A trama santista no caso Lucas Lima

Lucas Lima é um dos jogadores de maior destaque no futebol brasileiro e, com a abertura da janela de transferências, crescem os rumores de uma possível saída do camisa 20 do clube da Vila Belmiro. O jogador tem contrato com o Santos até dezembro de 2017, mas apenas 10% dos seus direitos federativos pertencem ao Peixe. Por isso, a cúpula alvinegra trama um acordo para aumentar sua parcela no passe do jogador e, consequentemente, alcançar um maior lucro com sua venda.

Sou um crítico ferrenho da diretoria santista. Após a gestão de Marcelo Teixeira, incompetência e gestões temerárias reinaram na Vila Belmiro. Até agora ninguém explicou para onde foi o dinheiro oriundo da venda de Neymar, a dupla Laor e Odílio vendeu porcentagens de atletas como forma de aliviar o rombo orçamentário ao qual o Peixe está submetido e no fim, deixaram o Santos atolado em dívidas. Entretanto, a gestão de Modesto Roma Júnior tem se mostrado eficiente. O atual presidente recorreu a contratações sem custos, estabeleceu um teto salarial e tem evitado fazer loucuras.

O que tem feito o presidente no caso Lucas Lima?

Lucas Lima sonha em jogar na Europa. Na última janela quase acertou com o Porto. Mas desta vez, admite cumprir seu contrato e jogar no Santos até o fim de 2017. O motivo? Levaria todo o dinheiro envolvido na transação sozinho. Sabendo disto, Modesto Roma Júnior entrou em ação.

Em um primeiro momento, o presidente tratava de garantir que Lucas Lima cumpriria seu contrato com o Santos até o fim. A multa rescisória é de 60 milhões de euros, mas o clube acredita que os clubes europeus pagariam apenas 30 milhões pelo armador santista. Desta forma, o Alvinegro praiano ficaria com apenas 3 milhões de euros, aproximadamente R$ 12 milhões, e a quantia, segundo a diretoria, seria insuficiente para uma contratação à altura do jogador. Apenas como exemplo, os árabes exigiram R$ 14 milhões para liberar Marquinhos Gabriel.

Desta vez, Modesto Roma parece ter mudado de ideia. Nos bastidores, o presidente trama um acordo para aumentar a participação santista no passe do jogador para então vendê-lo no meio deste ano. O grupo de investidores maltês Doyen Sports, a mesma que trouxe Leandro Damião ao Santos, detém 80% dos direitos de Lucas Lima e o mandatário do clube tenta convencer os investidores a cederem 40% do passe para o Alvinegro. Os direitos do camisa 20 passariam a ser divididos entre Santos (50%), Doyen (40%) e Khodor Soccer (10%).

“O sonho dele é jogar na Europa e há sondagens para comprá-lo já. O que precisa acontecer é um acordo entre Santos e Doyen. Para a Doyen não é ruim. Melhor 40% de 20 milhões de euros agora, por exemplo, do que nada no ano que vem”, afirmou Wagner Ribeiro, um dos representantes do jogador.

Se Laor e Odílio sequer pensaram no Santos quando arquitetaram a falcatrua na venda de Neymar, Modesto dá uma prova de gestão exemplar.

André Siqueira Cardoso

Sobre André Siqueira Cardoso

André Siqueira Cardoso já escreveu 313 posts nesse site..

Sou André Siqueira Cardoso, tenho 21 anos. Aluno de jornalismo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), atualmente trabalho em VEJA, com a cobertura do noticiário político. Apaixonado por esportes, jogador de futebol até hoje, tenho o sonho de cobrir uma Copa do Mundo.

BetWarrior


Poliesportiva


André Siqueira Cardoso
André Siqueira Cardoso
Sou André Siqueira Cardoso, tenho 21 anos. Aluno de jornalismo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), atualmente trabalho em VEJA, com a cobertura do noticiário político. Apaixonado por esportes, jogador de futebol até hoje, tenho o sonho de cobrir uma Copa do Mundo.

    Artigos Relacionados

    Topo