A Seleção da Nova Zelândia e suas 5 conquistas da Copa das Nações da Oceania

A Seleção da Nova Zelândia de futebol, regida pela New Zealand Football, que foi fundada em 1891, é filiada a OFC (Confederação de Futebol da Oceania), e possui em sua história cinco títulos do principal torneio organizado pela federação: A Copa das Nações. Em 1973, 1998, 2002, 2008 e 2016 o time que veste branco em homenagem a Seleção da Inglaterra esteve no topo do seu continente. Mais do que isso, em 1982 e 2010, os all whites estiveram na Copa do Mundo, mas caíram, em ambas as vezes, na primeira fase. Portanto, conheça mais sobre essa seleção na coluna Lado B do Futebol.

TÍTULOS DA NOVA ZELÂNDIA NA COPA DAS NAÇÕES

Em 1973, ocorreu a primeira edição da Copa das Nações organizadas pela OFC. A Nova Zelândia sediou o torneio e se sagrou campeã, posteriormente, ao vencer o Taiti na final, por 2 x 0. Entretanto, o campeonato era bem embrionário e contava com apenas cinco seleções em sua disputa, por exemplo. Eram elas: Nova Zelândia (campeã); Fiji; Taiti; Nova Caledônia e Novas Hébridas.

Mais adiante, 25 anos depois, já na quarta edição da competição, em 1998, a Nova Zelândia se sagrou bicampeã da Copa das Nações. O torneio foi sediado na Austrália e já contava com seis seleções em sua disputa. Formaram-se dois grupos de três times cada e os all whites ficaram com Taiti e Vanuatu na mesma chave. Os neozelandeses se classificaram em primeiro no grupo e despacharam Fiji na semifinal. Na grande final, vitória por 1 x 0 sobre a dona da casa Austrália.

SÉCULO XXI

Em 2002 já começam a surgir mais seleções no campeonato. Assim, 12 equipes participaram da competição, sendo que a primeira fase foi composta pelas seis equipes piores ranqueadas na FIFA. Além disso, o torneio dava vaga a Copa das Confederações, em 2003. A Nova Zelândia ficou em 1º lugar em um grupo com Taiti, Ilhas Salomão e Papua-Nova Guiné. Posteriormente, na semifinal, bateram Vanuatu, por 3 x 1. E na finalíssima venceram a Austrália, por 1 x 0.

A edição de 2008 também contou como a segunda fase das eliminatórias da Oceania para a Copa do Mundo FIFA 2010. Quatro seleções participaram do certame, alocadas em um grupo, em sistema de pontos corridos e jogos de ida e volta. Os all whites se sagraram campeões com uma rodada de antecedência, vencendo cinco dos seis jogos e marcando 15 pontos dos 18 em disputa. Consequentemente, o título garantiu a Nova Zelândia disputar uma vaga na repescagem da Copa do Mundo contra uma seleção da Ásia (Bahreim).

A Seleção da Nova Zelândia e suas 5 conquistas da Copa das Nações da Oceania
Divulgação/OFC

A última edição realizada da Copa das Nações da Oceania foi em 2016, e a Nova Zelândia alcançou o pentacampeonato. O torneio foi disputado em Papua-Nova Guiné, e serviu de classificatório para a Copa das Confederações de 2017, na Rússia. Oito equipes participaram do torneio, divididas em dois grupos com quatro seleções cada. Os all whites ficaram no grupo B com Ilhas Salomão, Fiji e Vanuatu. Os neozelandeses venceram todos os jogos e, posteriormente, despacharam a Nova Caledônia na semifinal, por 1 x 0. Na final, derrotaram os donos da casa, nos pênaltis, após empate em 0 x 0 no tempo normal.

PARTICIPAÇÕES EM COPAS DO MUNDO

A primeira participação da Nova Zelândia em mundiais foi em 1982, na Espanha. A seleção caiu no grupo do Brasil e acabou sendo eliminada na primeira fase da competição. Os all whites perderam as três partidas que disputaram, 5 x 2 para Escócia, 3 x 0 para a União Soviética e 4 x 0 para a .

A Seleção da Nova Zelândia e suas 5 conquistas da Copa das Nações da Oceania
Divulgação/Marty Melville/AFP

O país da Oceania, 28 anos depois, voltou a Copa do Mundo. Em 2010, na África do Sul, a seleção caiu no grupo de Itália, Eslováquia e Paraguai. Como resultado, os neozelandezes empataram as três partidas que fizeram na competição, 1 x 1 com a Eslováquia, 1 x 1 com a azurrae 0 x 0 com o Paraguai. Em suma, a seleção saiu invicta da disputa do mundial, a única que alcançou tal feito no torneio. Mas a invencibilidade não foi suficiente para chegar mais longe no principal campeonato de seleções do mundo.

Reprodução/Carl Fourie/EFE

Gabriel Spies
Meu nome é Gabriel Mendes Spies, nascido em 1999, em Brasília, a capital da esperança. Faço jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB). Jornalismo e futebol são minhas paixões e meu estilo de vida. Informar é uma arte e um santo remédio. Apreciador do futebol bem jogado e das histórias reais.

Artigos Relacionados