Boca sucumbe ao Argentinos Juniors e sofre terceira derrota na Superliga

- Em La Paternal, o líder Xeneize foi derrotado por 2 a 0; Talleres e San Lorenzo perderam chance de se aproximar dos boquenses

A 18ª rodada da Superliga Argentina de Futebol teve algo incomum: o Boca Juniors perdeu. O Xeneize visitou o Argentinos Juniors e sucumbiu com uma derrota por 2 a 0, em La Paternal, nesta segunda-feira. A equipe boquense entrou despreocupada, com alguns reservas, pois o segundo colocado Talleres e o San Lorenzo já haviam empatado suas partidas no sábado. Portanto, o Azul y Oro segue na liderança, com 43 pontos, e tem uma folga de oito pontos em relação ao Talleres (35), e 11 pontos de diferença para o Independiente, terceiro, e o San Lorenzo, quarto, ambos com 32.

O River Plate empatou por 1 a 1 com o praticamente rebaixado Chacarita, em pleno Monumental de Nuñez. No final do jogo, a torcida millonaria exigiu que o time seja campeão da Supercopa Argentina em cima do Boca Juniors. A decisão será em partida única, no estádio Malvinas Argentinas, na cidade de Mendoza, Oeste da Argentina, no dia 14 de março. Na última sexta-feira, houve três jogos da 18ª rodada (clique aqui para conferir os detalhes).

Superliga Argentina – 18ª rodada

03/03 – Sábado

Tigre 0 x 0 Talleres

O empate por 0 a 0 com o Tigre foi um balde de água fria na esperança do Talleres em tentar o inédito título da Superliga. Em Victoria, na província de Buenos Aires, La T desperdiçou um pênalti e jogou com um homem a mais o segundo tempo inteiro. Com isso, os cordobenhos continuam na vice-liderança, com 35 pontos, a oito do líder Boca Juniors.

O Tigre até que gostou do empate diante da situação da partida. El Matador de Victoria conseguiu somar um ponto importante, para se distanciar da zona da degola. Com o resultado, os comandados do técnico Cristian Ledesma estão na 23ª colocação, com 15 pontos.

Os donos da casa começaram na pressão e não deixaram o Talleres jogar. Já no final do primeiro tempo, houve um pênalti para os visitantes. Ignacio Canuto deu um carrinho e atingiu o meia Juan Ramírez dentro da grande área. O zagueiro uruguaio Lucas Olaza cobrou a penalidade para fora. Depois, nos acréscimos, o Tigre teve um jogador expulso: o volante Sebastián Prediger recebeu o segundo amarelo.

Heroicamente, el Matador de Victoria conseguiu, com uma a menos, segurar o Talleres na segunda etapa. Os cordobenhos tiveram duas chances claras de gols, mas não converteram. A partida terminou 0 a 0, um resultado amargo para la T. Próxima rodada: Talleres x Tucumán (09/03); Boca Juniors x Tigre (10/03).

San Lorenzo 0 x 0 Unión de Santa Fé

O estádio El Nuevo Gasómetro estava cheio, o San Lorenzo jogou com uma camiseta em homenagem às mulheres – por causa do dia internacional das mulheres em 08 de março -, a festa estava bonita, a expectativa era grande. Mas, do outro lado tinha o Unión de Santa Fé, que jogou de igual para igual. A rede acabou não balançando, e a torcida da casa, os cuervos, ficaram frustrados.

O empate dificultou muito a vida do San Lorenzo na corrida pelo título. El Ciclón caiu para a quarta colocação, com 32 pontos, a 11 do líder Boca Juniors. Mesmo com uma partida a menos (contra o Independiente no dia 04 de abril), está complicado para o time do técnico Claudio Biaggio tirar a diferença.

Resultado de imagem para san lorenzo 0 x 0 union

el Tatengue foi à Buenos Aires com o objetivo de conseguir os três pontos, para encostar no G5. No entanto, somou apenas um e figura na nona posição, com 28 pontos, mantendo-se na zona de classificação para a Sul-Americana de 2019.

A partida foi aberta, com ambos os clubes procurando jogo. O San Lorenzo teve a melhor chance para conquistar a vitória, no final do segundo tempo. Numa bola cruzada, da esquerda, sobrou para o zagueiro Matías Caruzzo que, embaixo do gol, chutou fraco e o goleiro Nereo Fernández fez uma boa defesa. Próxima rodada: Huracán x San Lorenzo (11/03); Unión x Temperley (12/03).

Rosário Central 1 x 2 Godoy Cruz

Uma das torcidas mais fanáticas da Argentina, os canalhas lotaram o estádio Gigante de Arroyito, na cidade de Rosário, na província de Santa Fé, para apoiar o Rosário Central. Com um a menos desde o final do primeiro tempo, el Canalla jogou na raça, mas não conseguiu superar o Godoy Cruz, e perdeu por 2 a 1.

Com a derrota, o Rosário Central ficou na 16ª posição, com 24 pontos, e desperdiçou a oportunidade de encostar nos 11 primeiros. Vale destacar a paixão da torcida canalha que, mesmo com o resultado negativo, incentivou o seu time até o final. Já el Tomba foi para a sexta colocação, com 31 pontos, e segue mirando o G5.

O Godoy Cruz foi com tudo para cima do Central e abriu o placar, aos 15 minutos, com Juan Garro. O artilheiro Morro García fez o papel de garçom, cruzando na medida para Garro escorar para o fundo da rede. El Canalla teve um expulso: o zagueiro Fernando Tobio levou vermelho direto, numa disputa com o meia Ángel González. O defensor chutou a bola e depois deixou o pé nas costas de González.

El Tomba ampliou, aos 15 minutos da segunda etapa, com Pol Fernández. O camisa 11 chutou de fora da área, a bola desviou levemente e entrou no cantinho, sem chances para o goleiro Jeremías Ledesma. Inflamado pelo canto da torcida, o Rosário Central, mesmo com um a menos, pressionou o Godoy Cruz, chegando algumas vezes com perigo. Nos acréscimos, Germán Herrera descontou para os canalhas. Próxima rodada: Godoy Cruz x Arsenal (09/03); Vélez x Rosário Central (11/03).

Temperley 1 x 1 Gimnasia de La Plata

O Temperley buscou o empate diante do Gimnasia, no estádio Alfredo Beranger, em Lomas De Zamora, na província de Buenos Aires. El Gasolero jogou melhor, mereceu vencer, mas começou perdendo e igualou no final do segundo tempo, deixando o placar no 1 a 1. O resultado não foi bom para os donos da casa, que lutam para sair da zona de rebaixamento.

Na tabela de descenso, o Temperley é o 26º colocado, com promédio de 1.042 pontos. O Olimpo, 25º, tem 1.053; o Vélez, 24º (primeiro fora da zona da degola), tem 1.180; e o Tigre, 23º, 1.191. Detalhe, o Tigre empatou e o Vélez perdeu. Ou seja, seria uma grande oportunidade para o Temperley respirar um pouco. Já el Lobo é o 19º colocado, com 22 pontos, e segue sem risco de cair.

El Gasolero dominou a partida, pressionou e teve as melhores oportunidades. Mas o futebol é ingrato. O Gimnasia abriu o placar, aos 10 minutos da segunda etapa, com Lorenzo Faravelli. O camisa 8 robou a bola no campo de defesa do Temperley, abriu na esquerda com Brahian Alemán, que tocou de volta para trás na grande área. Lorenzo Faravelli chegou batendo e fez um golaço.

O Temperley seguiu pressionando, com mais posse de bola. O gol de empate foi sair na reta final do segundo tempo. Aos 43 minutos, Emiliano Ozuna marcou, depois de um cruzamento longo, da direita, feito pelo lateral Adrián Scifo. Próxima rodada: Gimnasia x Banfield (09 /03); Unión x Temperley (12 /03).

04/03 – Domingo

Atlético Tucumán 0 x 1 Defensa y Justicia

A torcida tucumana fez uma homenagem bonita ao ídolo Luiz “Pulga” Rodríguez, que se tornou o maior artilheiro do clube. Mas, o Defensa y Justicia estragou a festa, no estádio Monumental José Fierro, triunfando diante do Atlético Tucumán, por 1 a 0, na cidade de San Miguel de Tucumán, Noroeste Argentino.

O duelo era um confronto direto por vaga na Sul-Americana de 2019. Com a vitória, o Defensa y Justicia ultrapassou o Tucumán e foi para a 11ª posição, com 28 pontos. El Decano caiu para a 14ª colocação, com 25 pontos.

Antes do jogo começar, a diretoria tucumana homenageou o experiente atacante e capitão Luis Pulguita Rodríguez. O camisa 7 virou o maior artilheiro da história do Tucumán, com 120 gols, um a mais que Juan Francisco Kila Castro. La Pulga fez seu 120º tento no empate contra o Argentinos Juniors, fora de casa, no dia 17 de fevereiro, pela 16ª rodada.

A homenagem não parou por aí. Depois com a bola rolando, aos sete minutos – mesmo número da camisa do ídolo -, os torcedores sacaram vários panfletos com o 7 estampado. O árbitro Silvio Trucco paralisou a partida, para Luis Pulga Rodríguez retribuir o gesto dos tucumanos.

Só que o Defensa y Justicia não quis saber da festa dos donos da casa e pressionou. El Halcón chegou mais vezes ao ataque, levando perigo ao gol de Augusto Batalla. A rede só foi balançar aos 25 minutos do segundo tempo, com Ciro Rius. O atacante aproveitou rebote do goleiro e marcou o tento da vitória. Próxima rodada: Talleres x Tucumán (09/03); Defensa y Justicia x Belgrano (12/03).

Sul-Americana 2018 O Defensa y Justicia faz o jogo de volta contra o América de Cali, nesta quinta-feira, na Colômbia, pela primeira fase da competição. A primeira partida foi 1 a 0 para os colombianos, na Argentina.

Banfield 1 x 0 Newell’s Old Boys

Vitória apertada do Banfield, mas o suficiente para quebrar a sequência de três derrotas consecutivas na Superliga. El Taladro superou o Newell’s Old Boys, por 1 a 0, no estádio Florencio Sola, em Buenos Aires. O gol que aumentou ainda mais a crise do Newell’s saiu dos pés do artilheiro Darío Cvitanich.

El Taladro é o 17º colocado, com 22 pontos, a seis do Defensa y Justicia, que é o 11º (28) – o último da zona de classificação para a Sul-Americana. La Lepra caiu para a 25ª posição, com 14 pontos, e tem prómedio de 1.266 – sem risco de cair. O Banfield, novamente, não teve seu treinador Julio César Falcioni na beira do gramado. É a segunda vez que o técnico vê a partida pela televisão. Falcioni está se recuperando de uma cirurgia de câncer na laringe.

La Lepra passa por uma crise, na qual teve demissões no plantel do clube. Sem contar com a punição aplicada pela Associação de Futebol Argentino (AFA), descontando três pontos dos rosarinos, por não pagamento de salários. O Newell’s vinha de duas partidas com o técnico interino Fabián Garfagnoli, que substituía Juan Manuel Llop. A diretoria acertou com o treinador Omar De Felippe – já foi auxiliar de Falcioni – que assumiu a equipe nesta segunda-feira.

A partida foi parelha. O Newell’s poderia ter saído na frente logo no começo, com um belo chute de Joaquín Torres. Mas o árbitro marcou impedimento antes, no lance em que, na verdade, outro jogador dos leprosos estava em condição irregular. Depois disso, os visitantes não fizeram muita coisa, e o Banfield jogou melhor. O gol veio num contra-ataque, no final do primeiro do tempo, com Darío Cvitanich. O camisa 20 chegou ao seu sétimo tento na Superliga.

Aos 10 minutos da segunda etapa, o meia Enzo Kalinski recebeu o segundo amarelo e foi expulso, deixando el Taladro com um a menos. La Lepra aproveitou e foi para cima. Porém, os donos da casa seguraram o resultado. Próxima rodada: Gimnasia x Banfield (09/03); Newell’s x San Martín (12/03).

River Plate 1 x 1 Chacarita

A torcida millonaria vem sendo paciente com o River Plate. No empate por 1 a 1, com o praticamente rebaixado Chacarita, os torcedores compareceram ao Monumental de Nuñez e apoiaram seu time. Só que no final da partida, começou a ecoar um grito das arquibancadas: “Que o 14 custe o que custar, o 14 temos que ganhar”. A manifestação da torcida millonaria é referente à final da Supercopa Argentina, contra o arquirrival Boca Juniors, que acontece no dia 14 de março, em Mendonza. O River vai ter que ganhar do Boca custe o que custar!

Imagem relacionada

O River Plate é o 21º colocado, com 20 pontos, e segue numa campanha desastrosa na Superliga. Ganhou apenas cinco vezes, perdeu oito e empatou cinco. Já el Funebrero é o lanterna na tabela de descenso, com promédio de 0.722, e só um milagre pode salvá-lo do rebaixamento.

Além da má fase dentro de campo, o River vem se deparando com erros de arbitragem. Logo no começo de jogo, houve um pênalti em cima de Scocco que o juiz Hernán Mastrángelo não marcou. O atacante ia driblar o goleiro do Chacarita, Pedro Fernández, mas foi derrubado ao ser tocado por um carrinho pelo arqueiro.

Os gols saíram no final do primeiro tempo. Aos 43 minutos, Scocco marcou de pênalti. Não deu tempo nem de comemorar direito, e el Funebrero empatou, com Nahuel Menéndez. O River jogou melhor, merecia vencer, mas é visível que o time do técnico Gallardo está sem confiança.

O treinador vai ter que se reinventar e achar uma maneira de voltar à boa fase. Gallardo está no River desde 2014 e ganhou oito títulos, destaque para Libertadores 2015, Sul-Americana 2014 e o bicampeonato da Copa Argentina 2016 e 2017. Falta um campeonato argentino para o currículo do treinador millonario, que antes treinava o Nacional do Uruguai. Próxima rodada: Chacarita x Racing e Patronato x River Plate (10/03).

Racing 2 x 1 Vélez Sarsfield

Num jogo truncado e com quatro expulsões, o Racing derrotou o Vélez, por 2 a 1, diante de sua torcida, no estádio El Cilindro de Avellaneda, na província de Buenos Aires. A dupla Lautaro Martínez e Ricardo Centurión marcou os dois gols, garantindo a quinta vitória consecutiva do time do técnico Eduardo Coudet. E quem estava no estádio de olho na partida? Jorge Sampaoli. O treinador da seleção argentina mais uma vez assistiu ao jogo do Racing, para ver especificamente o camisa 10, Lautaro Martínez.

Resultado de imagem para racing 2 x 1 velez

La Academia fez o primeiro aos quatro minutos, com Lautaro Martínez. O camisa 10 da celeste meteu de cabeça após cobrança de escanteio. Ambos os times estavam marcando sobre pressão, houve muitos erros de passes e contra-ataques. O Vélez chegou mais vezes ao ataque, obrigando o goleiro Juan Musso a fazer boas defesas – foram duas difíceis.

O empate veio só na segunda etapa, num contra-ataque fulminante do el Fortín. Depois do lateral H. De La Fuente impedir, em baixo do gol, o segundo tento do Racing, a bola foi estourada para o meio-campo. Sobrou para o time do Vélez, que abriu na esquerda e no cruzamento para a grande área, o veterano Mauro Zárate chegou cabeceando para empatar o jogo.

Aos 17 minutos, o atacante e capitão do Racing, Lisandro López, e o lateral De La Fuente, do Vélez, foram expulsos direto num lance fora de jogo. A partida seguiu aberta, com oportunidades para os dois lados. Até que Ricardo Centurión balançou as redes, aos 28 minutos, para o delírio da torcida celeste. Numa roubada de bola, no meio de campo, la Academia puxou o contra-ataque pelo lado direito e cruzou. Centurión cabeceou, e a bola encobriu o goleiro César Rigamonti. No final, teve mais dois cartões vermelhos: o zagueiro Leonardo Sigali, do Racing, e o lateral Brain Cufré, do Vélez.

Com a vitória, o Racing foi para quinta colocação, com 31 pontos, e vai fazendo uma recuperação incrível na Superliga. Já el Fortín está na 20ª posição, com 21 pontos, e segue numa campanha apagada. Sinal de alerta na tabela de descenso, o Vélez é o primeiro fora da zona da degola, com promédio de 1.180. Próxima rodada: Chacarita x Racing (10/03); Vélez x Rosário Central (11/03).

05/03 – Segunda-feira

San Martín de San Juan 0 x 4 Independiente

Nem o Independiente acreditou numa vitória fácil, fora de casa, no estádio Ingeniero Hilario Sánchez, na cidade de San Juan. El Diablo Rojo aplicou 4 a 0 em cima do San Martín, que não esboçou reação. El Santo teve um jogador expulso no segundo tempo – a partida já estava 3 a 0 -, foi a pá de cal no jogo apático dos donos da casa.

O Independiente dominou o primeiro tempo, teve mais volume de jogo. O gol saiu aos 16 minutos, com Martín Benítez. Num lançamento na área, Maximiliano Meza ajeitou de cabeça para Benítez, que chegou batendo, para estufar as redes. Na segunda etapa, el Diablo Rojo continuou dominando o jogo e ampliou, aos sete minutos, com o lateral Fabricio Bustos.

O terceiro gol veio dos pés de Leandro Fernández, aos nove minutos. Num contra-ataque, o atacante Emanuel Gigliotti cruzou na medida para Fernández fazer seu tento de número seis na Superliga. O San Martín mal chegava no gol adversário e, para piorar, teve um jogador expulso aos 31 minutos. O lateral-esquerdo Jonatan Goitía recebeu o segundo amarelo.

O atacante Braian Romero fez de cabeça, aos 38 minutos, para lacrar a vitória do Independiente. Triunfo importante que colocou el Rey de Copas no G5, figurando na terceira colocação, com 32 pontos – a mesma pontuação do San Lorenzo, que é o quarto. Vale lembrar que o Independiente e o San Lorenzo fazem partida pendente no dia 04 de abril. Já o San Martín segue tranquilo na 19ª posição, com 22 pontos. Próxima rodada: Independiente x Argentinos (11/03); Newell's x San Martín (12/03).

Estudiantes de La Plata 1 x 0 Olimpo

O Estudiantes fez o dever de casa e superou o Olimpo, por 1 a 0, no estádio Ciudad de La Plata. El Pincha não teve dificuldades em conquistar os três pontos. O destaque da partida foi o jovem colombiano Juan Otero, que fez o gol da vitória e participou de alguns lances perigosos.

Com o triunfo, o Estudiantes deu um grande passo rumo ao G5. Os platenses foram da 11ª para a sétima posição, com 30 pontos – um a menos do que o Racing, que é o quinto colocado. O Olimpo está numa situação delicada e, bem provável, que vá disputar a B Nacional na próxima temporada. O Aurinegro é o penúltimo, com 12 pontos, e na tabela de descenso é o 25ª colocado, com promédio de 1.053. Próxima rodada: Olimpo x Colón (10/03); Independiente x Argentinos (11/03).

Argentinos Juniors 2 x 0 Boca Juniors

No duelo entre Juniors, o Argentinos levou a melhor. El Bicho Colorado venceu o líder Boca Juniors, por 2 a 0, no estádio Diego Armando Maradona, mais conhecido como La Paternal, em Buenos Aires. Os colorados sufocaram os visitantes, com um futebol bem superior ao Xeneize.

O Argentinos Juniors entrou com muita vontade. Ao contrário do Boca Juniors, que foi para o campo com seis reservas, e já sabendo que o vice-líder Talleres e o San Lorenzo tinham empatado no sábado (0 a 0 com Tigre e 0 a 0 com Unión, respectivamente). E antes do jogo já havia um clima “caliente” por parte dos torcedores colorados por causa de Tevez, que estava na dúvida se ia jogar – acabou sendo poupado pois estava com dores no ombro.

Nas arquibancadas do La Paternal, a torcida xingou Carlitos e mostrou cartazes dizendo: “Tevez cagón!”. Esse ódio ao camisa 32 do Boca nasceu em 19 de setembro de 2015 num confronto entre as duas equipes, em La Paternal, pelo campeonato argentino. Na ocasião, Tevez marcou dois gols na vitória do Xeneize por 3 a 1. Mas o que deixou os torcedores enfurecidos foi a entrada imprudente de Carlitos no volante Ezequiel Ham, que quebrou a perna. Óbvio, a torcida colorada não esqueceu e xingou o boquense na vitória por 2 a 0 nesta segunda-feira.

El Bicho Colorado começou com tudo e abriu o placar, aos nove minutos, com o meia Alexis Mac Allister. O camisa 28 recebeu cruzamento da esquerda e só empurrou a bola para o fundo do gol. O técnico da seleção argentina, Jorge Sampaoli, estava no estádio acompanhando a partida, de olho no atacante boquense Cristian Pavón.

O Argentinos seguiu sendo superior e ampliou o placar, aos 19 minutos da segunda etapa, com Damián Batallini. Num contra-ataque rápido, os colorados abriram na ponta direita e fizeram uma linda triangulação. Na entrada da grande área, Allister tabelou com Nicolás González e tocou para Batallini fechar o placar.

O Argentinos Juniors foi para a 13ª posição, com 27 pontos, encostando na zona de classificação para a Sul-Americana de 2019. O Boca Juniors segue tranquilo na liderança, com 43 pontos, oito a mais do que o segundo colocado, Talleres, e 11 a mais do que o terceiro e o quarto colocados, Independiente e San Lorenzo. Próxima rodada: Boca Juniors x Tigre (10/03); Independiente x Argentinos (11/03).

[soccer-info id='12' type='table' /]

Vitor Hugo Souza

Sobre Vitor Hugo Souza

Vitor Hugo Souza já escreveu 61 posts nesse site..

Futebol é legal. Jornalismo também. Então, faz as contas ⚽��❤ Sou Vitor Hugo Souza, jornalista formado, eterno jogador do “10 minutos ou dois gols”, e em busca da onda perfeita. Chuteiras nos gramados, jogos decisivos, golaços, dribles, time do coração, bastidores, torcida, emoção, tudo isso mexe com o imaginário. Mais do que um esporte, é futebol na veia.

BetWarrior


Poliesportiva


Vitor Hugo Souza
Vitor Hugo Souza
Futebol é legal. Jornalismo também. Então, faz as contas ⚽��❤ Sou Vitor Hugo Souza, jornalista formado, eterno jogador do “10 minutos ou dois gols”, e em busca da onda perfeita. Chuteiras nos gramados, jogos decisivos, golaços, dribles, time do coração, bastidores, torcida, emoção, tudo isso mexe com o imaginário. Mais do que um esporte, é futebol na veia.

    Artigos Relacionados

    Topo