A década transformadora do futebol feminino asiático

- Em 10 anos, o futebol feminino asiático tem investido e crescido no cenário mundial
A seleção japonesa tem papel importante no crescimento do futebol feminino asiático (Foto: Reprodução/Reuters)

Com a chegada de 2021 e o início de uma nova década, a coluna Rainhas da Bola desta semana aborda sobre a ascensão do futebol feminino asiático. Desse modo, as equipes do continente mais populoso, tiveram conquistas a nível mundial, que são importantes para o desenvolvimento da modalidade. Para tal, a Confederação Asiática de Futebol tem feito investimentos que os resultados transformam o futebol feminino da Ásia em cada vez mais brilhante.

LEIA MAIS:

JAPÃO, UM PASSO À FRENTE

O Japão leva consigo a maior conquista do futebol feminino asiático: o título de campeão da Copa do Mundo Feminina de 2011. Sendo assim, o país é a referência para o restante, que ainda se desenvolvem. Dessa forma, a seleção feminina japonesa surpreendeu o mundo ao vencer nas penalidades uma final emocionante contra os Estados Unidos, em Frankfurt, na Alemanha.

Sendo liderado pela sua capitã Homare Sawa e pelo treinador Norio Sasaki durante o Mundial, o Japão havia terminado em segundo lugar em um grupo com Inglaterra, México e Nova Zelândia. Em seguida, derrotou a anfitriã do torneio, e até então campeã europeia, a Alemanha. Na semifinal, venceu a Suécia por 3 x 1, em um triunfo enfático. No entanto, a decisão contra as estadunidenses foi difícil, tendo terminado em 2 x 2. Por fim, a disputa foi para os pênaltis e as japonesas prevaleceram e conquistaram o título.

Nesse sentido, em 2012, a seleção feminina japonesa seguiu fazendo história quando chegou à disputa pela medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres. Além da final da Copa d0 Mundo Feminina de 2015, que não trouxe a mesma euforia de 2011, já que foram derrotadas para as estadunidenses. Entretanto, no Mundial de 2019, na França, o Japão foi eliminado pelas vice-campeãs daquele ano ainda nas oitavas de final.

ASCENSÃO DE TODA A ÁSIA

Apesar de que nenhum outro país tenha chegado ao mesmo nível ou igualado os feitos do Japão para o futebol feminino asiático, a conquista de Homare Sawa e das meninas na Alemanha não é o único sucesso mundial do continente na década. Dessa maneira, cinco seleções da Ásia conquistaram títulos mundiais femininos juvenis. Ainda antes da nova década, em 2010, a Coreia do Sul obteve o título Sub-17, onde quatro anos depois, a seleção japonesa venceu a mesma competição na Costa Rica.

Japonesas vencem Mundial Sub-17 (Reprodução/Getty Images)

Desse modo, a Coreia do Norte realizou as Copas do Mundo Feminina Sub-17 e Sub-20 da FIFA. Já o Japão, se tornou o primeiro país a ganhar títulos mundiais femininos em todas as idades ao ter conquistado a Copa do Mundo Sub-20, na França, em 2018. Portanto, a vitória da seleção japonesa em 2011 foi apenas um exemplo do potencial e talento que pode ser encontrado no continente mais populoso do mundo.

TUDO GRAÇAS AO INVESTIMENTO

A Confederação Asiática de Futebol (AFC) tem se comprometido a encorajar e apoiar mais mulheres em papel de destaque no futebol. Assim, possuem atualmente quatro mulheres no Comitê Executivo da AFC, enquanto seis Associações nomearam mulheres secretárias gerais. Essas nomeações, colocam a AFC ao lado da CONCACAF como as duas Confederações a ter mais mulheres secretárias gerais. Logo, ressalta seu compromisso de garantir maior diversidade e igualdade de gênero na liderança e na tomada de decisões.

Além disso, a Copa Asiática Feminina, a maior competição feminina do continente, chegou a um marco significativo em 2018, pensando na modalidade para além das potências tradicionais do continente. Após 18 edições no Leste ou Sul da Ásia, a Jordânia se tornou a primeira nação da Ásia Ocidental e a primeira nação árabe a sediar a competição, tendo anteriormente participado pela primeira vez da Copa do Mundo Feminina Sub-17, em 2016. Nessa edição histórica do torneio, houve a ampliação de oito para 12 equipes participantes, além do recorde de 21 países participando das Eliminatórias.

UM FUTURO BRILHANTE

O futebol feminino asiático vive um caminho para o sucesso em campo, jogadoras importantes mundialmente e o aumento da participação de todo o continente na modalidade. Além é claro, do protagonismo das mulheres em ações fora de campo, em posições de liderança. Dessa forma, os próximos dez anos deve trazer ainda mais investimentos e crescimento. Para tanto, o Campeonato AFC Feminino de Clubes pode ser uma realidade e deve se tornar um evento regular no calendário do futebol asiático em um futuro próximo.

Foto destaque: Reprodução/Reuters

Ayana Santana
Ayana Santana
Uma baiana de 19 anos, estudante de jornalismo no Centro Universitário Jorge Amado, amante do futebol e do Esporte Clube Bahia. Encontrou no jornalismo a junção de duas paixões: a escrita e o esporte.

Artigos Relacionados

Topo