Era para ser a noite de Marquinhos. O maior ídolo do Leão da Ilha fez história mais uma vez. Em cobrança de falta, o experiente meia se tornou o maior artilheiro do Estádio da Ressacada, com 58 gols. O tento marcado ainda ajudava muito o Avaí na luta contra o rebaixamento. O time estaria indo a 38 pontos, e empataria com Coritiba e Vitória, que estão fora da zona da degola.

Mas no meio do caminho tinha Edigar Junio. O atacante marcou duas vezes e decretou a virada do Bahia, que pode começar a sonhar mais alto. Com 45 pontos, o tricolor baiano está garantido na Série A do ano que vem. Segundo o site Infobola, do matemático Tristão Garcia, o risco de rebaixamento do time é zero. Com mais cinco rodadas pela frente, o Esquadrão de Aço agora quer brigar pela vaga na Libertadores.

1º Tempo

Pressionado pelos três jogos sem vitórias que o colocaram na vice-lanterna do Brasileirão, o Avaí começou indo para cima. O Bahia tinha mais posse de bola, mas esbarrava na forte marcação dos anfitriões. O Leão da Ilha teve as melhores chances de gol. Em 15 minutos de bola rolando, os donos da casa já tinham finalizado quatro vezes. Os visitantes, por outro lado, ainda não tinham chutado a gol.

Marquinhos, em cobrança de falta, abriu o placar para o Avaí (Crédito: Frederico Tadeu / Avaí FC)

Aos 16 minutos o veterano Marquinhos quebrou mais um recorde. Em cobrança de falta, o ídolo do Avaí mandou entre a barreira, enganando o goleiro Jean, que “aceitou” o chute. Foi o 58º dele no estádio do Leão da Ilha, tornando-se o maior artilheiro da história da Ressacada.

O gol não mudou o a tônica do jogo. O Bahia continuava com dificuldades de criar chances reais de gol. A oportunidade só surgiu aos 32 minutos, também em bola parada. Juninho, em ótima cobrança de falta, acertou as duas traves de Douglas Friedrich. No rebote, Renê Júnior acabou chutando no defensor do Avaí. Mas a bola sobrou nos pés de Edigar Junio, que mandou uma bomba e estufou as redes.

A igualdade do placar deixou o jogo mais animado. As duas equipes tentaram imprimir mais volume ofensivo para terminar a primeira metade do jogo na frente. Mas o primeiro tempo terminou mesmo tudo igual.

2º Tempo

Os times voltaram sem alterações para a etapa complementar. O Bahia continuou tendo mais posse de bola. Mas, diferente do primeiro tempo, o tricolor melhorou de produção e conseguiu criar mais chances. O setor ofensivo dos baianos levava perigo, obrigando Douglas Friedrich a trabalhar.

Marquinhos teve a chance de ampliar o próprio recorde e dar a vantagem ao Avaí. Aos 17 minutos, em boa troca de passes dos anfitriões, o meia invadiu a área sozinho e ficou cara a cara com Jean. Mas o goleiro saiu bem e salvou o Bahia.

Edigar Junio marca duas vezes e garante a virada do Bahia na Ressacada (Crédito: EC Bahia)

Dois minutos depois Jean quase entregou o ouro. O goleiro foi tentar limpar a jogada e acabou errando feio, deixando a bola de presente para o Avaí. Mas, na hora de concretizar a jogada, Marquinhos prendeu a bola demais e acabou desperdiçando a chance.

Se o Avaí perdeu a chance de definir o jogo, o mesmo não pode ser dito do Bahia. Aos 33 minutos Mendoza deu um passe em profundidade pela esquerda para Allione. O argentino recebeu dentro da área, se livrou da marcação e rolou para trás para Edigar Junio, que mandou para as redes e decretou a virada.

Com vantagem no placar, o Bahia administrou o resultado e garantiu a vitória.

Entrou para a história

Marquinhos é o maior ídolo da história do Avaí. Mas o gol que abriu o placar contra o Bahia nesta quarta (8) foi mais um capítulo escrito pelo veterano meia na Ressacada. Cobrando falta, o capitão do Leão da Ilha balançou as redes pela 58ª vez no Estádio Aderbal Ramos da Silva.

Marquinhos se tornou o maior artilheiro da história da Ressacada, com 58 gols marcados (Crédito: Jamira Furlani / Avaí FC)

O gol de Marquinhos o transformou no maior artilheiro da história da Ressacada. O recorde anterior pertencia a Décio Antônio, e vem desde 1994. “Estou feliz com esta conquista. Eu sempre acreditei que conseguiria. Eu apontei para o meu pai, que sempre me incentivou, meus familiares. Estou contente, deixei meu nome na história do clube e do estádio“, afirmou o ídolo do Avaí.

Mas certamente o capitão do Avaí gostaria de trocar as conquistas individuais pelas coletivas neste momento. De acordo com o Infobola, do matemático Tristão Garcia, o Leão agora tem 86% de chances de ser rebaixado.

Projeto Libertadores?

A arrancada do Bahia na reta final do Brasileirão animou todos os envolvidos na rotina do clube. O tricolor, que durante muito tempo fazia as contas para se livrar do risco de rebaixamento, agora pega a calculadora para monitorar as chances de classificação para competições continentais.

Segundo o Infobola, do matemático Tristão Garcia, o Bahia tem 9% de chances de ganhar uma vaga na Libertadores do ano que vem. Autor dos dois gols da vitória tricolor, Edigar Junio está otimista para brigar por mais este objetivo. “Por que não pensar em Libertadores ou Sul-Americana? Estamos com muita força, com muita sede, e vamos buscar até o final“, prometeu o atacante, autor de sete gols nos últimos sete jogos.

Carpegiani quer o apoio da torcida para buscar a classificação para a Libertadores do ano que vem (Crédito: EC Bahia)

O técnico Paulo César Carpegiani também está otimista. Após a vitória diante da Ponte Preta, o técnico havia dito que o Bahia poderia, enfim, “tirar os binóculos do bolso e olhar para frente”, referindo-se à tabela do Brasileirão. O tricolor terá dois jogos em casa na sequência, contra Atlético-MG e Santos. Fundamentais para entrar na briga pela Libertadores. “Precisaremos da nossa torcida fanática. Nosso décimo segundo jogador. Esperamos contar com esse apoio e acho que o time merece”, afirmou o treinador, convocando a torcida para apoiar o time na Fonte Nova.

Ficha Técnica

Avaí 1 – 2 Bahia

Local: Estádio da Ressacada, Florianópolis (SC)
Data: 8 de novembro de 2017 (quarta), às 19h30
Árbitro: Péricles Bassols (PE)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Ricardo Bezerra Chianca (PE)
Cartões amarelos: Romulo e Pedro Castro (Avaí); Allione e Juninho Capixaba (Bahia)

Gols
Avaí: Marquinhos, aos 16′ do 1º tempo
Bahia: Edigar Junio, aos 32′ do 1º tempo e aos 33′ do 2º tempo

Avaí: Douglas Friedrich; Maicon (Diego Tavares), Fagner Alemão, Betão e João Paulo; Judson, Pedro Castro Marquinhos (Wellington Simião) e Luanzinho (Maurinho); Júnior Dutra e Romulo. Técnico: Claudinei Oliveira

Bahia: Jean; Eduardo, Tiago, Thiago Martins e Juninho Capixaba; Renê Júnior (Feijão), Juninho, Zé Rafael e Allione (Matheus Sales); Edigar Junio e Mendoza. Técnico: Paulo César Carpegiani

Johnny Katayama
Johnny Katayama é jornalista, locutor e apaixonado por esportes – de futebol e basquete até hipismo e xadrez. Entusiasta dos eSports e jogador amador de League of Legends. Narrador e repórter nas transmissões da TV MundoVôlei. Autor do livro: “Galo Guerreiro – os últimos campeões estaduais da história do futebol profissional de Maringá” (2012).

Artigos Relacionados