A primeira experiência com dois árbitros em campo

- Fato aconteceu primeiramente no México, mas já foi testado em terras brasileiras
Fallback Image

A coluna Papo Azteca desta semana conta a história da primeira vez que dois árbitros entraram em campo para apitar a mesma partida. Há muito tempo o mundo vem despertando a necessidade de investir em pesquisas que possam contribuir para fundamentar todo e qualquer dado histórico. Os grandes investimentos históricos científicos no futebol, até aqui, eram quase que restritos às regras, federações e jogadores. Mas, com o passar do tempo, verificou-se que existe uma pessoa que faz parte deste círculo, em campo, que passa muitas vezes despercebida no futebol: o árbitro.

Essa figura é tão importante para o futebol, que sem ele não pode ocorrer uma partida. Na realidade, para uma partida ser conduzida deve haver em campo, no mínimo, três árbitros, isto porque um atuará como árbitro principal. Além dele, os outros dois atuarão como árbitros assistentes, conhecidos popularmente como bandeirinhas.

Por muito tempo, o árbitro de futebol foi considerado uma figura secundária no futebol. Porém, com o passar dos anos, observou-se que o árbitro é a pessoa que realmente pode decidir um jogo. O árbitro se tornou tão importante para este esporte, que pode decidir tudo em um lance. Aliás, pode retirar de um campeonato uma equipe que investiu milhões na compra de jogadores.

No entanto, a busca do futebol moderno é diminuir cada vez mais esses fatos. Dessa forma, foi criado o VAR. O instrumento auxilia o árbitro em decisões que podem definir o resultado de uma partida. Sendo assim, mesmo com polêmicas que ainda são criadas, o uso do VAR vem diminuindo a incidência de lances duvidosos.

Início da Arbitragem

Nem sempre foi assim como estamos acostumados nos dias de hoje. Anteriormente, quando não se havia os estudos e capacidade tecnológica dos tempos de hoje, a alternativa era outra. Em 1868 surgiu a figura do árbitro, que atuava de maneira diferente da que conhecemos. Naquela época, o indivíduo ficava fora do campo e somente intervinha em uma jogada quando alguém de uma das equipes reclamava.

Posteriormente, em 1890, surge o árbitro por meio da regra, que regulamentava a sua função em campo. Os primeiros juízes eram senhores que utilizavam calças bem cortadas e jaquetas. Além disso, não existia o principal instrumentos deles: o apito. Sendo assim, quando uma falta era cometida, o jogo era parados aos gritos.

Um ano depois, para que os árbitros pudessem receber ajuda, foram criados os bandeirinhas. Os cartões amarelo e vermelho foram criados pelo britânico Ken Aston e só foram incorporados a competições oficiais em 1970, na Copa do México.

Dois Árbitros

A primeira experiência com dois profissionais da área em campo foi no México. Em abril de 1935, a Federação de Futebol do país resolveu pôr dois árbitros em campo numa partida. Surpreendemente, várias pessoas apoiavam a medida. Contudo, foi um fracasso. Principalmente devido ao critério dos árbitros, pois, agiam de maneira diferentes em lances semelhantes.

Em meados dos anos 2000, a Federação Paulista de Futebol decidiu implantar a medida no Brasil. O objetivo era aumentar o tempo de bola rolando e diminuir os equívocos dos juízes. O método era semelhante ao praticado no México: colocar dois árbitros os jogos, um em cada metade do campo. Para que a arbitragem continuasse acontecendo dessa forma, a Fifa fez exigência sobre os resultados. De fato, a iniciativa trouxe efeitos positivos. Além do maior tempo de bola rolando, as faltas também haviam diminuído. Com isso, outro fator que aumentou forma os gols. Após os bons resultados, certamente o Brasil tinha tudo para ser um dos pioneiros no assuntos. Mas, devido a política que envolvia a FPF, a ideia não foi pautada nos anos posteriores.

Dois árbitros na final do Campeonato Paulista entre São Paulo e Santos

Com toda certeza, o árbitro faz parte do espetáculo que é uma partida de futebol. Além disso, o clima de uma partida, construído pela imprensa, dirigentes e jogadores dificultam esse tão árduo trabalho. Logo, o árbitro será o culpado pela vitória ou derrota de sua equipe.

Foto destaque: Reprodução/Referee

Alexandre Vieira

Sobre Alexandre Vieira

Alexandre Vieira já escreveu 104 posts nesse site..

Sou Alexandre Vieira, 30 anos, estudante de Jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e apaixonado por esporte, principalmente futebol. Quando moleque, sonhava em ser jogador, porém não tive oportunidade. Daí nasceu a paixão pelo jornalismo e a esperança de assim poder ficar famoso, realizar o sonho de me aproximar de ídolos, estádios e cobrir competições históricas. Tenho um senso de humor gigante e sou legal até quando meu time perde.

BetWarrior


Poliesportiva


Alexandre Vieira
Alexandre Vieira
Sou Alexandre Vieira, 30 anos, estudante de Jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e apaixonado por esporte, principalmente futebol. Quando moleque, sonhava em ser jogador, porém não tive oportunidade. Daí nasceu a paixão pelo jornalismo e a esperança de assim poder ficar famoso, realizar o sonho de me aproximar de ídolos, estádios e cobrir competições históricas. Tenho um senso de humor gigante e sou legal até quando meu time perde.

    Artigos Relacionados

    Topo