Ajax e a magia do Futebol Total

A coluna Táticas dos Campeões desta semana, apresenta o Ajax, de Johan Cruyff. Por meio do Futebol Total, aplicado pelo treinador Rinus Michels, a equipe encantou milhares de torcedores pelo mundo e proporcionou a era mais vitoriosa do time de Amsterdam.

Durante a década de 70, o Ajax empilhou troféus e se tornou uma das grandes forças da Europa. Com o estilo de jogo inovador, a equipe foi Tricampeã da Champions League (70-71, 71-72 e 72-73), Campeão Mundial Interclubes (72), Campeão da Supercopa da UEFA (73), Tricampeão Holandês (69-70, 70-71 e71-72) e Tricampeão da Copa da Holanda (69-70, 70-71, e 71- 72).

Os dois maiores personagens desse feito foram o meia Johan Cruyff e o técnico Rinus Michels. Todavia, o time tinha outras peças interessantes como Haan, Krol, Heeskens, Keizer, dentre outros.

Time base: Stuy; Suurbier, Hulshoff, Blankenburg (Vasovic), Krol; Neeskens, Mühren, Haan (Van Dijk); Rep (Swart), Cruyff e Keizer. Técnico: Rinus Michels

FUTEBOL TOTAL

O Ajax jogava de uma maneira envolvente e eficaz. O método do Futebol Total aplicado por Rinus Michels consistia na liberdade dentro de campo. Nenhum jogador tinha posição fixa. Dessa forma, os atletas tinham liberdade para “flutuar” e manter a posse de bola,  já que o objetivo sempre era o gol e as vitórias.

Outro ponto desse estilo de jogo era a marcação por pressão. Assim, todos os jogadores “sufocavam” os adversários e conseguiam recuperar a bola. O esquema utilizado por Michels era o 4-3-3. Entretanto, o mesmo se tornava um 3-4-3, quando o time tinha a posse bola.

Assim, um líbero ficava juntos dos outros meio campistas, tendo um papel essencial nos dois lados onde a bola estivesse, pois ele era o jogador que saía, fazendo a famosa linha de impedimento. Dessa  forma, a linha defensiva precisava atuar bem avançada para obter a eficácia do método.

Além disso, o controle do espaço era fundamental para a aplicação do Futebol Total. Era necessário diminuir os espaços quando não se tinha a bola e aumentá-lo quando estivesse com a posse.

Ajax e a magia do Futebol Total
Foto: Reprodução / Football Gretatest

FUNCIONAMENTO DO AJAX

No Ajax, Haan era o líbero da equipe. Com isso, precisava estar sempre atento ao jogo, já que a intensidade e pressão eram marcas do Futebol Total adotado. Os meias Heeskens Muhren eram bem ofensivos e se juntavam ao craque do time Cruyff. O jogador também tinha um papel muito importante já que atuava como um meia atacante bem avançado, ora fazendo a função de falso 9, e de meio campo, armando as jogadas.

Os pontas Swart e Keizer davam o toque final na frente, com muita velocidade e habilidade. Na defesa, a dupla formada por Blankenburg e Hulshoff passava liderança e combatividade. Os laterais Krol e Suurbier eram muito ofensivos e davam amplitude pelos lados. Por fim, o goleiro Stuy era seguro e firme em suas defesas.

A equipe era como um carrossel e trocava de posição a todo momento, envolvendo os adversários. Assim, se tornaram referencia para outras equipes do mundo.

O Futebol Total do Ajax, de Cruyff e Michels foi passado também para a Holanda, que disputou a Copa do Mundo de 1974. A Seleção Holandesa perdeu a final por 2 x 1, para a Alemanha Ocidental. Mas o que realmente ficou marcado na memória dos torcedores, foi o famoso Carrosel Holandês  comandado por Johan Cruyff.

Foto destaque: Divulgação / Ajax

André Lobato
Sou André Lobato, jornalista de Contagem-MG. Sempre gostei de esportes, em especial o futebol. Foi assim que me tornei jornalista. Amo contar histórias. Atualmente, sou repórter de Futebol Internacional no Portal Esporte News Mundo e setorista do Atlético, no Portal Fala Galo. Também sou criador do @futebolcuriosidade_ no Instagram.

Artigos Relacionados