Após vencer o América-MG, Vojvoda explica situações de Kayser, Robson e Lucas Crispim

No último domingo (19), o Fortaleza, de Juan Pablo Vojvoda, venceu o América-MG por 1 x 0 com gol de Yago Pikachu, na Arena Castelão. Após o apito final, além de celebrar três pontos importantes na luta para fugir das últimas posições no Brasileirão, o professor falou especificamente de ex-atletas que recentemente deixaram o clube: Renato Keyser, Robson e Lucas Crispim. A saber, as rescisões contratuais destes jogadores aconteceu depois do ocorrido da última sexta-feira (17), onde torcedores agrediram o atacante Robson.

Entrevista de Vojvoda após o jogo

Quanto a situação do Robson no aeroporto, não acho normal o que aconteceu. Ele é um profissional, também são pessoas, em uma discussão. Robson entrega tudo dentro de campo, como todos, e é um jogador muito comprometido com o clube e com o dia a dia. Enquanto a situação de Crispim, a diretoria tomou uma decisão, mas temos que escutar também a palavra dele. Ainda não conversamos – explicou.

 

– Precisamos de todos, temos um elenco curto, mas isso há que resolver com calma, debatendo, pedindo desculpas muitas vezes, e tomar a melhor decisão sempre para o clube. Qual é a melhor decisão para o clube? Todos cometemos erros, isso é claro. Quem também comete erro tem que ter consequência de suas ações. Diretoria tem que pôr o caso sobre a mesa e discutir e se tenho que dar minha opinião, darei para a diretoria. Sobre Renato Kayzer, tenho que dizer sempre a verdade, sou o treinador muito sincero tanto com jogadores como com diretoria e com vocês. Aqui, está quem quer estar. E com isso, deixo claro, quem está nesse momento é porque querem estar. Que fique claro. Os que estão, é porque querem estar – completou.

Agora, o Fortaleza subiu para 19º colocado na tabela. Com 10 pontos ganhos, está apenas há cinco pontos do 16° que é justamente o coelho. Na quarta-feira (22), o time tem compromisso contra o Ceará pela Copa do Brasil e no sábado (25) enfrenta o Atlético-MG.

Foto Destaque: Thiago Gadelha/SVM

 

Caio Santos
Jornalista Esportivo, 23 anos, apaixonado por esportes. Na minha carreira, almejo ser comentarista de futebol e o meu maior sonho é cobrir uma Copa do Mundo.

Deixe um comentário