A Eurocopa de 2021 traz um grupo com três seleções muito fortes, entre elas, Alemanha e Portugal. No entanto, isso não é novidade. Em 2012, Polônia e Ucrânia receberam aquela Euro e no grupo B essas duas seleções se encararam logo na estreia. Após muita emoção, Mario Gomez marcou para os germânicos. Por isso, a coluna Quebrando Muros vem te relembrar tudo que envolveu aquele duelo.

O grupo

Se neste ano, Portugal, Alemanha e França caíram na mesma chave. Há nove anos troque os franceses pelos holandeses, que também vinham de uma final de mundial dois anos antes. Além disso, pense numa seleção com um jovem em ascensão e com um time bem treinado a sua volta. Isso era a Dinamarca e agora é a Hungria, ambos patinhos feios.

Na época, só deu bom para os alemães que venceram as três. Aliás, o grupo ficou conhecido por não ter empates. Apenas vitórias. Por isso, os portugueses venceram duas e passaram em segundo. Já os dinamarqueses, que com gol de Krohn Dehli, bateram a Laranja Mecânica. Assim, Robben e cia ficaram na lanterna da chave com nenhum ponto somado.

A Mannschaft era a favorita do grupo, hoje está para azarão, invertendo o papel com o povo do Cascais. A Nederland tinha uma seleção estrelada do meio para frente e com o mesmo treinador de dois anos antes. Assim, as partidas de 9 de junho de 2012, as estreias, pareciam fundamentais para o futuro. E foram.

Os elencos

Mesmo após esse olhar macro, agora é hora de falar sobre os 11 iniciais de Alemanha e Portugal somente. Joachim Low comandava uma seleção que mesclava bem a juventude de promessas e a com alguma rodagem para esses momentos importantes, sem contar uma “velha guarda” nacional. Reus e Kroos, que vinham despontando no futebol, se uniram a Muller e Neuer, que já conheciam Lahm e Podolski entre os convocados.

Muller, Low, Podolski e Mertesacker apresentam o uniforme da Alemanha em 2012
Muller, Low, Podolski e Mertesacker apresentam o uniforme da Alemanha em 2012 (Reprodução/Reuters)

Por outro lado, Paulo Bento tinha uma superestrela e titulares já conhecidos no mundo da bola, mas o banco deixava a desejar para o tamanho de tais jogadores. Sem contar algumas promessas que não deram muito certo. Nelson Oliveira e Coentrão eram grandes esperanças portuguesas, que já contavam com a enorme dupla de zaga Bruno Alves e Pepe. Mas Cristiano Ronaldo ditava todo e quaisquer ritmo dos nacionais.

1º Tempo

A Arena Lviv cheia percebeu que a Alemanha se sentia em casa, e pela direita aconteciam os ataques. No primeiro minuto, Boateng cruzou para Gomez cabecear nas mãos de Patricio. Tempos depois foi a vez de Podolski chutar rasteiro, mas sem força. Após uma entrada forte de Postiga em Neuer, o jogo ficou mais quente. Porém, com poucas chances. O que fez a torcida vaiar em alguns momentos, até quando Cristiano Ronaldo pegava na bola.

Hummels e Badstuber viraram protagonistas em interceptar bolas para a dupla de ataque. Enquanto isso, Khedira e Podolski isolaram chances na entrada da grande área. Mas a melhor jogada veio no último minuto. Em cobrança de escanteio, a bola caiu no pé de Pepe, que dominou, e chutou no travessão. A bola quicou na linha antes de ir para fora.

2º Tempo

Sem mudanças de nomes, mas de comportamento, ambos times voltaram mais ligados para a partida. Os goleiros trabalhavam mais, porém, sem tantos esforços. Neuer defendeu arremate de Postiga sem dificuldades. Já Rui Patrício encaixou chute de Schweinsteiger. Até que aos 27′ o time de Low teve calma para trocar passes e Khedira cruzar na cabeça de Mario Gomez, que colocou na bochecha da rede, sem chances ao goleiro.

O camisa 23 poderia ter feito outro logo em seguida, mas não conseguiu desviar pro gol o cruzamento de Muller. Assim, os dois lados fizeram suas trocas. Paulo Bento colocou atacantes, já a Mannschaft descansou quem correu mais. A pressão lusitana nos minutos finais foi gigantesca. Varela e CR7 pararam em Neuer, enquanto Nani acertou a trave após tentar cruzar. Mesmo assim, o dia era alemão que saiu com os três pontos.

Pós jogo

Ambas equipes passaram de fase, mas caíram nas semifinais. A Alemanha goleou a Grécia por 4 x 2, mas parou na Itália com show de Mário Balotelli. Já os lusitanos viram Cristiano Ronaldo bater a República Tcheca, e depois levaram a Espanha para os pênaltis em um jogo muito sofrido. Mesmo assim, não conseguiu vencer o duelo ibérico nos pênaltis.

O rei da partida, Mário Gomez, se aposentou em 2020 após subir com o Stuttgart para a primeira divisão da Bundesliga. Além disso, a base dessa seleção conquistou a Copa do Mundo em 2014. Para essa Euro de 2021, apenas Kroos, Hummels, Muller (esse incerto ainda) e Neuer restaram dos 23 nomes convocados.

Dessa forma, é esperar até o dia 19 de junho, às 13h (horário de Brasília) para ver se Alemanha x Portugal farão um jogo parecido com esse. Até o momento, o duelo tende a acontecer na Allianz Arena, casa do Bayern, e com presença de torcida. Os germânicos não têm mais o melhor elenco, e tem um fim de ciclo com Low. Enquanto os portugueses apresentam a melhor geração de sua história. Tudo para ser um jogaço.

Foto Destaque: Reprodução/DW/Reuters

Avatar
Guilherme Ribeiro
Sou Guilherme Ribeiro, 20, paulista da região do ABC. Ler e escrever é um hobby, para o esporte que é a minha paixão.

Deixe uma resposta