Botafogo busca reforços para o ataque

O Botafogo acertou, na manhã da terça-feira (13), a venda do atacante Matheus Babi para o Athletico Paranaense. Todavia, o clube carioca detinha apenas 30% dos direitos do atleta. O Serra Macaense detém os outros 70%. Então, o Alvinegro irá embolsar cerca de R$ 3 milhões de reais. E este dinheiro será preciso para que o clube carioca busque reforços para seu sistema ofensivo.

Além disso, Matheus Babi foi o segundo nome da posição a deixar o clube. Em fevereiro, Pedro Raul foi vendido ao clube japonês Kashiwa Reysol. Em suma, o atacante chegou ao Glorioso também no ano passado, sem custos aos cofres de General Severiano. E o Botafogo lucrou cerca de R$ 10,7 milhões com a venda. Todavia, não adquiriu reforços para a posição. A crise financeira do clube também agrava a busca por reforços.

Aposta na base

Enquanto isso, Marcelo Chamusca vem utilizando dois nomes da base alvinegra. Então, são eles Rafael Navarro e Matheus Nascimento. Sendo este primeiro, mais usado pelo treinador. Já Matheus Nascimento é o grande xodó da torcida, contudo, vem sendo pouco usado, e busca seu lugar ao sol.

Botafogo cauteloso em suas contratações

A diretoria do Glorioso, comandada por Durcesio Mello, vem sendo muito delicada em suas contratações, para não repetir o feito de 2020. Então, naquela ocasião, o Botafogo adquiriu 26 jogadores, e, principalmente, foram contratações foras da realidade, e que em sua maioria, não responderam a altura. Destaques para Keisuke Honda e Salomon Kalou.

Nesta temporada, o Alvinegro já anunciou 12 jogadores. Entretanto, foram contratações pensando na realidade financeira e futebolística do clube, visando a Série B. Na chegada do diretor de futebol, Eduardo Freeland, o clube carioca ajustou um teto de cerca de 2 milhões de reais, e vem cumprindo muito bem esse teto.

Foto Destaque: Vitor Silva/Botafogo

Avatar
João Victor Freire
Eu escolhi o jornalismo pois é o que eu sei fazer desde criança. Trabalhar com jornalismo esportivo é um sonho que se realiza a partir de agora.