A Coluna Marcas da Copa vem nesta terça-feira (24) relembrar mais um grande jogo. O confronto entre Holanda e Argentina já possui uma grande história em Copas do Mundo. As mais marcantes são a final de 1978, com título argentino, e as quartas de final de 1998, onde o Carrossel Holandês saiu vencedor. Em números, o lado laranja tem mais vitórias. São dois triunfos, um empate e uma derrota. Porém, o Albiceleste venceu a mais importante. Isso pesa.

Seja como for, isso enriqueceu a história da semifinal da Copa do Mundo de 2014. Assim, a partida que já era grandiosa por si, tornou-se ainda maior. Mas, vou contar melhor para vocês, a narrativa mais improvável desse confronto, nesta coluna do Marcas da Copa.

Igualmente, Holanda e Argentina chegaram com diversos craques em suas delegações para a semifinal. Pelo lado europeu, jogadores como: Sneijder, Van Persie, Robben e Kuyt. Por outro lado, Higuaín, Aguero, Maxi Rodríguez e Lionel Messi eram a constelação azul e branca.

Mas, ninguém falava do goleiro Sérgio Romero. Afinal, o arqueiro tornou-se titular na seleção em 2009, porém, nunca foi unanimidade pela torcida, imprensa e nem ninguém. Sergio vinha de uma temporada de poucos jogos pelo Monaco. Estaria pronto para atuar em uma Copa do Mundo como titular? Argentina poderia vencer com um goleiro praticamente sem ritmo? O improvável aconteceu.

Argentina x Holanda: o dia que a improvável Muralha Albiceleste parou a Laranja Mecânica

1º TEMPO

O duelo não iniciou digno de uma semifinal de Copa do Mundo e nem do público de quase 64 mil presentes. A Holanda atuou com uma formação que buscava o contra-ataque rápido, com o trio Robben, Sneijder e Van Persie. Entretanto, a estratégia no primeiro tempo foi pouco efetiva. Dessa forma, a Laranja Mecânica conseguiu apenas uma bola cruzada na área, que Romero defendeu.

Bem como, pouco produziu o time de Sabella. Tentando dominar mais a partida, atacou em infiltrações rasteiras, porém quase nada deu certo. Assim, a melhor chance argentina foi apenas uma falta defendida por Cillessen, batida por Messi.  Com as referências de cada equipe muito bem marcadas, a primeira parte da semifinal caminhava para um jogo truncado.

Argentina x Holanda
Foto:Reprodução/Dean Mouhtaropoulos

2º TEMPO

Veio a chuva. Ainda assim, a partida ainda demorava para engrenar. Contudo, Gonzalo Higuaín recebeu belo passe de Enzo Perez e acabou escorando para o gol, balançando a rede pelo lado de fora. A melhor chance porteña. Por último, o lance crucial do duelo. Aos 90′, Robben fintou dois marcadores e, ao entrar na pequena área, finalizou. Todavia, Mascherano, com um corte providencial, salvou a Muralha Argentina, terminando os 90 minutos intacta.

Argentina x Holanda
Foto: Reprodução/ Julian Finney

Sergio Romero: o improvável aconteceu

Os últimos 30 minutos da semifinal foram de poucas chances para ambos os lados. Robben arriscava em sua tradicional jogada: cortando para o meio e finalizando. Enquanto isso, Argentina tentava de maneira desengonçada, com Palácios de cabeça. O jogo acabou com um 0 x 0 e vamos para as disputas de pênaltis.

Sergio Romero, que pouco foi ativo durante os 120 minutos, agora tinha a responsabilidade de classificar sua seleção e mostrar que era um senhor goleiro. Mas um confronto que já foi decidido por Mario Kempes, Diego Bertoni e Dennis Bergkamp seria decidido por um contestado? Romero, em toda sua carreira, tinha defendido apenas seis pênaltis. Dessa forma, como acreditar que poderia salvar a vida da Seleção Argentina? O improvável aconteceu!

Primeiro duelo: zagueiro Vlaar e Sergio Romero. O defensor holandês vinha de ótima Copa. Chutou no canto esquerdo para defesa do goleiro argentino. E na sequência, ele apontou para a sua nação e gritou “Vamos, vamos“. Dessa maneira, em minutos, o negado tornou-se a Muralha Argentina, digna de Abbondanzieri. Seguiu todos batendo e convertendo, mas para consagrar-se como gigante, Sergio pegou o penal do camisa 10, Sneijder. O chute foi no canto direito alto. O arqueiro saltou para a glória. Maxi fechou a disputa, com chute forte, classificando para final contra Alemanha.

Anteriormente, eu apostaria em Robben, Messi, Van Persie e até Higuaín como decisivos na partida. Porém, o improvável aconteceu. A Muralha Argentina chamada Sergio Romero, parou a Laranja Mecânica.

Argentina vence Holanda
Foto: Reprodução/Clive Rose

Foto Destaque: Reprodução/AFP

Vinicius Mota
Vinicius Mota
Olá, me chamo Vinícius Mota, paulista de 21 anos e curso jornalismo na UnicSul. Busco falar sobre futebol de maneira leve e lúdica. Torcedor do São Paulo, Arsenal e Real Madrid. Amante do futebol moderno e fã de opiniões impopulares. 3 x 0 não é goleada.

Artigos Relacionados