Goiás: Edminho Pinheiro faz duras críticas a FGF

Após a derrota do Goiás para o Náutico, o presidente do conselho deliberativo, Edminho Pinheiro, ficou revoltado com os erros da arbitragem. Nesse sentido, em entrevista ao programa Feras do Esporte, revelou que as portas do clube estão fechada para a FGF.

QUAL O SEU PENSAMENTO SOBRE O QUE ACONTECEU COM O GOIÁS?

“Pra mim hoje basta, já deu. Eu que era o único elo que existia do Goiás com a Federação Goiana de Futebol. Tem um mês que eu converso quase todos os dias com a federação. Ontem eu fiquei quase uma hora e meia conversando. Eu alertei o que ia acontecer hoje. Eu liguei para a federação, contei o que estava acontecendo, e que daqui pra frente os interesses são múltiplos. Pra mim hoje chega, nós não procuraremos Federação pra nada, porque cada vez que procura piora, então acabou , eu não quero conversa. As portas do Goiás hoje estão fechadas para a Federação Goiana de Futebol, quem paga a Federação somos nós, era pra ela estar defendendo os seus afiliados. Vergonhoso o que aconteceu hoje”, desabafou.

QUAL O SEU PENSAMENTO SOBRE AQUELE LANCE POLÊMICO?

“A princípio, recebi essa informação pelo árbitro. Então pra que VAR? Um lance daquele é caso de expulsão. Pênalti claro. Carrinho de frente é expulsão. Foi dentro da pequena área, será que o bandeira a menos de meio metro do seu olho não viu claramente que a bola pegou por ultimo no jogador do Náutico? E depois ele ainda fez falta no jogador do Goiás. Precisa de VAR? Estava na frente do bandeira, uma vergonha, que se tome providência. Você já viu se algum dia mudou algum jogo aqui nesse país? A Federação Goiana pra nós não existe, faz tempo que ela não existe, só existe pra sustentar gente que sobrevive de dinheiro dos nossos cofres”, afirmou Edminho.

QUANDO O GOIÁS ENTRA EM CAMPO?

Por fim, o Esmeraldino enfrenta o Náutico nesta terça-feira (5), às 21h30 (horário de Brasília), no Estádio dos Aflitos. Em suma, em caso de vitória dos goianos e tropeço de outras equipes, o Verdão pode reassumir a vice-liderança da competição.

Foto destaque: Reprodução/ PUC-TV

André Merice
A paixão pelo esporte me fez escolher a profissão. A experiência como atleta não foi como o esperado. Então, procurei algo em que me encaixasse. E o Jornalismo foi a primeira opção! Falar já é bom, quando o assunto é futebol, se torna melhor ainda.

Deixe um comentário