Bruno Reis, volante da Ponte Preta, projeta disputa acirrada na Série B e reitera foco no acesso

- O jogador tem em seu currículo troféus do Campeonato Série D e C. E nesse ano busca conquistar o B e o tão sonhado acesso à elite do futebol
Bruno Reis

No próximo sábado (08), a Ponte Preta inicia a sua busca pelo tão sonhado acesso para a série A do Campeonato Brasileiro. Após alcançar as semifinais do Paulistão, a Macaca entra forte na luta por uma das vagas. O volante Bruno Reis, que já conquistou os títulos das séries D e C, quando atuava pelo Operário Ferroviário, destacou a dificuldade da série B, mas afirma o que a Ponte entra para brigar pelo acesso.

A série B é um campeonato muito difícil. Nós vamos enfrentar equipes fortes, bem qualificadas. O nosso maior objetivo agora é brigar pelo acesso, um clube como a Ponte Preta merece estar na primeira divisão do futebol brasileiro, e vamos lutar por isso”, disse.

Aliás, nesta temporada, a Macaca já viveu momentos de dificuldades. O clube saiu de virtualmente rebaixada para brigar por uma vaga na final. Por fim, Bruno Reis acredita que essa volta por cima no estadual possa elevar o moral da equipe para a competição nacional.

“Esses jogos finais do Paulistão foram muito importantes para a gente recuperar a nossa confiança. A gente recuperou um espírito de equipes muito forte. Eu acredito que esses jogos vão fazer diferença. Se a gente conseguir manter esse mesmo espírito, essa mesma pegada, a mesma competitividade para série B. Tenho fé que a gente pode fazer um grande campeonato e conseguir consequentemente o acesso”, completou.

Dessa forma, a Ponte Preta terá sua estreia no Campeonato Brasileiro Série B contra o América-MG, no próximo sábado (08), às 21h00 (horário de Brasília), no estádio Canindé.

Foto Destaque: Luiz Guilherme Martins/Ponte Preta

Tathiane Marques

Sobre Tathiane Marques

Tathiane Marques já escreveu 278 posts nesse site..

Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.

BetWarrior


Poliesportiva


Tathiane Marques
Tathiane Marques
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.

    Artigos Relacionados

    Topo