Primeiramente, na coluna Além dos Bleus dessa semana, veja como o antigo velódromo localizado na cidade parisiense se tornou um dos grandes palcos do futebol mundial. Contudo, segue um pouco de sua história, assim como curiosidades que envolvem a casa do maior campeão francês, o Parc Des Princes, estádio do Paris Saint-Germain.

Início (1897–1932)

Início de construção do Parc des Princes / Reprodução Wikipédia

À primeira vista, o Parque dos Príncipes, se denominava Stade Vélodrome du Parc des Princes. Situado no 16º arrondissement de Paris, a área era um parque florestal usado pela família real antes da Revolução Francesa. Isso foi o que deu o nome de Parc des Princes.

Contudo, o velódromo possuía mais de 3.000 assentos e uma pista de 728 jardas. O diretor do estádio, Henri Desgrange foi um ex-ciclista de corrida e fundador da revista de ciclismo L'Auto (antecessora da L'Equipe). O Campeonato Mundial de Ciclismo em Pista da UCI de 1900 foi realizado no Parque.

Posteriormente, no ano de 1903, um time inglês venceu com facilidade uma equipe composta pelos melhores jogadores parisienses: 11 x 0 foi o placar deste confronto, diante de 984 espectadores pagantes, no que foi a primeira partida internacional jogada no Parc des Princes. Dois anos depois, em 1905, a Seleção Francesa de Futebol disputou o seu primeiro confronto em casa, contra a Suíça, vencendo por 1 x 0 também no Le Parc.

A casa do PSG também possui uma longa história como um local para os jogos internacionais de rugby. Em 1906, a Seleção Francesa de Rugby Union jogou contra a Seleção Neozelandesa de Rugby Union. Os outros “inquilinos” do estádio incluíam também o Racing Club de France. A capacidade do estádio foi aumentada para 20.000 lugares em decorrência do começo dos Jogos Olímpicos de Verão de 1924, realizada em Paris. No entanto, o Stade Olympiques Yves-du-Manoir, que havia sido ampliado para 60.000 lugares, sediou o evento.

Segundo estádio (1932–1972)

Expansão do Parc des Princes/ Reprodução Wikipedia

Nos anos 30, o fundador do L'Auto, Henri Desgrange, e o seu parceiro de negócios, Victor Goddet, realizaram uma reconstrução completa do Parc des Princes, e a expandiu para que a arena esportiva tivesse capacidade para 45.000 visitantes, incluindo 26.000 cobertos. O novo estádio abriu no dia 19 de abril de 1932. Entretanto, a sua capacidade foi rapidamente reduzida para 38.000 lugares, buscando melhorar o conforto.

O Le Parc sediou a partida de abertura da Copa do Mundo FIFA de 1938 entre a Suíça e Alemanha, bem como a vitória da Hungria na semifinal contra a Suécia. Mas, o Stade Olympique Yves-du-Manoir continuou sendo mais importante, sediando a final da Copa do Mundo daquele mesmo ano. Na ocasião, a Itália bateu os húngaros por 4 x 2, conquistando o segundo título mundial.

Logo após a Libertação de Paris, em agosto de 1944 e o fim da Segunda Guerra Mundial, em setembro de 1945, o Campeonato de Futebol Francês voltou, com os grandes clubes parisienses, Stade français-Red Star e o Racing Paris jogando regularmente no Parque dos Príncipes. Ainda equipado com uma pista de ciclismo de 454 metros, o Tour de France não foi o único grande evento realizado neste estádio.

O Parque também sediou a final da liga mundial de rugby de 1954, com a Grã-Bretanha derrotando a própria França, anfitriã da competição. O Real Madrid ganhou do Stade de Reims na primeira final da Copa Europeia, realizada em 1956, e a final da liga das nações europeias de 1960, com a União Soviética vencendo a Iugoslávia na primeira edição do torneio.

Estádio atual (1972–) 

O Parc des Princes atualmente. Casa do PSG / Reprodução Máquina do Esporte (UOL)

Georges Pompidou inaugurou o novo estádio nacional antes da final da Copa da França de 1972, entre o Olympique de Marseille e o Bastia. No mesmo ano, o Paris Saint-Germain (PSG), que era uma fusão entre o Paris Football Club (PFC) e o Stade Saint-Germain passou por um amargo divórcio. Enquanto o Paris FC permaneceu na Ligue 1, o PSG manteve seu nome, mas foi rebaixado administrativamente para a terceira divisão.

Em novembro de 2013, o Paris Saint-Germain chegou a um acordo com o Conselho da Cidade de Paris, proprietário do estádio, para prorrogar o arrendamento do mesmo por mais 30 anos, até 2043, com base em um aluguel fixo mais uma parcela variável de sua renda.

Posteriormente, sob a orientação do arquiteto americano Tom Sheehan, o PSG concluiu uma atualização de três anos no valor de €75 milhões ao Parc Des Princes (nas temporadas de 2012, 2013-14, e 2015-16) visando a Eurocopa de 2016. Por fim, o Paris Saint-Germain está buscando aumentar a capacidade de sua casa para 60.000 lugares. Desde o início de sua participação no clube da capital, a Qatar Sports Investiments (QSI) deixou claro que um estádio maior é um dos meios para estabelecer o PSG como um dos principais clubes europeus.

Assista o vídeo acima para ter um pouco dessa sensação que é estar no Parc Des Princes.

Foto destaque: Divulgação/Máquina do Esporte, UOL.

Eduardo Downey
Eduardo Downey
Olá, eu me chamo Eduardo Downey. Tenho 20 anos, e sou torcedor há pelo menos 15. Natural de Recife-PE e um apaixonado pelos esportes. Curso jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco. Vivo e respiro futebol. Instagram: @eduardojdowney.

Artigos Relacionados