Pedro Sotero auxiliar do Grêmio

Antes de mais nada, após título do Grêmio pela Recopa Gaúcho,  o analista de desempenho Pedro Sotero, concedeu entrevista coletiva, onde comentou sobre os garotos da base.

Acima de tudo, o mesmo estava a frente do Tricolor, pelo segundo jogo, já que Tiago Nunes e Evandro Fornari se recuperavam da Covid-19. Além disso, alguns atletas titulares também estavam em isolamento.

Portanto, a comissão técnica optou por escalar uma equipe reserva na decisão. Então, dando chance para alguns jovens, como Adriel que fez sua estreia no time principal e Guilherme Guedes que ainda não tinha atuado nesta temporada, junto com atletas quem possuem mais experiência, como Paulo Miranda e Victor Ferraz.

Dessa forma, Soreto elogiou os atletas do Grêmio e falou sobre a chance que foi dada:

“Foi uma oportunidade muito boa para observas alguns atletas, iniciando a partida, como se portariam em uma final. E foi importante também o suporte e apoio dos jogadores mais experientes. Todos estão muito felizes pela conquista e por jogarem. Temos um grande grupo, e todos foram muito importantes para sairmos daqui com o título”,  disse o auxiliar.

O analista também falou sobre o plantel:

Estamos iniciando um trabalho e conhecendo o elenco. Quando damos a oportunidade de colocá-los para jogar, é também para entender as características para que consigamos fazer as avaliações internas e tomarmos as melhores decisões.”

Analise do Grêmio na partida

Nesse ínterim, o técnico do duelo, fez uma analise da partida e comentou sobre os erros que o time teve no primeiro tempo:

Realmente, no primeiro tempo tivemos algumas dificuldades, oscilamos bastante e faltou refino no último terço. No segundo, conseguimos acelerar as nossas jogadas, circular a bola de um lado para o outro, com velocidade, e conseguimos fazer o resultado e o título. Conseguimos dar uma dinâmica muito boa para a equipe”, observou.

Por fim, o jogo terminou com o trinfo Tricolor por 3 x 0, contra o Santa Cruz. Assim, deixando a taça em casa.

Foto destaque: Divulgação / Marco Favero / Agencia RBS

Avatar
Emilena Gonçalves
Prazer, Emilena Gonçalves! Estudante de jornalismo, gaúcha, gremista, Neymarzete e amante do futebol. Me apaixonei pelo futebol na copa de 2002 e por crescer em uma família que só acompanhava Copa do Mundo, precisei começar a frequentar os estádios sozinha, aos 14 anos. A vontade de fazer jornalismo começou aos 12 anos, e nada melhor do que unir duas paixões.

Deixe uma resposta