Atualmente, Espanha e Itália são fortes nomes dentro do cenário futebolístico. Assim, com grandes clubes em suas respectivas ligas, em competições europeias, juntas, somam 50 títulos – 29 conquistados por times espanhóis e 21 por times italianos -. Além disso, ao longo do tempo, ambos os países revelaram grandes craques para o esporte mais popular do mundo.

Porém, quando o assunto se trata das seleções, o confronto carrega com si uma das maiores rivalidades de toda a história. Dessa maneira, tanto a La Fúria quanto os Azzurras já vivenciaram momentos adversos em que o duelo sempre esteve presente.

O início de uma narrativa longínqua 

As crônicas dessa partida tiveram início nos Jogos Olímpicos de 1920, realizado na Bélgica. Apesar da primeira vitória ter sido espanhola, por 2 x 0, nos primeiros anos o retrospecto era favorável para os italianos. Isso porque, em quatro jogos disputados, entre as Olimpíadas de 1920 e 1928, foram duas vitórias da Itália contra apenas uma da La Fúria.

Ainda na primeira metade do século XX, as equipes fizeram seus primeiros jogos em Copa do Mundo de 1934, na Itália. Na época, quando os resultados acabavam em igualdade, a decisão era sacramentada por mais um jogo extra. E foi o que aconteceu. Após empate sem gols, Giuseppe Meazza fez o gol da vitória, avançando com a anfitriã rumo ao seu primeiro título mundial.

jogos olímpicos 1920
Jogos Olímpicos 1920. Foto: Folha vitória

O reencontro após décadas

A partida realizada em 1934 marcou o fim temporário do confronto. Nesse sentido, as seleções só voltaram a se enfrentar por competições oficiais, em 1980, depois de 46 anos. Na ocasião, os times compunham o Grupo B da Eurocopa. Na partida de estreia, sequer saíram do 0 x 0. Assim, a chama da rivalidade ia acendendo novamente, cada vez mais. Desse modo, em 1988, também pela fase de grupos da Eurocopa, os espanhóis perderam por 1 x 0, sendo eliminados de forma precoce. Portanto, a vitória dos italianos deu a classificação para a fase final daquela edição.

Contudo, já no início da nova década, a Espanha de Pep Guardiola e companhia chegava reestruturada e pronta para novas conquistas. Com isso, jogando em casa, se consagrou campeã das Olimpíadas de 1992, em Barcelona. Dessa maneira, antes de passar por Gana e Polônia, a La Fúria reencontrou sua grande rival e eliminou os italianos nas quartas de final, por 1 x 0. A partir desse triunfo, a medalha de ouro foi a primeira conquista futebolística do país, após a Eurocopa de 1964.

Porém, a revanche do time azzurra veio dois anos depois. E o golpe foi duro. Na Copa do Mundo de 1994, a reedição da partida ocorreu também nas quartas. Em campo, a então tricampeã mundial superou a recém geração medalhista dos espanhóis. A vitória por 2 x 1, em jogo emocionante, garantiu o caminho italiano rumo à semifinal contra a Bulgária.

Anos 2000

Em 2008 a rivalidade permeou os ares de Viena. Isso porque, com atuação antológica de Iker Casillas – defendendo duas penalidades -, o time do “tik tak” avançou para as semifinais da Eurocopa. Dessa maneira, começava a surgir a hegemonia espanhola no futebol mundial. Em dois anos, enquanto a La Roja conquistava dois títulos – Eurocopa de 2008 e Copa do Mundo de 2010 -, os italianos vivenciavam um declínio no seu futebol. Assim, a divergência de momentos, acerca do confronto, aumentava a rivalidade.

Desse modo, em 2012, a finalíssima da Eurocopa, pela primeira vez, seria entre Espanha e Itália. O clássico mundial foi rodeado de expectativas. De um lado, estava a primeira ranqueada da Fifa Fúria –  e do outro a surpreendente seleção italiana – que havia superado a poderosa Alemanha nas semifinais -. Entretanto, o domínio foi amplo pelo time comandado por Vicente del Bosque, derrotando sua rival por 4 x 0.

A partida voltaria a acontecer um ano depois. Pela Copa das Confederações de 2013, após empate sem gols, mais um jogo seria decidido nas penalidades. Dessa forma, depois do zagueiro Bonucci isolar sua cobrança, Navas não desperdiçou e colocou seu país na final, contra o Brasil, em pleno Maracanã.

Entretanto, após a péssima campanha de ambos os times na Copa do Mundo de 2014 – sendo eliminados na fase de grupos -, novamente a Eurocopa proporcionou um reencontro. Na ocasião, pelas oitavas de final, o jogo defensivo italiano superou a tradicional troca de passes da Espanha. Assim, após vencer por 2 x 0, a Itália avançava para as semifinais contra a campeã mundial Alemanha.

O ano do centenário

Todavia, a rivalidade entre vizinhos continentais segue sendo uma das maiores dentro do universo das quatro linhas. No entanto, o ano que poderia caracterizar o centenário de uma rivalidade histórica, foi interrompido pela pandemia do novo coronavírus.

Contudo, como contado anteriormente, o duelo Espanha e Itália independe do tempo para manter o clima de uma verdadeira batalha. Desse modo, o reencontro a fim de comemorar os 100 anos desta partida, certamente ainda deve acontecer. Assim, novamente em cenários distintos, aguardamos das seleções um duelo digno de sua crônica.

Foto destaque: Reprodução/AFP

Avatar
Luca Bíscaro Garcia
Estudante de Jornalismo na PUC-Rj, sou apaixonado por esportes e principalmente pelo futebol. A paixão pela produção de conteúdo jornalístico sempre me atraiu, e espero crescer bastante na área.

Artigos Relacionados