5 estrangeiros que podem surpreender na Bundesliga 2020/21

- Destaque para jovens atletas, os estrangeiros do campeonato alemão podem ser uma surpresa desta edição
5 estrangeiros que podem surpreender na Bundesliga 20/21

Nesta sexta-feira (18), a Bundesliga 2020/21 se inicia. A princípio, muitas equipes optaram por pratas da casa na composição de seus elencos, mas atletas não badalados vindos de fora da Alemanha podem encantar . Pensando nisso, o FNV preparou uma lista com cinco estrangeiros que podem surpreender durante o Campeonato Alemão. Nomes como Robert Lewandowski e Jadon Sancho já são uma certeza de bons desempenhos, portanto, não estarão presentes durante a lista.

MILOT RASHICA

Natural de um país não muito tradicional no futebol, o Kosovo, Rashica certamente será um dos grandes destaques do Werder Bremen na temporada. Sua posição de origem é segundo atacante, mas atua também pelos lados, criando muitas chances pelas duas pontas do campo. Desde que chegou a equipe alemã em 2017, foram 74 jogos, 24 gols e 14 assistências. Atualmente, vem se recuperando de uma lesão no joelho, mas parece estar mais motivado do que nunca.

O destro de apenas 24 anos é considerado como o melhor atleta de seu país nos últimos anos e chamou a atenção de diversas equipes. Por hora, apenas rumores, mas segundo os grandes jornais da Inglaterra, times como o Aston Villa e o Liverpool disputam sua contratação. Com toda a certeza, suas qualidades como a velocidade, dribles e jogadas individuais chamam atenção. Uma negociação para uma equipe de maior expressão está se tornando cada vez mais uma certeza, mas, por enquanto, a camisa 7 do Werder Bremen será bem representada.

EXEQUIEL PALACIOS

Considerado por muitos como o futuro da seleção argentina, o meio campo de apenas 21 anos foi um dos destaques do River Plate na Copa Libertadores de 2019. Apesar de perder o título para o Flamengo, chamou atenção e, pela bagatela de 17 milhões de euros, tornou-se atleta do Bayer Leverkusen no início do ano. Por conta da pandemia, pouco atuou pelo clube, mas em um amistoso recente da equipe alemã contra o Anderletch da Bélgica, marcou pelo empate em 1 x 1.

Não deve iniciar o Campeonato Alemão como titular, entretanto, ganhar oportunidades ao longos dos jogos não será um problema. Suas principais qualidades são o passe, a versatilidade de atuar em todas as áreas da faixa central do campo e a criação de jogadas como um típico camisa 10. Já garantiu vaga na seleção principal, além de ser o maior nome da seleção olímpica da Argentina no momento. Seu entrosamento com o atacante Lautaro Martinez foi muito elogiado e deve se consolidar ainda mais no futuro.

AMINE HARIT

Mais um meio de campo, mais um país não tradicional do futebol. Harit nasceu na França, mas optou por defender o Marrocos em sua jornada profissional. Atleta do Schalke 04 desde 2017, possui apenas 23 anos e vem ganhando destaque ao longo dos anos. Após a saída de Weston McKennie para a Juventus, Harit é um dos estrangeiros que devem ganhar mais oportunidades no elenco. Com seu potencial, tem tudo para firmar-se de vez como titular da equipe alemã. Em três anos de clube, foram 88 jogos, 11 gols e 17 assistências.

Suas principais qualidades são dribles desconcertantes, um incrível controle de bola e flexibilidade para procurar jogadas em todas as faixas do campo. Seu potencial chamou atenção do clube italiano Atalanta, contudo, nenhuma negociação foi concretizada. Seu clube gosta de apostar em estrangeiros, por isso, tem tudo para fazer uma grande temporada.

DANI OLMO

Criado na base do Barcelona, Olmo não teve muitas oportunidades em seu país natal. Chamou atenção do mundo atuando pelo Dinamo Zagreb e, em janeiro deste ano, tornou-se atleta do RB Leipzig. Desde que chegou a equipe alemã, rapidamente ganhou espaço e tornou-se peça fundamental durante a histórica campanha do time na Champions League. Com a filosofia de apostar em estrangeiros promissores, Olmo tem tudo para não apenas jogar em alto nível, mas liderar seu clube durante a temporada.

É um meia atacante que finaliza muito bem de fora da área e pode aparecer como elemento surpresa. Pelo Leipizig, foram 16 jogos, cinco gols e uma assistência. Vale lembrar que, apesar de parecer poucos gols, um deles foi decisivo, sendo feito na vitória contra o Atlético de Madrid durante às quartas de finais da última edição da Champions League. O espanhol possui apenas 22 anos e já ganhou oportunidades em sua seleção, sendo testado para ser o herdeiro da lendária camisa 7 que um dia foi de Raúl.

DENIS ZAKARIA

Dos estrangeiros da lista, provavelmente o mais badalado. Certamente, o volante suíço de apenas 23 anos é o grande desejo de Jürgen Klopp caso o Liverpool confirme a saída de Georginio Wijnaldum para o Barcelona. Até o momento, nenhum negocio foi realizado e Zakaria se recupera de uma lesão no joelho, mas uma coisa é certa: será um dos principais nomes do Borussia Mönchengladbach na temporada.

É um volante extremamente defensivo com características físicas impressionantes. Sua incrível velocidade permite com que saia da defesa para o ataque em pouquíssimo tempo, tornando-se quase onipresente em campo. Além disso, possui uma média de 4,8 duelos no chão ganhos por jogo e 5,7 disputas de bola vencidas por jogo. Sua versatilidade para atuar também como zagueiro chamou a atenção, e o atleta garantiu uma vaga no elenco da Suiça que disputou a Copa do Mundo de 2018. Jogou em duas partidas e marcou um gol, contra a Costa Rica, durante a fase de grupos.

Foto destaque: Reprodução/Rafael da Costa/Futebol na Veia

Rafael da Costa

Sobre Rafael da Costa

Rafael da Costa já escreveu 8 posts nesse site..

Estudante de Rádio e TV, apaixonado pelo esporte desde o nascimento. Ainda criança com uma câmera analógica quebrada eu ensaiava me apresentando como se fosse na TV. O jornalismo, principalmente o esportivo, é para mim, antes de mais nada, uma forma de levar o amor por um denominador comum para todos os cantos do mundo.

BetWarrior


Poliesportiva


Rafael da Costa
Rafael da Costa
Estudante de Rádio e TV, apaixonado pelo esporte desde o nascimento. Ainda criança com uma câmera analógica quebrada eu ensaiava me apresentando como se fosse na TV. O jornalismo, principalmente o esportivo, é para mim, antes de mais nada, uma forma de levar o amor por um denominador comum para todos os cantos do mundo.

    Artigos Relacionados

    Topo