Ceará 107 anos

Na última quarta-feira (2), o Ceará Sporting Club completou 107 anos de existência. Para esclarecer, o clube que surgiu após uma reunião de amigos em Fortaleza, hoje, figura entre um os principais clubes em ascensão no futebol nacional. Em suma, o clube também tem se destaca quando o assunto é gestão, seja financeira ou de futebol.

LUÍS ESTEVES JUNIOR E PEDRO FREIRE: OS FUNDADORES

Em primeiro lugar, a história teve início após os dois fundadores se encontrarem no antigo Café Art Noveau, que funcionava na Praça do Ferreira. Certamente para que o projeto tivesse êxito, seria necessário contar com mais colaboradores. Na mesma linha, cerca de 24 pessoas estiveram presentes e escolheram Gilberto Gurgel como 1º presidente do então, Rio Branco Foot-ball Club. Na mesma linha, a cor escolhida para a equipe foi: camisas lilases e calções brancos.

O NASCIMENTO DO NOME CEARÁ SPORTING CLUB

Depois disso, um ano após a sua fundação, uma assembleia foi feita para discutir a mudança de nome do clube e eleger uma nova diretoria. Como resultado, a instituição passou-se a chamar Ceará Sporting Club e as cores oficiais do time mudaram: calções brancos e camisas brancas com listras verticais pretas.

PENTACAMPEÃO CEARENSE

Certamente, o maior feito da história do alvinegro de PorangabussuPorangabussu, que é o bairro da capital cearense onde fica a sede do clube – foram os cinco títulos conquistados de 1915 à 1919. Na mesma linha, essa façanha é a que permitiu que a história do clube desse prosseguimento, sendo esse feito, eternizado no escudo desde 2003.

Vice-campeão da Copa do Brasil em 1994

No século passado, o futebol nordestino representado por Bahia, Sport, Náutico entre outros, teve que parar para aplaudir o Ceará em 1994. Da mesma forma, o clube sempre faz boas campanhas no torneio até hoje.

Em suma, acabou não entrando para a galeria de campeões históricos do torneio por muito pouco além, da partida ficar marcada pelo polêmico árbitro Oscar Roberto Godói. O ídolo eterno, Sérgio Alves, estava nessa partida e foi testemunha de mais 80.000 pessoas “no antigo do antigo” Estádio Castelão.

https://twitter.com/CearaSC/status/1027872246667378688?s=20

Tempos sombrios nos anos 2000

A virada do milênio não foi de tempos memoráveis para o vovô. Para esclarecer, o clube ficou afundado em uma crise causada por más gestões de empresários que estavam a frente do clube, e assim, não concluíram a missão de reerguer o time do povo. Por exemplo, salários atrasados, campanhas contra o rebaixamento à série C, denúncias de falta de comida para jogadores eram algumas das pautas dos jornais na época.

Na mesma linha, o torcedor alvinegro era obrigado a ver seu arquirrival subir para a 1ª divisão duas vezes em 2002 e em 2004, se destacando na mídia nacional e ganhando os holofotes enquanto o Ceará se via fadado a falência. Por outro lado, uma instituição marcada pelo “grande povo a te estimular” não poderia acabar. Para resumir, “o jogo iria virar” em algum momento e virou, em 2009.

A era Evandro Leitão: 16 anos depois, a volta para a Série A em 2009

Em primeiro lugar, o torcedor do Ceará aplaude sem pestanejar o nome de Evandro Sá Barreto Leitão, ou somente o Evandro. Em primeiro lugar, o clube que por pouco fechou as portas de 2000 a 2007, saiu da lama para a glória improvável causando um crescimento imensurável que tem reflexos até hoje. Para resumir, Evandro ficou 10 anos a frente do clube.

Em segundo lugar, 2009 arranca lágrimas e nostalgia de qualquer torcedor alvinegro. Mais de uma década e meia depois, o Ceará, que naquele ano, passou quatro rodadas na zona do rebaixamento e uma na lanterna, conseguiu deixar perplexo quem fosse. O vovô conseguiu o acesso ao Campeonato Brasileiro da série A de 2010, terminando a série B em 3º lugar, com 68 pontos.

https://twitter.com/CearaSC/status/1269009237889495045?s=20

Um Ceará “Sul-Americano” em 2011

O Ceará continuava colhendo os frutos mágicos da gestão de Evandro Leitão. Na sequência, após subir a série A 2010, o clube não brigou por rebaixamento. Na mesma linha, o clube fez uma campanha espetacular para o que se imaginava, terminando em 12º lugar e garantindo vaga para a Copa Sul-Americana 2011, ou seja, a 1ª participação do alvinegro no torneio e o 1º do estado a conseguir tal feito.

O Nordeste é nosso: Ceará bicampeão INVICTO da Copa do Nordeste

Como resultado, desde 2013, a Copa do Nordeste tornou-se o principal torneiro regional do país. Consequentemente, o vovô sempre é candidato ao título: são quatro finais e dois títulos até hoje sendo o único bicampeão invicto. Para resumir, os dois títulos foram conquistados de maneira espetacular seja pelo futebol apresentado ou pelos herois de cada uma.

Além, em 2015, Marinho, Magno Alves e Ricardinho foram destaque naquele que era o 1º título inédito do clube onde mais de 60.000 torcedores na Arena Castelão puderam testemunhar tal feito. Posteriormente, o bicampeonato veio em 2020 com um time até então, pouco badalado de frente ao Bahia mais experiente mas, o herói, vulgo “Cléber do Barbalha” não se intimidou com isso e fez a festa do alvinegro.

O Ceará com Robinson de Castro: gestão e uma nova estrutura

Desde o fim de 2015, após a saída de Evandro Leitão para a política, o Ceará tem como mandatário principal Robinson de Castro. Certamente, o presidente alvinegro sentiu a pressão por ter ficado marcado por temporadas abaixo do esperado com escassez de contratações para conquistar títulos e o acesso a série A. Por exemplo, em 2016, o Ceará estava eliminado do campeonato estadual, sucumbiu da Copa do Brasil ainda na 3ª fase e não subiu à série A do Brasileirão.

Entretanto, a gestão de Robinson de Castro deu aquele resultado que o torcedor poderia dar o seu voto de confiança. Administrativo, não era mais um problema para o Ceará. Para esclarecer, o Ceará com Robinson de Castro, é um dos clubes com menos dívidas do país, está na série A há quatro anos seguidos, atrai jogadores de renome pela sua estrutura – Rafael Sóbis, Thiago Galhardo, Fernando Prass entre outros –  e em suma, o clube não atrasa salários desde 2012.

E o Ceará daqui há 107 anos?

Em conclusão, com todos esses atrativos fica difícil pensar que esse Ceará é o mesmo que passou aquele cenário dos anos 2000. Se entre 2000 e 2007 algum jogador passava fome, em 2021, ele se fortalece com a estrutura de academia e cozinha.

Se o clube não pagava salários, hoje, é um dos poucos que paga em dia. Como diz o hino alvinegro, “campeão da popularidade”, o Ceará Sporting Club é um clube de inúmeras conquistas, de respeito e que daqui há 107 anos, haverão outras histórias para outro jornalista contar. Na mesma linha, uma Libertadores, uma Sul-Americana, uma Copa do Brasil? Somente o tempo será capaz de nos traduzir.

Foto Destaque: Reprodução/Dimas Filgueiras

Victor Bezerra
Desde o início da adolescência sempre fui apaixonado pelo jornalismo. De cara, eu já sabia que iria gostar disso. Até porque não é todo jovem que acorda cedo só pra assistir o Bom Dia CE, né? Sigo firme na faculdade de Jornalismo e a minha primeira experiência na área está sendo aqui no Futebol na Veia. Jornalismo social e esportivo sem dúvidas, eu tenho um carinho maior. Personalidade? Organização, responsabilidade e vontade de dialogar com outras pessoas definem o "Victor".

Deixe uma resposta