Apoio da torcida é o combustível para o time do Vasco

Portanto, com mais de 20 mil pessoas dentro de São Januário, o Vasco lutou e sofreu para vencer, por 1 x 0, o Bahia, líder do Campeonato. O jogo se apresentou da forma que São Januário tinha que jogar junto. A dificuldade, entretanto, virou combustível para a equipe vibrar até o fim.

No apito final do árbitro, os jogadores comemoraram junto com as arquibancadas como se fosse um título. E foi. Com atuações ruins e a limitação do elenco, vencer confrontos diretos para o acesso, são as finais que os pontos corridos oferece. Nas últimas semanas, a pressão por melhores desempenhos vem mudando para apoio incondicional. Quando a bola rola, todos são Vasco.

O treinador Zé Ricardo falou sobre o apoio da torcida, a pressão por bons resultados e entrega dos jogadores:

“Agradecer a torcida que fez uma festa linda, apoiou o tempo todo, vibrou, entendeu que a gente enfrentava uma grande equipe, jogo nervoso. Certamente, o apoio deles deu tranquilidade para sair com os três pontos. Dos jogos que tive aqui este ano, sem dúvida nenhuma foi o jogo mais emocionante. Essa interação dos meninos, principalmente os que tem sangue vascaíno, eles se identificam muito, às vezes a gente precisa controlar essa ansiedade.

De qualquer forma, foi a entrega do grupo, muito comprometido com o que a gente pede, e vem se fortalecendo sob pressão e críticas. Jogar no Vasco é uma pressão que vai acontecer comigo ou qualquer jogador. A gente quer devolver o Vasco à posição dele, mas tem 31 jogos à frente. É sempre bom vencer. Foi bom fazer três pontos em São Januário, temos um jogo importante agora em Amazonas contra o Guarani, que tem uma boa equipe. Fez a troca do treinador, mas tem jogadores interessantes. Contra a Tombense teve desfalques, que voltam contra a gente. Temos que nos preparar para enfrentar o Guarani”.

Foto destaque: Reprodução/Vasco

Robert Ferreira
Sou o Robert! Fiz jornalismo para vivenciar histórias, estar dentro dos fatos e o principal, ter acesso a verdade, sempre! O esporte sempre esteve na minha vida, e unir a escrita com o futebol seria é o ideal de vida. Escrevi para redação do jornal universitário além de atuar fortemente nas redes sociais com posicionamentos sobre cultura negra. Sujeito calmo com o objetivo de ganhar o mundo!