árbitro Neil Swarbrick assinalou penalidade máxima, convertida por Luka Milivojevic aos 13 minutos de partida. Os Reds pressionavam pelo gol de empate, até que Sadio Mané balançou a rede aos 29 minutos. Porém, a comemoração foi interrompida após o árbitro confirmar impedimento na jogada. Sem conseguir furar a defesa adversária, o primeiro tempo terminou com vantagem para os mandantes.

Após o intervalo, a igualdade no placar logo viria. Aos quatro minutos, James Milner cruzou rasteiro com força e Sadio Mané desviou para as redes – dessa vez, sem impedimento. Os visitantes dominavam as ações do jogo, mas o Crystal Palace, por duas vezes, teve nos pés de Christian Benteke a chance de passar à frente do placar novamente – as duas em erros do adversário. Depois de tanto tentar, o Liverpool finalmente viraria o placar. Para variar, mais um gol de Mohamed Salah, artilheiro isolado da Premier League, com 29 gols. Após cruzamento de Andrew Robertson, o egípcio teve tempo e espaço para dominar e chutar da entrada da pequena área. Fim de jogo.

O fim de semana só não foi perfeito para os Reds porque o Tottenham venceu o clássico contra o Chelsea e segue na cola, com um jogo a menos. Dessa forma, o time de Jürgen Klopp segue na terceira posição, com 66 pontos, mas pode futuramente perder o lugar. Do outro lado, as coisas não estão nada bem para os Eagles. Com 30 pontos no campeonato inglês, a equipe é a 17ª colocada, um degrau acima da zona de rebaixamento. Imediatamente abaixo dela está o Southampton, que tem 28 pontos e também um jogo a menos.

Brighton 0 x 2 Leicester

Foi sofrido, quase no apagar das luzes, mas o Leicester saiu vitorioso do confronto contra o Brighton. Em uma partida sem muitas chances criadas de ambos os lados, foram os pequenos detalhes que fizeram a diferença e definiram o placar.

A verdade é que o resultado poderia ter sido bem diferente se os Seagulls tivessem aproveitado a maior chance que tiveram no duelo quanto ainda estava zero a zero. Aos 32 minutos já da segunda etapa, José Izquierdo foi derrubado por Harry Maguire dentro da área e o árbitro apontou para a marca da cal. A oportunidade ficou nos pés do experiente Glenn Murray, artilheiro do Brighton na competição com 11 gols. Porém, do outro lado, embaixo das traves, Kasper Schmeichel lhe negou a chance de balançar as redes pela 12ª na competição e aquilo mudaria o rumo do jogo.

Cinco minutos depois, o castigo. Ben Chilwell cruzou a bola para o centro da área e encontrou Vicente Iborra, que foi rápido para conseguir sair da posição de impedimento. O espanhol teve certo espaço para cabecear e matar Mat Ryan, abrindo o marcador. Depois, já aos seis minutos de acréscimo, Demarai Gray gingou para cima do defensor, abriu para cruzar rasteiro e encontrou Jamie Vardy na segunda trave, que completou para as redes e deu números finais ao confronto.

Com a derrota e a combinação de resultados do fim de semana, o Brighton perdeu duas posições e agora é o 13º colocado, com 34 pontos – apenas seis acima do Z-3. Já o Leicester segue na briga pela remota chance de classificação à Europa League, com 43 pontos no oitavo lugar.

Manchester United 2 x 0 Swansea

Foto: premierleague.com

Sem sustos, o Manchester United passou pelo Swansea dentro de casa e obrigará o arquirrival a vencê-lo na próxima rodada caso queira erguer a taça. O placar da partida contra os galeses foi construído ainda na primeira etapa.

Logo aos cinco minutos de jogo, Alexis Sánchez recebeu dentro da área, dominou e tocou para Romelu Lukaku. O belga dominou com a direita e finalizou com a esquerda. A bola ainda desviou na defesa e entrou no ângulo direito do goleiro Lukasz Fabianski. Sem deixar o adversário respirar, os Red Devils tiveram pelo menos três boas chances para ampliar o marcador em menos de 15 minutos, até que, aos 20, Jesse Lingard encontrou Alexis Sánchez nas costas da defesa. O camisa 7 carregou até a entrada da área e chutou firme no canto direito para ampliar a vantagem.

No final do primeiro tempo, o United ainda faria mais um, de novo com o chileno, mas o auxiliar levantou a bandeira para confirmar a posição irregular de Romelu Lukaku, que havia dado o passe para Sánchez. Depois do intervalo, os Swans até ameaçaram os donos da casa. A primeira boa chance dos visitantes veio somente aos 13 minutos da etapa complementar, quando Tommy Abraham girou rápido em cima da marcação e bateu forte para a boa defesa de De Gea. O camisa 10 do Swansea ainda obrigaria o espanhol a fazer mais uma boa defesa um minuto depois. Em seguida, Martin Olsson dominou dentro da área e balançou as redes de De Gea, mas o jogo já estava parado por falta do defensor em cima de Antonio Valencia. Ao final, o 2 a 0 permaneceu.

O Swansea volta a ficar de olho em quem vem de baixo. Com 31 pontos, os galeses estão somente três acima do Z-3, na 15ª posição. O Manchester United mantém a vice-liderança e agora, na próxima rodada, tem um duelo que poderá definir o campeão da Premier League. Os Red Devils enfrentam o Manchester City no sábado, às 13h30, no Etihad Stadium. Em caso de vitória dos Citizens, o título fica matematicamente garantido para a equipe de Pep Guardiola. Qualquer outro resultado adiará a festa.

Newcastle 1 x 0 Huddersfield

Mais uma partida definida no último terço da segunda etapa. Apesar de dominar a partida e levar mais perigo, o Newcastle precisou de 80 minutos para fazer o único gol do duelo contra o Huddersfield.

O confronto valia a paz em relação à zona de rebaixamento. Uma vitória empurraria o adversário para baixo e daria certo conforto na fuga do Z-3. Por isso os Magpies pressionaram desde o início. A chance mais perigosa saiu por pouco ao lado direito do gol do Huddersfield. Jonjo Shelvey pegou da entrada da área e chutou com força, mas a bola passou a centímetros da trave.

Na segunda etapa, com um pouco mais de equilíbrio, o Newcastle seguiu com as melhores chances criadas. Até que a dez minutos do fim do tempo regulamentar, Ayoze Pérez tirou o grito da garganta dos mais de 50 mil torcedores no St. James’ Park. Jonas Lössl saiu com as mãos para cortar um cruzamento que veio da direita, mas a bola sobrou nos pés de Kenedy. O brasileiro teve calma, enxergou o espanhol sozinho na entrada da pequena área com o gol livre e rolou para que o atacante tivesse só o trabalho de completar para as redes.

O triunfo importantíssimo deixa os donos da casa a sete pontos da zona da degola com um jogo a menos que alguns de seus adversários diretos. Agora, o Newcastle tem 35 pontos e ocupa o 12º lugar na tabela. Já o Huddersfield precisa abrir o olho: os 31 pontos conquistados pela equipe os deixa na 16ª posição, duas acima do Z-3.

Watford 2 x 2 Bournemouth

O único empate da rodada veio da partida que menos tinha algo em jogo, mas que ainda assim apresentou um bom espetáculo para quem a assistiu. Watford e Bournemouth, de rostos colados na classificação e no meio da tabela, ficaram iguais no placar e não se mexeram no campeonato.

O primeiro gol veio aos 13 minutos. E que belo gol! José Holebas cruzou da marca de escanteio na esquerda e achou Kiko Femenía na entrada da área. O espanhol finalizou de primeira, sem deixar a bola tocar no chão, e abriu o marcador. O empate dos visitantes aconteceria ainda antes do intervalo. José Holebas mais uma vez colaboraria, só que dessa vez para o adversário, ao tocar na bola com a mão dentro da área. Andy Madley assinalou penalidade máxima, convertida por Joshua King, aos 43.

No segundo tempo, os Hornets passaria à frente mais uma vez. Aos três minutos, Will Hughes se livrou da marcação dentro da área e rolou para Roberto Pereyra, que encontrou espaço entre as pernas do defensor para finalizar no canto esquerdo de Asmrir Bergovic. Mas como nada na Premier League é fácil, o empate só poderia vir nos acréscimos. Aos 47, a defesa dos donos da casa vacilou e a bola cabeceada por Nathan Aké sobrou para Jermain Defoe. O experiente atacante, que saiu do banco na etapa complementar, não perdoou e balançou as redes, definindo o placar.

Bournemouth e Watford seguem com campanhas praticamente iguais: respectivamente, 10º e 11º colocados, com 37 pontos em 32 jogos.

West Bromwich 1 x 2 Burnley

O Burnley, de olho na Liga Europa, cumpriu com a obrigação e, mesmo fora de casa, venceu o lanterna da Premier League por 2 a 1 sem muitas dificuldades.

O placar foi aberto logo na primeira etapa, aos 22 minutos. Aaron Lennon encarou a marcação do lado direito e cruzou. Ashley Barnes se posicionou e bateu com estilo para colocar o Burnley na frente e definir o resultado até o intervalo. Salomón Rondón ainda obrigou Nick Pope a fazer boa defesa após cabeçada antes do árbitro mandar as equipes pro vestiário.

Já no segundo tempo, aos 28 minutos, Chris Wood recebeu dentro da área, limpou a marcação num corte seco e bateu pro gol. Ben Foster rebateu a bola pro alto e ela voltou para Chris Wood, que completou de cabeça e ampliou a vantagem. Após o segundo gol, alguns dos pouco mais de 23 mil torcedores presentes começaram a deixar as arquibancadas. Estes não viram Rondón diminuir o placar. O venezuelano dominou a bola lançada por Jonny Evans e bateu firme para fazer seu sexto gol na competição, e foi só.

O Burnley, com 46 pontos na sétima posição, segue na cola do Arsenal. A distância de cinco pontos já foi maior e a Liga Europa continua nos planos. Já o West Brom começa a contagem regressiva. Em 20º, a equipe está a dez pontos de sair da zona de rebaixamento, com apenas mais 18 a serem disputados.

West Ham 3 x 0 Southampton

No duelo de duas equipes ameaçadas pelo rebaixamento, melhor para o time da casa. Os Hammers não tomaram conhecimento do Southampton e deu um importante passo para permanecer na Premier League.

O resultado foi todo construído no primeiro tempo. O placar foi aberto por João Mário, que recebeu na entrada da área, dominou e chutou forte para vencer Alex McCarthy aos 13 minutos de jogo. O segundo gol demorou mais quatro minutos para sair. Marko Arnautovic precisou de duas chances para balançar as redes. Na primeira, de cabeça, Alex McCarthy espalmou. No rebote, o camisa 7 não perdoou e ampliou a vantagem. Antes do intervalo, já nos acréscimos, Arnautovic mais uma vez recebeu cruzamento na área e completou de direita para o fundo das redes, dando números finais à partida.

Com a vitória, o West Ham subiu duas posições na tabela e agora é o 14º, com 33 pontos – cinco a mais que o Southampton, que está no 18º lugar, encabeçando o Z-3.

Everton 1 x 3 Manchester City

Foto: premierleague.com

O Manchester City alcançou sua 27ª vitória na Premier League e agora está a um triunfo de garantir o título. Os 3 a 1 sobre o Everton em pleno Goodison Park veio sem sustos e agora a equipe se prepara para enfrentar o arquirrival United no sábado, dentro de casa.

Intenso, o City abriu o placar aos quatro minutos de jogo. David Silva evitou a saída da bola pela linha de fundo e cruzou para Leroy Sané, que pegou de primeira e não deu chances de defesa a Jordan Pickford. O segundo gol foi brasileiro. Gabriel Jesus voltou a balançar as redes, dessa vez de cabeça, após cruzamento de De Bruyne. Foi o nono gol do atacante da seleção brasileira. Ainda no primeiro tempo, aos 37, Raheem Sterling aproveitou mais um cruzamento de David Silva vindo da esquerda e fez o terceiro dos Citizens. O Everton conseguiu descontar na etapa complementar, aos 18 minutos, numa jogada individual. Yannick Bolasie encarou a marcação e abriu espaço para bater da entrada da área. A bola tocou a parte inferior da trave direita de Ederson antes de morrer no fundo do gol.

A derrota deu uma esfriada nos Toffees, que ainda almejavam uma vaga na Liga Europa. Agora, certamente, ficou mais difícil – além do Arsenal, que por enquanto assegura a vaga, Burnley e Leicester levam vantagem no momento. Do lado do Manchester City, fica a ansiedade pela próxima rodada. O clássico contra o Manchester United pode decretar o campeão do campeonato inglês. Atualmente, os Red Devils podem, na melhor das hipóteses, chegar aos 89 pontos. Uma vitória do City na próxima rodada reduz a possibilidade para 86 pontos, ao mesmo tempo que leva os Citizens aos 87, já sem chances de alcance por parte do vice-líder. O jogo entre Manchester City e Manchester United será no sábado, às 13h30.

01/04 – DOMINGO

Arsenal 3 x 0 Stoke

Foto: premierleague.com

O torcedor dos Gunners teve que sofrer até os momentos finais da partida contra o vice-lanterna da competição. Apesar do placar sugerir uma exibição tranquila dos donos da casa, quem assistiu o jogo sabe que não foi dessa maneira. O primeiro gol saiu somente no terço final da segunda etapa, de pênalti. Antes disso, muita coisa rolou.

Na primeira etapa, o Arsenal não fez valer o favoritismo e não conseguiu dominar as ações do jogo como gostaria. Antes do intervalo, uma bola perigosa para cada lado. Primeiro, o Stoke assustou com Xherdan Shaqiri, que colocou curva na finalização e tirou tinta da trave direita de David Ospina. Mais tarde, o Arsenal respondeu com Aaron Ramsey. O galês pegou a sobra dentro da área e tentou encobrir Jack Butland, mas a bola tocou no travessão e saiu por cima da meta.

Após o intervalo, os anfitriões voltaram um pouco melhor, mas ainda esbarravam na defesa adversária. Calum Chambers teve tudo para abrir o placar após cobrança de escanteio, mas não conseguiu colocar força na finalização e Butland agarrou firme no centro do gol. Até que aos 30 minutos, Martins Indi derrubou Mesut Özil na área e Craig Pawson assoprou o apito para marcar o pênalti. Pierre-Emerick Aubameyang foi para a cobrança e converteu com tranquilidade, tirando o goleiro da jogada, para fazer seu quinto gol na Premier League. Festa e alívio nas cadeiras do Emirates Stadium, que veriam ainda mais dois gols nos minutos restantes. Aubameyang aproveitou cobrança de escanteio para bater com força e ampliar a vantagem aos 41 minutos, enquanto Alexandre Lacazette decretou o placar aos 44 com mais uma cobrança de pênalti bem batida.

Para os visitantes, a situação começa a ficar preocupante. Com três derrotas seguidas e oito rodadas sem vencer, o Stoke tem 27 pontos na 19ª posição e está a três pontos do Crystal Palace, primeiro fora da zona de rebaixamento. O Arsenal, por sua vez, engata a segunda vitória consecutiva após vir de uma sequência negativa e ganha força para garantir a classificação à Liga Europa na reta final do campeonato inglês, com 51 pontos em sexto lugar.

Chelsea 1 x 3 Tottenham

Foto: premierleague.com

O Tottenham deu sequência na ótima fase – são agora 12 jogos invictos – e engatou a quinta vitória consecutiva sobre o Chelsea, rival de Londres que está na briga direta pelo G-4.

Em um jogo equilibrado, os Spurs mostraram maior eficiência e saíram com a vantagem no placar, mas quem começou pressionando foram os donos da casa. Willian arriscou a primeira de fora da área, aos 18 minutos, e Hugo Lorris espalmou. Na sequência, Marcos Alonso recebeu dentro da área e completou para o gol, mas o árbitro já marcava impedimento. O duelo seguiu equilibrado e, aos 29 minutos, após saída equivocada do goleiro do Tottenham, Alvaro Morata completou de cabeça para o gol livre.

O Tottenham respondeu aos 39 minutos, com Christian Eriksen. O dinamarquês bateu forte de fora da área e Willy Caballero defendeu em dois tempos. Seis minutos mais tarde, o camisa 23 arriscaria mais uma vez, de mais longe. Dessa vez, o goleiro do Chelsea não conseguiu evitar. Empate no placar e fim da primeira etapa.

Na segunda etapa, os visitantes voltaram mais ligados. Primeiro, aos quinze minutos, Son Heung-Min buscou o ângulo e Caballero espalmou para longe. Dois minutos depois, Dele Alli recebeu um ótimo lançamento de Eric Dier, dominou e tocou na saída do arqueiro argentino para virar o confronto. Três minutos depois, o golpe de misericórdia. Son invadiu a área e finalizou em cima de Caballero. A bola voltou para o sul-coreano, que tentou mais  uma vez, mas viu a zaga impedir o gol. Dele Alli brigou pelo rebote e conseguiu empurrar para as redes, fazendo o terceiro dos Spurs. O Chelsea até tentou criar, mas o placar final foi esse.

A vitória deu tranquilidade para o Tottenham que tem uma vantagem de oito pontos para administrar até o fim do campeonato – atualmente, está na quarta posição, com 64 pontos. O Chelsea estaciona nos 56 e fica mais longe do G-4, na quinta posição.

Confira como ficou a classificação:

[soccer-info id='2′ type='table' /]

Guilherme Guidetti

Sobre Guilherme Guidetti

Guilherme Guidetti já escreveu 57 posts nesse site..

Guilherme Guidetti, paulista, nascido em São Caetano do Sul no dia 17 de fevereiro de 1994, mas residente de Santo André desde os primeiros dias de vida. A paixão por futebol vem da família, enquanto o gosto por escrever foi herdado do pai, caminhoneiro. Habilidoso com a canhota – exclusivamente segura a caneta na mão –, realiza diariamente o sonho de ficar perto do esporte através do jornalismo. De apresentador de programa de rádio a assessor de imprensa, sua ainda curta carreira na profissão já foi o suficiente para saber que faz aquilo que mais ama – e o faz com a mesma paixão com que joga bola com os amigos.

BetWarrior


Poliesportiva


Guilherme Guidetti
Guilherme Guidetti
Guilherme Guidetti, paulista, nascido em São Caetano do Sul no dia 17 de fevereiro de 1994, mas residente de Santo André desde os primeiros dias de vida. A paixão por futebol vem da família, enquanto o gosto por escrever foi herdado do pai, caminhoneiro. Habilidoso com a canhota – exclusivamente segura a caneta na mão –, realiza diariamente o sonho de ficar perto do esporte através do jornalismo. De apresentador de programa de rádio a assessor de imprensa, sua ainda curta carreira na profissão já foi o suficiente para saber que faz aquilo que mais ama – e o faz com a mesma paixão com que joga bola com os amigos.

    Artigos Relacionados

    Topo