A paixão do futebol

O que é o futebol? Esporte em que nascemos, crescemos e morremos a falar sobre. No Brasil, terra onde nasci, é o esporte mais famoso. Vinte e dois homens correndo atrás de uma bola, o que tem de interessante nisso? A paixão por trás da história centenária dos clubes. Conflitos, desentendimentos, festas, vitórias e derrotas, são as marcas do futebol em qualquer lugar que passe.

Ao longo dos anos, estádios completamente lotados, eram os palcos de grandes duelos entre lendários times, que serão lembrados para todo o sempre. Nas décadas entre 50 e 80 haviam grandes festas, elencos poderosos. O futebol estava se desenvolvendo, estávamos passando do amadorismo dos clubes para o profissionalismo. Sempre com estádios cheios, clássicos divididos pela metade em seu público, bandeirões, faixas, até fogos de artifício eram disparados para o alto, comemorando cada gol. Porém essa prática, que sempre foi cotidiana do torcedor, tem se mostrado cada vez menor. Os estádios não estão mais tão lotados, e os times já não são tão lendários.

Para entrar nesse âmbito complexo que está sempre em pauta nos grandes debates esportivos, é necessário primeiramente fazer um exercício de reflexão, pensando o porquê dessas mudanças. A tecnologia e a modernização estão cada vez mais presentes nos jogos e no cotidiano dos envolvidos com o esporte. E mesmo assim, o espetáculo principal está cada vez mais defasado. Jogadores, os astros principais correm o dobro do que antigamente, jogam muito mais vezes durante a temporada, podendo chegar a 80 partidas durante o ano. Treinadores reclamam do calendário que é inflacionado, estaduais ultrapassados, clubes com dívidas astronômicas, jogadores nas mãos dos empresários. Sem contar que todos os jogos são televisionados hoje em dia, e tem de ser mesmo, pois os clubes ganham uma fortuna para serem vistos.

O amadorismo dos dirigentes dos clubes, refletem na tabela de classificação dos clubes. Demissões em massa após 3 ou 4 meses de trabalho, a impaciência e o anseio por vitórias tornam os gerentes dos clubes apenas torcedores, que são pressionados igualmente por conselheiros e acabam cedendo, sem contar entidades corruptas.

Estes são os possíveis fatores para os estádios estarem, em sua grande maioria, vazios. Mesmo assim, quase todos no Brasil tem um time, e o produto “futebol” vende. O Brasil pode não ser mais o país do futebol, apesar de ainda sermos o mais vitorioso em copas, atualmente estamos atrás dos grandes concorrentes. O brasileiro gosta de vencer, o esporte ou o time que vence, está em evidência. O trabalho das mesas redondas, dos programas, rádios, sites de esporte é fundamental para a fomentação de novas paixões. Reviver o passado glorioso, contar para os mais novos sobre as grandes vitórias, criticar construtivamente, comentar, não deixar a história se acabar.

A paixão não se acabou, a esperança de reestruturação no futebol é evidente. O Brasil tem jeito. É papel da mídia investigar, pesquisar, auxiliar entidades esportivas, visando sempre o crescimento dos clubes, pois sem clubes não há futebol e sem futebol, não há o que falar.

Lucas Tavares

Sobre Lucas Tavares

Lucas Tavares já escreveu 16 posts nesse site..

Sou Lucas de Oliveira Tavares, tenho 24 anos. Natural de Santos, atualmente morando em Cubatão-SP.Sou formado em Relações Públicas e estou no 2º semestre de Jornalismo. Concluídos cursos de informática básica, línguas, na qual são inglês e espanhol. Amante do esporte e, principalmente, do futebol.

BetWarrior


Poliesportiva


Lucas Tavares
Lucas Tavares
Sou Lucas de Oliveira Tavares, tenho 24 anos. Natural de Santos, atualmente morando em Cubatão-SP.Sou formado em Relações Públicas e estou no 2º semestre de Jornalismo. Concluídos cursos de informática básica, línguas, na qual são inglês e espanhol. Amante do esporte e, principalmente, do futebol.

    Artigos Relacionados

    Topo