“A responsabilidade é nossa também”, ressalta Raul após eliminação do RB Bragantino na Copa do Brasil

Após a eliminação do RB Bragantino na Copa do Brasil, na última terça-feira (31), o técnico Maurício Barbieri não foi sozinho para a coletiva de imprensa. A saber, o volante Raul, embora não tenha atuado no jogo contra o Goiás, foi para a entrevista junto com o treinador.

Confira alguns trechos da entrevista

Assim, na coletiva, o volante destacou que Barbieri não deve ser responsabilizado sozinho pela má fase do time, mas os atletas também têm que assumir a responsabilidade. A saber, Raul explicou também porque foi para a entrevista mesmo sem ter entrado em campo diante do Goiás.

“É muito fácil quando se perde um jogo, a cobrança ir para o treinador. Acontece em vários lugares. Foi um pedido meu (ir para a coletiva). Acho que é bom resguardar o pessoal, proteger quem jogou, quem perdeu o pênalti, como citou. Tem que mudar a cara, tem que vir outras pessoas. Hoje veio eu, amanhã tem que vir outro. Não deixar somente o treinador. A responsabilidade é de todos.”

A gente procura fazer aquilo que o Maurício pede. A gente vê uma evolução na equipe, mesmo com as derrotas. Estamos buscando, vem tentando fazer com que a gente volte a jogar o futebol que vínhamos jogando. E eu sou homem também. Estou aqui representando meu grupo, aqui não tem nenhum moleque, aqui todo mundo sabem a responsabilidade, a responsabilidade de duas eliminações. É valido vir aqui, dar a cara também, porque a responsabilidade, neste momento, é de todos”

Raul longe dos gramados

Por fim, o volante ficou quase nove meses sem jogar porque se recuperava de uma cirurgia no joelho. Dessa forma, voltou a atuar em 11 de maio, na partida contra o Atlético-MG, que terminou empatada por 1 a 1. Porém, atuou em alguns jogos, mas teve Covid e precisou ficar afastado por alguns dias.

“Vim de um longo período sem jogar. Engatei uma sequência e acabou acontecendo que testei positivo para Covid, tive que ficar afastado por cinco dias das atividades, fazendo só atividades separadas. Respeito muito a decisão do Barbieri. Estou à disposição. Se tivesse que entrar, iria dar meu melhor, como sempre fiz. Procurei motivar meus companheiros, passar confiança para os que estavam lá dentro. Sabemos que é difícil, um jogo de decisão. Você tem que ter cabeça no lugar, tem que estar focado. Muitas vezes, você tem que dar um passe, procurar o jogo.

Acontece que respeito muito o Barbieri, as decisões dele. Estou aqui para ajudar, estou representando meus companheiros e chamando também a responsabilidade para nós. A responsabilidade é nossa também, não é somente do Barbieri. Somos nós que estamos lá dentro. A gente tem que procurar se cobrar mais, fazer mais para voltar a vencer.”

Enzo Pires
Tenho o sonho de trabalhar com o que eu mais amo, que é o FUTEBOL. Amante desse esporte desde criança, queria ser jogador, mas como não deu certo, agora eu busco trabalho com isso, só que fora de campo.