Ontem relatamos como foram os jogos dos confrontos entre os times do Sul e os times do Oeste no Lamar Hunt U.S. Open Cup (um campeonato mata-mata tipo a Copa do Brasil para nós). Vale lembrar que dos dezesseis times presentes nas Oitavas-de-Final da Lamar Hunt Cup, 13 são da MLS, 1 participa da NASL e 1 da USL. Na parte dois dessa nossa viagem às Oitavas da U.S. Open Cup, vamos falar como foram os confrontos entre os times do Centro e os times do Leste dos EUA.

CENTRAL

O primeiro confronto entre times do Centro dos Estados Unidos ocorreu entre Houston Dynamos, em sua casa BBVA Compass Stadium, no estado do Texas, e o Sporting Kansas City. Curiosamente, acontecia nesse jogo o confronto entre os times que são, respectivamente, segundo e primeiro na Conferência Oeste da MLS, respectivamente. Ambos os times entraram em campo nessa quarta-feira com times mistos, porém, o Sporting Kansas City contava com mais jogadores titulares que o time do Texas. O primeiro tempo de jogo foi marcado por agressividade dos times, sempre frequentando o campo de ataque e também por defesas bem postadas. Jogo com bastantes faltas no primeiro tempo, pouca bola rolando e seis impedimentos marcados (5 pro Houston e 1 para o Kansas).

A primeira etapa não tinha como não terminar com o placar zerado. No segundo tempo o jogo fluiu bem mais. Logo aos 8 minutos, Andrew Wenger insiste em uma jogada depois de esbarrar no zagueiro do Kansas e bate cruzado em um perigoso chute rasteiro que passa a direita do goleiro do SKC. Aos 15 minutos uma jogada fundamental: o zagueiro Ike Opara, se aventurou no ataque e marcou de cabeça depois de um escanteio bem batido e desviado para o meio da área por outro zagueiro do Kansas, Kevin Ellis. Dois minutos depois, em uma subida do Houston pro ataque, Memo Rodríguez pede pênalti após ser derrubado na área. O lance, que de acordo com o juiz que deu cartão para Memo por simulação, foi normal.

Após esse lance, o jogo continuou bastante truncado e muito faltoso. No entanto, aos 46 do segundo tempo Gerso Fernandes recebe após bela arrancada de Latif Blessing pela esquerda e bateu colocado na saída do goleiro. Para fechar o caixão. Zero para o time texano, dois para a equipe de Kansas. Vale a pena destacar: (i) é a primeira vez que a equipe do Houston Dynamos perde no BBVA Stadium no ano de 2017, algo que mostra a sua força jogando sob seus domínios e (ii) Ike Opara é abusado mesmo. Depois de ter marcado de bicicleta e ter seu gol escolhido como o goal da semana o zagueiro americano marca de novo. QUE MOMENTO!

Há pouco mais de quatro horas de Houston, em Frisco, ocorreu na noite anterior o outro jogo entre os times do Centro, onde o texano FC Dallas – atual campeão da Lamar Hunt Cup – e o Colorado Rapids – time que amarga a última posição no geral da MLS – mediram forças. Esse foi o único jogo que aconteceu na terça-feira, dia 27 de junho, e mostrou que o FC Dallas defenderá o título e fará de tudo para conquistar o bicampeonato da U.S. Open Cup. A equipe de Dallas entrou em campo apenas com um dos jogadores que começou jogando contra o Houston, no clássico texano no final de semana. O time do colorado começou com alguns titulares, porém, decidiu poupar boa parte do elenco que não vai bem na Major League.

O jogo marcou uma boa atuação do argentino Mauro Díaz pela equipe texana, jogador que recentemente retornou de lesão. Aliás, ele foi o primeiro a marcar, no finzinho de um primeiro tempo que lesionou dois jogadores do Sporting Kansas City. De pênalti, o camisa 10 do Dallas entrou na área e foi derrubado, convertendo a penalidade logo depois. No primeiro minuto do segundo tempo, porém, Michael Azira marcou pelo Colorado após chute de fora da área desviar na defesa do Dallas. No entanto, não demorou muito para o FC Dallas marcar novamente. Em boa jogada do lateral Cannon pelo lado direito, a bola é cruzada rasteira na área e sobra do outro lado para o lateral-esquerdo Ryan Hollingshead marcar, outro que esteve no departamento médico recentemente.

Para fechar o jogo com um placar mais amplo, outro argentino, Javier Morales, marcou aos 44 do segundo tempo, em bela cobrança de falta após bom chute de perna esquerda. Fim de papo: FC Dallas 3, Colorado Rapids 1 no Toyota Stadium. Vale a pena destacar: (i) o sueco Axel Sjöberg, do Colorado Rapids, eleito em 2016 defensor do ano, saiu lesionado mais uma vez, mostrando que o ano não está nada bom para os Rapids e (ii) o FC Dallas mostra força colocando basicamente um time II para jogar… Isso é bom para a sequência da temporada.

LESTE

No Leste, o primeiro jogo que destacamos ocorreu entre New England Revolution que jogando em casa – no Jordan Field, em Boston – recebeu o DC United, time da capital Washington. Ambos com times mistos, o DC United abriu o placar pelos pés de seu titular, o camisa 9 costarriquenho Guilhermo Ortiz.

Depois de uma confusão à direita da grande área, a bola é levantada à meia altura e aparece Ortiz mergulhando para fazer de cabeça aos 7 minutos do primeiro tempo. O primeiro quarto do jogo foi dominado pelo time da capital, tendo boas chances, porém sempre parando na boa defesa do time de Boston. No fim do primeiro tempo, aos 43, é marcada falta para o New England na entrada da área. Diego Fagundez, também titular absoluto do NERevs, cobra com perfeição colocando no canto direito do goleiro. Dessa forma o jogo vai para o segundo tempo empatado. Logo no começo da segunda etapa é a vez de Wright marcar o seu e colocar o Revs na frente. O jogador canadense de 22 anos marcou o seu primeiro gol no profissional e esse gol foi fundamental para que o NE vencesse a partida.

Vale a pena destacar: (i) nos dois times temos dois talentos que apontam como grandes nomes do futebol norte-americano. Do lado do Revs temos o jovem canadense Brian Wright. Vindo da Universidade de Vermont, que foi a vigésima escolha do primeiro round no SuperDraft 2017 pelo New England. Pelo lado do DC o destaque foi o jovem alemão Julian Büscher, draftado pelo time da capital no SuperDraft de 2016 como a décima-primeira escolha do primeiro round e vindo da Universidade de Syracuse. Dois bons nomes pro futuro para ficarmos de olho. (ii) New England jogou apenas com jogadores reservas e recém-promovidos e fez um EXCELENTE jogo. Fiquemos de olho no elenco do Revs.

O outro confronto aconteceu entre Philadelphia Union e New York Red Bulls. O time de Nova Iorque recebeu a equipe da Filadélfia para vingar a eliminação nas Oitavas de Final da Lamar Hunt Cup do ano de 2016 quando, há exatamente um ano, o time nova-iorquino perdeu por dois a um. Para isso, o time do Red Bulls foi para campo com o time titular quase completo, inclusive contando com o artilheiro da temporada regular 2016, o inglês Bradley Wright-Philips, ex-Manchester City e Southamptom. Do outro lado o Union vinha apenas com dois dos titulares que começaram o jogo contra o DC United pela MLS no final de semana. Curiosamente, os jogadores titulares em seus times chamaram o jogo para si e foram fundamentais para as definições do jogo.

No primeiro tempo, depois de trapalhada na lateral direita do Union, a bola é roubada pelo time do Red Bulls e vai parar com Wright-Philips que tocou para Sacha Kljestan livre chutar para o gol sem chances de defesa para o goleiro. No segundo tempo foi a vez do Philadelphia marcar com Alberg, depois de boa assistência de Jack Elliott. E assim o jogo terminou indo para mais meia hora de bola rolando. Na prorrogação o placar não se alterou e tudo foi resolvido nas penalidades.

Os dois primeiros batedores de cada equipe converteram suas penalidades. Depois Royer cobrou bem sua cobrança para o Red Bulls, porém, Picault, titular da equipe do Union, bateu no mesmo canto que Ryan Meara, goleiro do NYRB, caiu. Defesa do goleiro que conseguiu garantir a vitória de seu time, vingando a eliminação do ano anterior. Por fim, 5 a 3 pro Bulls nos pênaltis. Vale a pena destacar: (i) New England Revolution e New York Red Bulls se enfrentam em Boston para disputar uma vaga nas semi-finais e (ii) Sacha Kljestan faz uma temporada destruidora. Jogando bem em todo jogo que entra ele foi responsável por marcar o gol de seu time no jogo e ainda converter a sua cobrança. Que monstro!

Hugo Sales
Hugo Sales
Hugo Araújo Sales, vive em Brasil Novo – PA, onde é professor de Língua Portuguesa e Língua Inglesa. Graduado em Letras – Língua Portuguesa e pós-graduando em Linguagem e Ensino. Já blogou sobre música, esportes, cotidiano. Escritor de crônicas, contos e um péssimo poeta. Hugo Sales também disserta sobre esportes, em geral, mas, centra especificidade no futebol e, mais recentemente, no basquete. Acompanhamos de perto o Brasileirão, Copa do Brasil e o NBB, bem como, a Major League Soccer, Lamar Hunt Cup e a NBA.

Artigos Relacionados