11ª rodada do Brasileirão Série A 2016

Líderes abatidos, paulistas entrando no G4, goleada em Recife, clássicos no Sudeste são alguns destaques da última rodada da elite do futebol brasileiro. Confira os jogos da última rodada:

Cruzeiro 2×1 Palmeiras: O Cruzeiro enfim vence em casa no campeonato. Mas não foi uma vitória qualquer: derrotou o líder Palmeiras de virada no Mineirão. Os donos da casa começaram a partida pressionando a saída de bola palmeirense, mas os visitantes se mostraram eficientes. Na primeira chance que tiveram já inauguraram o placar aos 10. Dudu sai nas costas da defesa cruzeirense, domina e toca para trás, Gabriel Jesus de primeira manda para o fundo das redes do goleiro Fábio. Os mineiros não se abalaram com o gol, e quatro minutos depois empataram o jogo. O lateral Bryan achou Arrascaeta na segunda trave, o meia desviou de cabeça para Willian aparecer livre e mandar no meio das pernas de Fernando Prass. Com o placar igual, o jogo voltou a ser como era no começo da partida: Cruzeiro em cima e Palmeiras apostando no contra-ataque. Na volta do intervalo, os mineiros logo trataram de fazer a alegria de seus torcedores. Com apenas dois minutos depois do recomeço da partida, Alisson se livra do lateral Fabiano, cruza e Willian cabeceia a bola com precisão na trave esquerda para virar o jogo em Belo Horizonte. Atrás do marcador, os paulistas se viram obrigados a mudar a postura em campo. Sem êxito, o placar não mudou e a Raposa obteve sua segunda vitória consecutiva. Com o resultado, o Cruzeiro pulou para a 12ª posição, chegando a 14 pontos. Mesmo perdendo, o Palmeiras segue líder do campeonato graças a derrota do Internacional, e continua com 22 pontos.

Corinthians 2×1 Santa Cruz: Cristóvão Borges vence sua primeira partida como técnico do Corinthians, diante do Santa Cruz na Arena Corinthians. Com Guilherme sacado do time, Giovanni Augusto foi o responsável pela armação do time e os atacantes corintianos garantiram a vitória. Jogando com facilidade na primeira etapa, o placar foi aberto aos 26. Uendel cruzou na área e a bola sobrou limpa para Luciano, com muita calma, dominar e tirar do goleiro Tiago Cardoso, marcando seu primeiro gol desde agosto. Dez minutos depois, Romero amplia o placar. Uendel enfia a bola para Luciano, e encontra o atacante paraguaio na área para ganhar a dividida com o zagueiro e empurrar para o fundo das redes, marcando seu 10º gol na temporada. A única chance criada pela equipe de Pernambuco no primeiro tempo foi com Grafite, que cabeceou por cima do gol de Cássio. Voltando do vestiário, o Santa logo diminuiu a diferença. Cássio cobrou o tiro de meta curto para Balbuena, e o zagueiro devolveu para o goleiro. O goleiro alvinegro falhou grosseiramente ao dominar a bola, e Artur tocou a bola para Grafite só ter o trabalho de empurrar a bola para o gol vazio. Com o gol, o jogo ficou mais equilibrado, com chances para os dois lados. Sem alteração no placar, o Corinthians somou mais três pontos e voltou para o G4, com 19 pontos. Já o Santa Cruz com a terceira derrota consecutiva conheceu a zona de rebaixamento, ocupando agora a 17ª colocação com 11 pontos.

América Mineiro 0x1 Atlético Mineiro: Quebrando uma invencibilidade de dois anos, o Atlético vence o clássico e afunda seu rival na lanterna do campeonato. O Galo não mostrou seu melhor futebol, nem tentou fazer isso, mas foi eficiente na Arena Independência. Em sua primeira chance, logo aos 3, abriu o placar no Orto. O zagueiro Sueliton do Coelho dominou mal o lançamento, Clayton roubou a bola e deixou Robinho na cara do goleiro João Ricardo, para bater colocado no canto e deixar o goleiro sem reação. O América sentiu o gol, e demorou para se recuperar. Quando conseguiu, Victor estava lá para defender o chute de Alan Mineiro. Com a vantagem no placar, o Galo voltou do vestiário apenas para manter o resultado. Com muitos erros e pouca criatividade no setor ofensivo, o Coelho não foi capaz de alterar o rumo da partida. Com a vitória, o Atlético se distanciou de vez do Z4, tornando-se 8º colocado com 16 pontos. Em situação muito diferente de seu rival, o América não demonstra poder de reação no campeonato, e segue lanterna da competição com apenas 8 pontos.

Vitória 1×1 Ponte Preta: Em jogo polêmico no Barradão, Vitória tem dois gols mal anulados e empata contra a Ponte Preta. A equipe de Campinas começou pressionando, e aos 8 abriu o placar com um contra-ataque. O atacante Willian Pottker recebeu lançamento longo, saiu à frente da defesa baiana e tocou na saída do goleiro Fernando Miguel. O empate dos donos da casa não demorou para sair. Aos 21, o lateral Diego Renan cobrou falta na área e Kieza mandou de coxa para o fundo das redes. Após o empate, a equipe baiana manteve a posse de bola, mas sem criar grandes chances de gol. Na segunda etapa, a Macaca teve grande chance de desempatar a partida. Pottker chutou na área, a bola bateu no braço do zagueiro Kanu e o árbitro não teve dúvidas ao marcar a penalidade máxima aos 6. Na cobrança, Fernando Miguel pulo no mesmo canto que Felipe Azevedo bateu, e a bola saiu para escanteio. O Vitória teve certa vantagem sobre a Ponte, tendo mais chances criadas. Aos 31, a primeira polêmica do jogo. Dagoberto avança pela direita e cruza para Kieza livre de cabeça balançar as redes. Porém, o bandeirinha assinalou incorretamente o impedimento. A segunda polêmica veio quase no fim do jogo. Aos 50, Diego Renan cruza para Kieza na área, o atacante ajeita de cabeça para Dagoberto dominar no peito e marcar. O árbitro marcou toque de mão do jogador do Vitória. Com um ponto para cada time, as equipes permaneceram na segunda metade da tabela. Vitória com 13 pontos, na 15ª posição, e a Ponte com 14 pontos, em 13º lugar.

Flamengo 1×2 Fluminense: No Fla-Flu disputado em Natal, Fluminense aproveita as falhas do rival e vence o clássico na Arena das Dunas. O primeiro tempo foi dominado pelo rubro-negro. O placar só não foi inaugurado por falta de aproveitamento nas finalizações e pela boa atuação do zagueiro Gum. O lado esquerdo da defesa tricolor estava fraco, e foi o principal lugar das ações ofensivas flamenguistas. Alan Patrick perdeu duas chances claras de gol. Uma logo aos 5, chegando livre para o chute depois do cruzamento de Marcelo Cirino. Outra aos 26, pegando de primeira o rebote de Gum e mandando para fora. Debaixo de muita chuva, as equipes fizeram um segundo tempo mais movimentado. Logo com 3 minutos, o Fluminense saiu à frente no placar. Gustavo Scarpa cobra o escanteio e o volante Willian Arão desvia contra o próprio patrimônio. O empate do Flamengo veio em vacilo da defesa tricolor. Aos 12, o zagueiro Henrique deixou Guerrero invadir a área e chutar, a bola bateu no Gum e sobrou para Alan Patrick, o meia chutou e no rebote de Cavalieri, Gum tentou dominar a bola, e o atacante Peruano mandou de cabeça para o gol vazio. Magno Alves teve boas chances na segunda etapa, mas quem garantiu a vitória do Fluminense foi Richarlison aos 30. O zagueiro rubro-negro Rafael Vaz recuou mal a bola, o jovem atacante do tricolor interceptou, driblou Alex Muralha e fez seu primeiro gol com a camisa do Fluminense. Com a vantagem no marcador, coube aos visitantes conterem o ataque flamenguista e sair nos contra-ataques no tempo restante de jogo. Com o resultado, o tricolor das Laranjeiras subiu para a 9ª posição, com 16 pontos. O Flamengo deixou o G4, caindo para a 6ª colocação com 17 pontos.

Santos 3×0 São Paulo: Em ação organizada pelos clubes, as duas equipes chegaram ao Pacaembu dividindo o mesmo ônibus para promover a paz no futebol. Jogando com sete reservas e contra Lucas Lima inspirado, o tricolor perde por 3×0 para o alvinegro praiano. Com apenas 41 segundos de bola rolando, a vitória do Peixe já se encaminhava. Gabriel cruza na segunda trave, Thiago Maia chuta e o goleiro Denis falha, dando rebote para o meia Vitor Bueno chegar livre e empurrar a bola para o gol vazio. O tricolor manteve-se organizado, e criou duas vezes com o atacante Ytalo. O Santos ampliou a vantagem ainda no primeiro tempo. Com belo passe de Lucas Lima, o lateral Victor Ferraz recebeu na ponta direita e mandou na medida para Rodrigão mandar para o fundo das redes aos 38. Na segunda etapa, o São Paulo conseguiu neutralizar as jogadas santistas, e chegou a exigir boas defesas do goleiro Vanderlei. O clássico ficou mais pegado, tendo Lugano expulso por reclamação. Calleri ia descontar para o São Paulo, mas seu carrinho em Vanderlei foi bem considerado como falta. O alvinegro praiano ainda fez mais um. Aos 44, Lucas Lima fechou o placar. O meia bateu muito bem a falta, a bola encobriu a barreira e tirou qualquer possibilidade para Denis defender. Com a vitória, o Santos subiu para o 3º lugar com 19 pontos. Já o São Paulo, caiu para a 10ª colocação, com 15 pontos.

Internacional 2×3 Botafogo: Os visitantes estragam a festa no Beira-Rio, e tiram a chance dos gaúchos de assumir a liderança do campeonato. Com apenas 15 minutos de jogo, os cariocas foram eficientes e marcaram duas vezes. O primeiro gol saiu aos 7, com Fernandes recebendo livre na área do Colorado e chutando forte. O segundo saiu aos 15. Camilo puxa o contra-ataque pela esquerda, toca para Neilton chutar cruzado, sem chances para o goleiro Jacsson. O Inter pressionou mesmo atrás no placar, mas não conseguiu criar chances, e para dificultar a vida dos colorados, o volante Fabinho é expulso após forte entrada em Neilton. Com a desvantagem, o técnico Argel Fucks teve que abrir seu time, dando chance para as duas equipes criarem no segundo tempo. Os gaúchos conseguiram descontar aos 25. O meia Marquinhos pela esquerda mandou para Sasha livre na área. O atacante dominou e bateu cruzado para diminuir a vantagem no Beira-Rio. A alegria do torcedor do Inter com a possibilidade do empate durou apenas um minuto. Camilo tabelou com Fernandes, e livre na entrada da área, acertou um belo chute no canto esquerdo. O Inter mais uma vez diminuiu a vantagem. Alex cobrou o escanteio, e o zagueiro Ernando cabeceou muito bem no ângulo, dando números finais a partida. Com os três pontos, falta apenas um ponto para o Botafogo alcançar 13 pontos e sair do Z4. O Internacional perdeu uma grande chance de assumir a ponta da tabela, e segue na vice-liderança da competição.

Atlético Paranaense 2×0 Grêmio: Atlético é superior e vence o Grêmio com facilidade na Arena da Baixada. O placar só não foi mais elástico devido a bela atuação de Marcelo Grohe, que defendeu 10 finalizações. O placar quase foi aberto aos 24. Nikão chutou, a bola desviou e sobrou para o atacante Pablo marcar para o Furacão. O juiz havia validado o gol, mas voltou atrás de sua decisão (aparentemente com o auxílio do ponto eletrônico) e assinalou bem o impedimento. Na volta do intervalo, o goleiro gremista não conseguiu segurar mais o bombardeio atleticano. Aos 8, André Lima cruza da direita e Hernani vem de trás para receber. O atacante domina e com precisão acerta o canto direito de Marcelo Grohe. Furacão ainda ampliou, aos 28. O lateral Marcelo manda para o meio, Vinicius ajeita para André Lima chutar forte e de longe, fechando o placar. Marcelo Grohe até encostou na bola, mas não conseguiu impedir as redes de balançar. Com a vitória, o Atlético subiu para a 7ª colocação, com 17 pontos. O Grêmio deixou o G4, caindo para a 5ª posição, com 18 pontos.

Figueirense 0x0 Coritiba: No único jogo da rodada sem gols, Figueira segue invicto em seus domínios e o Coxa conquista seu primeiro ponto fora de casa na competição. Com muitas finalizações e passes certos, os visitantes se saíram melhor na primeira etapa, corrigindo erros cometidos em outras partidas. Os donos da casa apostavam nas roubadas de bola e nos contra-ataques, sem conseguir impor o ritmo de jogo e finalizar muito. Os catarinenses voltaram melhor do vestiário, pressionando o Coxa nos minutos iniciais. Aos poucos, os curitibanos voltaram a ser superiores. O Coritiba perdeu a melhor chance do jogo, com Leandro acertando a trave. Nos últimos lances, o time da casa foi ao ataque, mas sem conseguir chutar ao gol. Com o fraco empate, o Coritiba continua em 19º colocado, com 10 pontos. O Figueirense caiu para a 14ª posição, com 14 pontos.

Sport 5×1 Chapecoense: Conquistando 7 dos últimos 9 pontos disputados, o Sport goleia a Chapecoense na Ilha do Retiro e deixa a zona do rebaixamento. Os donos da casa tocaram bem a bola e foram para cima, tentando romper a forte marcação catarinense. Os pernambucanos abriram o placar aos 8. Rodney Wallace, improvisado na lateral esquerda, ao tentar cruzar a bola pegou efeito, enganando o goleiro Danilo e batendo na trave para morrer no gol. A vantagem no marcador não abalou a Chape, que foi para cima em busca do empate. Ainda no primeiro tempo, Silvinho caiu na área e pediu pênalti para os catarinenses, dizendo ter sido puxado. O árbitro viu o lance como simulação e deu cartão amarelo para o jogador. No segundo tempo, o jogo ficou muito movimentado. Saíram cinco gols (quatro só para o Sport) na etapa final. Ananias empatou o jogo logo no primeiro minuto, saindo à frente da defesa rubro-negra e tocando na saída do Magrão. A alegria do torcedor da Chape foi diminuindo muito até o fim da partida. Aos 8, Rithely aproveita a cobrança de escanteio para cabecear para o fundo do gol. O Sport mal tinha virado o jogo e já ampliou a vantagem. Em contra-ataque rápido, Rodney recebe e chuta cruzado. O goleiro Danilo espalma, a bola bate em Thiego e termina nas redes aos 11. O gol mais bonito da partida ainda estava por vir. Samuel Xavier cruza na área, e o experiente Diego Souza acerta um belo voleio em Recife aos 18. O atacante Ronaldo entrou no jogo aos 31, e no minuto seguinte deixou o dele. O atacante recebeu pela direita e chutou no canto de Danilo, fechando a goleada na Ilha do Retiro. Com o elástico placar, o Sport deixou o Z4, chegando ao 16º lugar com 12 pontos. A Chapecoense vê a zona do rebaixamento se aproximando. A equipe catarinense está na 11ª posição, com 15 pontos, apenas três a mais que o primeiro dentro do Z4.

Confira a classificação geral da Série A:

 * Em ordem: Pontos; número de partidas; vitórias; empates; derrotas; saldo de gols; gols pró; gols contra; aproveitamento.

claseriea

Guilherme Papa

Sobre Guilherme Papa

Guilherme Papa já escreveu 268 posts nesse site..

Guilherme Papa é estudante, de 21 anos, da turma do 5º semestre de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo. Completamente louco por futebol, tem como objetivo transmitir informações do mundo da bola da melhor maneira possível.

BetWarrior


Poliesportiva


Guilherme Papa
Guilherme Papa
Guilherme Papa é estudante, de 21 anos, da turma do 5º semestre de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo. Completamente louco por futebol, tem como objetivo transmitir informações do mundo da bola da melhor maneira possível.

Artigos Relacionados

Topo