Brasileiros sofrem com grandes “salários” ofertados pela China

Quem disse que no futebol não tem crise?

Com a alta do dólar e a economia chinesa aquecida, muitos times estão sofrendo desfalques. Os reforços em 2016 estão com o freio de mão puxado, e com a saída de tantos jogadores importantes, os campeonatos prometem grandes emoções.

O Tianjin Quanjian foi o time que mais atraiu brasileiros para atuar no futebol chinês e o principal alvo do técnico Vanderlei Luxemburgo tem sido o Corinthians. O Timão perdeu cinco jogadores importantes, como o meio campo Jadson, que recebeu uma proposta bem atrativa, o jogador que fechou contrato por dois anos, vai receber um salário de € 3 milhões, o equivalente a R$ 21,2 milhões e terá um início de campeonato bem conturbado.

Para o estudante de jornalismo e apaixonado por futebol, Fabio Augusto, 20, a China pode oferecer altos salários, “mas o ruim é que não tem a mesma visibilidade que eles têm aqui no Brasil ou na Europa”, e podem ficar longe dos olhos de Dunga para a Seleção Brasileira.

Mas as investidas chinesas não param apenas nas grandes contratações, eles estão investindo em centros de treinamentos (ct) no país para intercâmbios treinamento dos times chineses. A primeira aquisição no Brasil foi o centro de treinamento usado pela seleção de Honduras na Copa de 2014, no interior de São Paulo, por parte do clube Shandong Luneng . O espaço conta com 160 mil metros quadrados, incluindo cinco campos e toda uma infraestrutura voltada para as categorias de base.

O CT recebe jogadores na faixa dos 20 anos e a ideia é tentar “abrasileirar’ o futebol asiático, esses garotos ficarão um mês em terras brasileiras para uma série de amistosos contra inúmeros adversários, em níveis distintos.

Carolina Keyko

Sobre Carolina Keyko

Carolina Keyko já escreveu 53 posts nesse site..

Sou Carolina Keyko Rodrigues, 21 anos, estudante de jornalismo, apaixonada por esportes, música, teatro, gastronomia e fotografia. Já trabalhei como estagiária para a Arquidiocese de São Paulo como gestora de mídias sociais, Estagiária para os Doutores da Web com SEO. Gosto de áreas que me desafiem a escrever, como o futebol, que esta em constantes mudanças, costumo assistir os jogos do Santos com a fanática da minha irmã e acompanho meu pai nos jogos da Portuguesa, pois é, faz parte.

BetWarrior


Poliesportiva


Carolina Keyko
Carolina Keyko
Sou Carolina Keyko Rodrigues, 21 anos, estudante de jornalismo, apaixonada por esportes, música, teatro, gastronomia e fotografia. Já trabalhei como estagiária para a Arquidiocese de São Paulo como gestora de mídias sociais, Estagiária para os Doutores da Web com SEO. Gosto de áreas que me desafiem a escrever, como o futebol, que esta em constantes mudanças, costumo assistir os jogos do Santos com a fanática da minha irmã e acompanho meu pai nos jogos da Portuguesa, pois é, faz parte.

    Artigos Relacionados

    Comments are closed.

    Topo