Atlético-MG: Retrospectiva de 2021

Em um ano perfeito, o Atlético-MG enfim descansa. Assim, relembre os momentos da equipe durante o ano.

Janeiro: Jorge Sampaoli deixa o Atlético-MG

O Atlético-MG entrou nas rodadas finais do Brasileirão de 2020, que só terminou em janeiro de 2021, com chances reais de título, mas acabou tropeçando diante do adversários e não conseguiu sustentar a briga. Ao final do campeonato, Sampaoli comunicou sua saída do Galo, indo para a França, treinar o Olympique de Marselha.

Fevereiro: Cuca e Hulk desembarcam em Belo Horizonte

Pensando no planejamento para a temporada 2021, o Atlético-MG, que trouxe o ídolo Cuca para treinar a equipe, não poupou esforços no mercado e trouxe Hulk. O atacante chegou com status de “craque” e superou as expectativas, sendo o grande protagonista da equipe mineira no ano.

Março: Título Mineiro

No Campeonato Mineiro, o Galo, apesar de não jogar um grande futebol, passou tranquilamente pela fase de grupos e foi campeão após dois empates sem gols diante do América-MG. O estadual marcou o primeiro título do Galo na temporada 2021.

Abril: A classificação na Libertadores

O Atlético-MG deu sorte no sorteio da fase de grupos da Libertadores e pegou um grupo tranquilo. Na 4ª rodada, viveu altas emoções contra o América de Cali. Primeiro, o jogo teve de ser realocado devido aos protestos na Colômbia. Com relação a partida, durante os 90 minutos, houve protestos do lado de fora do estádio, e muitos jogadores foram afetados por gás de pimenta, protagonizando cenas lamentáveis. Mesmo assim, a equipe brasileira venceu por 3 x 1 e se garantiu na próxima fase.

Maio: O confronto contra o Boca Junior

A sorte se transformou em azar no mata-mata da Libertadores. A equipe foi sorteada com o Boca Juniors nas oitavas de final. Após um jogo polêmico na Bombonera terminado em 0 x 0, a partida de volta foi marcada por mais polêmicas. Ao término do jogo, a delegação do Boca agrediu a delegação atleticana e depredou o Mineirão. Alguns jogadores e membros da comissão técnica do clube argentino passaram a madrugada na delegacia.

Junho: A chegada de outro craque

Na metade do ano, os mineiros lideravam com certa folga o Brasileirão e haviam eliminado o River Plate nas quartas de final da Libertadores. Ainda assim, a diretoria foi ao mercado e trouxe outro estrela: Diego Costa, fazendo a Massa ir a loucura.

Julho: A frustração Atleticana

Na semifinal da Libertadores, o Galo teve o Palmeiras como adversário. Na ida, os mineiros dominaram, mas Hulk perdeu pênalti e o jogo terminou sem gols. Com o Mineirão lotado, o Galo novamente pressionou e abriu o placar com Vargas. Entretanto, minutos depois, Dudu empatou, e com o gol fora de casa, o Verdão eliminou o Atlético-MG.

Agosto: Emoção na reta final do Brasileirão

Na reta final do Brasileirão, restaram apenas Atlético-MG e Flamengo na briga pelo título. Os dois se enfrentaram no Maracanã, pela 29ª rodada. O Mengão levou a melhor, por 1 x 0 e continuou vivo na busca pelo tricampeonato.

Setembro: Pode soltar o grito

Com a combinação de resultados, o Atlético poderia sagrar-se campeão brasileiro na 32ª rodada, mas isso parecia improvável, pois a equipe perdia por 2 x 0 para o Bahia. Contudo, em uma virada alucinante nos últimos 30 minutos, após 50 anos, o Galo voltava a ser campeão brasileiro.

Outubro: Festa da Nação Atleticana

Como resultado, as ruas de Belo Horizonte estavam cheias. Junto da torcida, os jogadores, emocionados, comemoravam o título.

Novembro: Mais emoção

Atlético-MG terminou a temporada batendo o Athletico-PR na final da Copa do Brasil com certa facilidade, e conquistou o terceiro título no ano.

Dezembro: O descanso merecido

Por fim, após uma longa temporada vitoriosa, os jogadores tiveram as férias que tanto mereciam.

 

Foto destaque: Divulgação/ Pedro Souza/ Atlético-MG

André Merice
A sensação de poder transmitir uma sentimento à cada leitor é o que me move. Ainda assim, sou somente mais louco apaixonado por futebol, que fez da escrita e do esporte a sua vida!