Braga passa fácil pelo Portimonense e aumenta vantagem no G4 do Português

- Na estreia do técnico Custódio, Bracarenses aumentam para nove pontos a distância para os clubes de fora do G4
Braga e agora

Nesta sexta-feira (6), Braga e Portimonense entraram em campo na abertura da 24ª rodada da Liga NOS. Assim, no Municipal de Braga, os Bracarenses passaram fácil pelos Marafados, especialmente na etapa inicial. Dessa forma, abriram 3 x 0 por intermédio dos gols de Trincão, Raúl Silva e Ricardo Horta. Após anulação do VAR, Aylton Boa Morte ainda descontou nos acréscimos para os visitantes. Logo, com a vitória por 3 x 1, os donos da casa começam a encaminhar a vaga na Europa League. Enquanto que os Alvinegros seguem sofrendo com o fantasma do rebaixamento à Liga Pro.

1º TEMPO

Assim, o Braga começou a partida decidido a definir o jogo logo de cara. Pois, com 7′, a equipe já havia colocado duas bolas na trave. Primeiro, com Ricardo Horta recebendo o pivô de Paulinho e batendo com força. Após, Raúl Silva levantou na área e Paulinho chutou de primeira, mas acertou o travessão do Portimonense. Em seguida, depois de uma boa troca de passes rápidos na intermediária, o Camisa 20 finalizou novamente, mas parou no goleiro. Na sequência, o jogo caiu de intensidade até que, aos 23′, Ricardo Esgalo tocasse para Trincão que arrematou de dentro da área, no entanto mandou para fora.

Desse modo, a primeira boa chegada do Portimonense foi aos 26′ através de um chute de fora da área de Henrique. No entanto, logo depois, Braga retomou o controle e chegou ao gol. Aos 30′, após contra-ataque puxado por Paulinho, ele tocou para Trincão, livre na área, colocar no canto direito de Gonda e abrir o placar para os Bracarenses. Assim, os Marafados ainda esboçaram uma reação após o gol, mas quem seguia criando as melhores chances eram os donos da casa. Logo, aos 44′, depois do arremate de Trincão, que Gonda defendeu, Raúl Silva pegou o rebote e aumentou para os Arsenalistas.

2º TEMPO

Na volta do intervalo, o panorama inicial se manteve. Assim, a 1′, em lance de contra-ataque, Trincão tocou para Ricardo Horta marca o terceiro gol do Braga na partida. Após, aos 13′, em novo contra-ataque, Horta encontrou Paulinho que carimbou a trave do Portimonense. Dessa forma, com o placar elástico, os Bracarenses não produziam mais tanto. Enquanto que os Marafados sofriam para chegar à meta adversária. Logo, apenas aos 23′, os visitantes tiveram sua primeira descida na etapa final. Pela direita, a bola se apresentou para Ricardo Vaz Tê que finalizou de fora da área para boa defesa de Magalhães.

Em seguida, Braga fez pressão. Primeiro, após desvio da zaga, a bola chegou para Fransérgio, de frente com o goleiro, mandar em cima do arqueiro, que se esticou para evitar o quarto gol. Na sobra, Ricardo Esgalo chutou em cima do zagueiro e a redonda foi por cima da baliza. Na sequência, Portimonense levou perigo na cabeçada de de Jadson. Já na reta final, Ricardo Vaz Tê bateu cruzado para diminuir o placar. No entanto, o tento foi anulado pelo VAR que viu impedimento do jogador. Todavia, nos acréscimos, os Marafados balançaram a rede através de Aylton Boa Morte que deu números finais ao confronto.

E AGORA?

Dessa forma, com o triunfo, Braga segue na 3ª e mantém distância confortável para os times de fora do G4, agora, a diferença sobe para nove pontos. Enquanto que Portimonense perde mais uma vez e continua sofrendo com o dilema do rebaixamento, na 17ª colocação com 16 pontos. Agora, na próxima rodada, os Bracarenses visitam Santa Clara, no domingo (15), às 12h (horário de Brasília). Já os Marafados recebem Gil Vicente, no sábado (14), às 12h30 (horário de Brasília).

MELHORES MOMENTOS

Foto Destaque: Reprodução / Time 24 News

BetWarrior


Poliesportiva


Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

    Artigos Relacionados

    Topo