Quando o papo é sobre camisa de futebol, o assunto é levado a sério. Os apaixonados pelo esporte e colecionadores, sabem bem a importância e o peso da camisa da Seleção Brasileira. Pensando nisso, em conversa com amigos, pesquisas e acaloradas discussões, consegui reunir as 10 camisas mais importantes da nossa seleção. Vale lembrar que, nem todos podem concordar, mas o que importa de verdade é a história.

10 – Azul e branca, jogo inaugural – 1914

Com esse manto, a Seleção Brasileira disputou seu primeiro jogo contra o Exeter City, clube da terceira divisão inglesa. A partida aconteceu no estádio das Laranjeiras, a seleção era composta pelos melhores jogadores de São Paulo e Rio de Janeiro, venceu o time inglês por 2 a 0 diante de um público de 3.000 pagantes.

9 – Azul e branca, primeira Copa do Mundo – 1930

Este foi o uniforme usado no primeiro mundial. A competição foi realizada no Uruguai.

 8 – Azul e branca, primeira Copa do Mundo no Brasil – 1950

Este manto é lindo, mas faz parte de um dos episódios mais triste da história da seleção. Perdemos a Copa em casa, mas vale a lembrança. A única diferença para anterior é no formato do escudo e no fechamento do peito, que não possui corda.

7 – Verde e amarela, Copa da Suíça – 1954

A primeira camisa “canarinho” da seleção, foi ideia do jornalista e desenhista Aldyr Schlee. O projeto foi fruto de um concurso promovido pelo jornal carioca “Correio da Manhã”. Este modelo marcou o início de um legado para o futebol mundial.

6 – Conquista da primeira Copa do Mundo – 1958

Com esse manto a seleção Brasileira trouxe para casa o primeiro título mundial. A camisa amarela foi utilizada durante toda campanha da seleção, mas na final o time entrou em campo vestindo azul. A verdade é que aconteceu um improviso. Na ocasião, a Suécia também vestia amarelo, então chefe da delegação, Paulo Machado de Carvalho comprou as camisas azuis e motivou os jogadores dizendo ser a cor do manto de Nossa Senhora Aparecida. Vale lembrar que com o mesmo modelo, a seleção conquistou o bicampeonato, nesta ocasião a taça foi erguida pelo zagueiro Mauro, vestindo a “amarelinha”.

5 –  Verde e amarela, duas estrelas no peito – 1968

Neste modelo, que foi utilizado em excursão pela Europa, para simbolizar o bicampeonato mundial, o escudo da CBD (Confederação Brasileira de Desportos), ganhou duas estrelas.

4 – Verde e amarela, eliminatórias e Copa do Mundo – 1970

Sem as estrelas, a seleção utilizou este uniforme nas eliminatórias e no mundial que consagrou o tricampeonato. O modelo simples é um dos mais lembrados pelos torcedores e até hoje é possível encontrar réplicas sendo vendidas em lojas esportivas.

3 – Copa do Mundo – 1994

A camisa do Tetra! O manto chamou atenção por estampar grandes marcas d’água com a sigla da CBF. O modelo reserva também seguia os mesmos padrões do titular.

2 – 1998 – Copa da França

Nesta copa, o uniforme produzido pela Nike foi simples e elegante com uma lista grossa na manga, acompanhada de duas mais finas. O título não veio, mas a camisa é uma das mais bonitas.

1 – 2002 – Copa do Mundo na Ásia

Na última vez em que ergueu a taça de melhor do mundo, nossa seleção vestiu esse lindo modelo. Além de chamar atenção por conter várias listras verdes, a camisa do penta ficou marcada pela tecnologia. Um forro foi implementado por dentro da blusa, o acessório servia para inibir a transpiração do atleta.

E aí, gostou? Em alguns dos mantos apresentados nesta matéria, nossa Seleção não obteve o sucesso esperado. Mesmo assim, vale lembrar que ainda somos o único futebol pentacampeão.

Avatar
Wagner Trece
•Carioca, 27 anos. Futuro jornalista que estuda na Universidade Veiga de Almeida. •Colunista na equipe Futebol na Veia desde 2016. •Apaixonado por futebol, principalmente quando assistido na mesa de bar, regado a muita zoação e rivalidade.

Artigos Relacionados