As contradições da Premier League

Até mesmo o que é inusitado ganha teor de requinte no Campeonato Inglês. Já constatei nas mesas redondas da faculdade e na beira dos gramados da várzea que a competição britânica é a preferida da galera. Dizem os filósofos de bairro que não há campeonato europeu mais equilibrado e bem jogado do que Este. Há até mesmo aqueles que exaltam a arbitragem, pois não apitam qualquer falta. E veja você que o brasileiro opina sobre futebol com propriedade. Impossível traçar o mais fino risco de comparação entre o Brasileirão e a Premier, mas a bola que rola na terra da rainha tem atenção garantida nas bandas de cá. A última rodada demonstrou bem o que motiva esse carinho pela série A da Inglaterra.

O foco estava no clássico embate entre Manchester United e Chelsea. Os diabos vermelhos receberam o leão azul da capital. O Old Trafford estava tomado por 75 mil torcedores. Mas os grandes protagonistas da partida foram os arqueiros, cujos desempenhos garantiram o mais magro dos empates. Não ouve grito de gol entre Reds e Blues. Um 0 a 0 desanimador para ambas as equipes, que tem demonstrado futebol aquém das expectativas e lutam por dias melhores. E quando os grandes não mostram o seu poderio os “menores” exibem o seu valor.

Quase impensável, imaginar a batalha épica que seria travada por dois times pontualmente empatados no meio da tabela. Contraditório esperar que “equipes medianas” iriam de fato roubar a cena. Everton e Stoke City jogaram uma partida memorável. Gastaram a rede com sete gols. Os donos da casa viram o Stoke abrir o marcador e terminar a primeira etapa com o placar de 2 a 1. Destaque para o gol a lá Romário anotado por Shaqiri, uma pintura. O segundo tempo testemunhou o que já havia sido demonstrado no primeiro: duas equipes qualificadas e com ataques agudos. O Everton conseguiu a virada e tocou a bola diante de sua torcida com novo placar: 3 a 2. Mas tudo pode mudar antes do apito final, e quando este enfim soou o panorama do jogo já era outro. A equipe visitante virou de novo, com penalidade levemente polêmica. Aquele 4 a 3 para um time aguerrido fora de casa, que na rodada anterior já havia passado o carro no atual líder da competição.

As deliciosas contradições da Premier League, onde se joga futebol vistoso independente do lugar na tabela.

BetWarrior


Poliesportiva


Douglas Molgado
Douglas Molgado
Douglas Molgado Affonso. 1989. FIAM-FAAM. Twitter: @douglasmolgado)

    Artigos Relacionados

    Comments are closed.

    Topo