10ª rodada do Brasileirão Série A 2016

Tropeço em Porto Alegre, Cruzeiro goleando, neblina atrapalhando o jogo em Chapecó, Gabriel Jesus isolando o Palmeiras na liderança são alguns dos destaques da última rodada da elite do futebol brasileiro. Confira todos os jogos da última rodada:

Palmeiras 2×0 América Mineiro: Sob os olhares de dirigentes do Barcelona, Gabriel Jesus marcou duas vezes e garantiu o Palmeiras na liderança do campeonato. O modesto América teve a primeira chance do jogo aos 14, com a cabeçada do meia Osman passando perto da trave de Fernando Prass. Os donos da casa dominavam o jogo, mas sem criar oportunidades de gol. A alegria do torcedor presente na Arena Palmeiras veio aos 18. Róger Guedes recebeu na esquerda, passou para Cleiton Xavier desviar e Gabriel Jesus empurrar para a rede e quebrar um jejum de três jogos. O camisa 33 do Palmeiras ainda deixou mais um, aos 26. Róger Guedes tabelou na área com Dudu, e quase na linha de fundo mandou para Gabriel Jesus desviar para o gol. Com a tranquilidade de vencer por 2×0, o alviverde paulista apenas cadenciou a primeira etapa, indo para o intervalo com 59% de posse de bola. Voltando do vestiário, dois jogadores palmeirenses puderam estrear: o lateral direito Fabiano entrou no lugar de Jean no intervalo, e aos 32, o jovem meia Vitinho, de 18 anos, pode entrar em campo como profissional pela primeira vez. Gabriel Jesus quase fez um hat-trick aos 19. Róger Guedes cruzou na área e o atacante balançou as redes do goleiro João Ricardo, mas o bandeirinha assinalou o impedimento. O placar só terminou 2×0 pois o goleiro do Coelho fez boas defesas. Com a vitória, o Palmeiras mais uma vez terminou a rodada na liderança, com 22 pontos, mantendo o 100% de aproveitamento em casa no campeonato (5 vitórias). O Coelho somou sua sexta derrota na Série A, e tornou-se o lanterna da competição, com 8 pontos.

Ponte Preta 0x4 Cruzeiro: Com certeza o torcedor da Macaca que compareceu no Moisés Lucarelli não esperava ser goleado pelo então lanterna do campeonato. O Cruzeiro não deu chance para a equipe de Campinas. Dominou o jogo todo, mandando no meio de campo e aproveitando muito bem as falhas da defesa da Ponte. O ataque do time da casa quando criava chances era parado pelo goleiro Fábio. O meia Henrique abriu o placar para os visitantes logo aos 7. Arrascaeta cobrou o escanteio, e em um primeiro momento a zaga em um primeiro momento afastou o perigo, porém, quando a bola sobrou para o atacante Roger, ele não acertou a bola em cheio, e o meia cruzeirense Henrique chutou forte para abrir o placar. O Cruzeiro ampliou o placar aos 20, com Arrascaeta. Mayke recupera a bola e dispara pela direita, cruza rasteiro na área para o uruguaio completar. A Macaca voltou do intervalo com duas alterações. O atacante Willian Pottker e o meia Ravanelli entraram, e a Ponte lutava para conseguir ao menos o empate. Mas logo aos 8, o Cruzeiro deixou a missão dos campineiros mais difícil ainda. Riascos invadiu a área e chutou forte. A bola bateu no braço do zagueiro Fábio Ferreira, e o árbitro apontou para a marca do pênalti. Na cobrança, bola para um lado e goleiro no outro. Arrascaeta cobrou forte no canto direito do goleiro João Carlos, que do outro lado do gol, viu a diferença aumentar para 3×0. A equipe de Campinas tentava demonstrar sinal de vida, mas os contra-ataques cruzeirenses impediam qualquer reação. Aos 31, mais um pênalti para os mineiros. O lateral Reinaldo puxou Willian na área e o juiz marcou a penalidade máxima. Desta vez, Alisson foi o encarregado da cobrança, que bateu com precisão no canto direito de João Carlos, que não conseguiu alcançar a bola. Com a goleada, o Cruzeiro deixou a zona do rebaixamento, chegando a 11 pontos e ocupa agora a 16ª posição. A Ponte Preta agora vê o G4 mais longe, estando na 10ª colocação com 13 pontos.

Botafogo 0x0 Figueirense: Mais uma vez o pior ataque do campeonato (8 gols) passou em branco. Mas desta vez, não foi por falta de tentar. O Botafogo, com sete desfalques, perdeu muitas oportunidades ao longo da partida contra o Figueirense, em Juiz de Fora. O alvinegro carioca, com posse de bola de 63% e maior volume de jogo, criou boas chances com Yaca, Bruno Silva e Fernandes. A equipe catarinense, sem seu artilheiro Rafael Moura, contou com os contra-ataques de seus atacantes Ermel e Dudu para oferecer perigo ao gol de Sidão, mas sem êxito. Os cariocas voltaram do intervalo mantendo o domínio do jogo, chegando a ter 70% de posse de bola. Porém, a mira de seus jogadores não estava tão boa. Neilton, Aquino, Octávio, Fernandes, todos tentaram, mas quando a bola tomava a direção do gol, o goleiro Gatito Fernandes estava lá para fazer a defesa. No último lance da partida, aos 46, quase o Botafogo foi castigado por perder tantas oportunidades. Ayrton chutou forte a cobrança de falta, e Sidão espalmou para o meio da área. O atacante Everton Santos, com o gol aberto e o goleiro caído, mandou para fora a melhor oportunidade do jogo, mantendo o 0x0 no placar. O empate não foi bom para nenhuma das equipes. O Botafogo segue no Z4, com 9 pontos em 19º colocado. O Figueirense subiu para a 11ª posição, com 13 pontos.

Santa Cruz 0x1 Flamengo: O Flamengo foi até o Arruda garantir 3 pontos fora de casa, contra o Santa Cruz. Os pernambucanos não vencem desde a 4ª rodada, somando a quinta derrota nos últimos sete jogos. Keno assustou logo aos dois minutos, quando seu chute desviou na zaga flamenguista e o goleiro Alex Muralha mandou para escanteio. O experiente artilheiro Grafite desperdiçou grande chance aos 9, quando a bola sobrou limpa no pé do atacante e chutou no goleiro. Infelizmente para os torcedores do Santa, o ditado “quem não faz, toma” aconteceu. O volante Willian Arão recebeu com liberdade, ajeitou e de longe, chutou forte e com curva para abrir o placar em Recife, sem chance de defesa. Grafite aos 46 quase empatou a partida, subindo mais alto que Réver e cabeceando rente à trave de Muralha. Com erros para os dois lados, a segunda etapa teve pouca produtividade. Aos 29, o volante flamenguista Cuéllar saiu jogando errado e Wallyson recuperou a bola e passou para Grafite sair cara a cara com Muralha. O experiente atacante poderia, além de empatar o jogo, se redimir do gol perdido no primeiro tempo. Poderia. Grafite chutou novamente no goleiro, frustrando os torcedores do Santa, que deixaram o Arruda vendo seu time perder a partida. Com a vitória fora de casa, o Flamengo entrou no G4, com 17 pontos. O Santa Cruz vê a zona do rebaixamento cada vez mais perto, em 15º colocado e com 11 pontos, apenas dois pontos de diferença do Z4.

Fluminense 2×4 Santos: Com o pé na forma, o ataque santista marca quatro gols e garante a vitória fora de casa contra o Fluminense, em jogo de seis gols. Foram setes chances reais de gol (4 convertidas e uma na trave) para o alvinegro praiano. Os cariocas abriram o placar aos 13, com Marcos Junior. Em rebatida na área, a bola sobrou para o atacante chutou, bateu no goleiro e na trave, e completou para o fundo das redes do goleiro Vanderlei. A virada dos paulistas veio ainda na primeira etapa. Léo Cittadini colocou a bola no meio da defesa do Fluminense para o estreante atacante Rodrigão sair na cara e chutar cruzado no gol de Diego Cavalieri. Gabriel virou a partida aos 47, recebendo belo passe de Vitor Bueno e chutando no canto. O Santos continuo preciso em suas finalizações após o intervalo. Cittadini fez lançamento para Rodrigão, e tentando cortar o atacante, o zagueiro tricolor Wellington Silva passando para Gabriel ampliar a diferença aos 5 no Espirito Santo. O Fluminense ainda diminuiu aos 20, com Marcos Junior novamente. Magno Alves deu um lindo passe, a bola atravessou a zaga alvinegra e Marcos Junior completou de cavadinha. O empate tricolor quase veio dois minutos depois, com Magno Alves cabeceando no chão, obrigando Vanderlei a fazer uma boa defesa. Aos 27, o Santos fechou o placar de vez. Na cobrança de escanteio, Rodrigão quase da entrada da área mandou de cabeça, e o zagueiro Luiz Felipe completou também de cabeça. Lucas Lima ainda quase fez chutando de longe, mas a bola bateu na trave de Cavalieri. Com o resultado, o Santos terminou a rodada na beira do G4, na 5ª colocação com 16 pontos. O tricolor das Laranjeiras caiu para a 13ª posição, permanecendo com 13 pontos.

Atlético Mineiro 2×1 Corinthians: A equipe paulista, comandada pelo técnico estreante Cristóvão Borges, foi dominada pelo Atlético no Mineirão. O Galo ficou praticamente a primeira etapa inteira no campo de ataque, não dando nenhum espaço para o Corinthians, mas sem exigir muito de Cássio. Os mineiros voltaram mais objetivos para o segundo tempo, e com velocidade deram trabalho para a defesa corintiana. O gol atleticano saiu aos 21. O lateral Marcos Rocha recebeu pela direita, em impedimento, e cruzou para Fred antecipar os dois zagueiros e mandar para o fundo do gol. Sem poder de reação, o Corinthians viu o Galo ampliar a vantagem aos 37. O lançamento do Atlético foi muito forte, e a bola sobrou tranquila para o jovem zagueiro Pedro Henrique. Talvez por ter sido tranquila demais, o zagueiro errou o recuo de bola para Cássio. Cazares antecipou o goleiro e só teve o trabalho de empurrar a bola para o gol vaziou. Lucca ainda diminuiu para os visitantes, mandando o cruzamento de Romero no canto do goleiro Victor. Com a vitória, o Atlético deixou a zona do rebaixamento e atingiu 13 pontos, sendo agora o 12º colocado. O Corinthians deixou o G4, agora ocupando a 6ª posição com 16 pontos.

Chapecoense 0x0 Atlético Paranaense: Na partida que precisou ser disputada em dois dias, nenhum gol saiu na Arena Condá. Por conta da neblina, apenas o primeiro tempo foi disputado na quarta-feira (22). O segundo tempo aconteceu às 15h00 do dia seguinte. Na primeira etapa, Chapecoense e Atlético se equilibraram, e não criaram muitas chances de gol. Sofrendo forte marcação, a equipe catarinense arriscou mais com chutes de fora da área e cobranças de falta. As duas melhores chances foram do Furacão, com o volante Deivid chutando no travessão do goleiro Danilo, e com Walter cabeceando e Bruno Rangel tirando quase na linha do gol. A neblina impossibilitou que a partida continuasse no segundo tempo, e o árbitro adiou o tempo restante de jogo para o dia seguinte, às 15h00. Na tarde de quinta-feira, os paranaenses voltaram dominando, assustando Danilo com Walter, Léo e Otávio. Vendo o time inferior na partida, Guto Ferreira fez alterações, colocando os meias Hyoran e Rafael Bastos, fazendo a equipe melhorar na partida. Logo na primeira jogada dos dois aos 36, Rafael cruzou na área, Hyoran chutou e o goleiro Weverton fez a defesa. No rebote, o atacante Lucas Gomes veio de trás e chutou para fora, mantendo o 0x0 no placar. Com o empate, a Chapecoense continua com a 8ª colocação, tendo 15 pontos. O Atlético Paranaense subiu para a 9ª posição, com 14 pontos.

Grêmio 1×2 Vitória: A equipe baiana viajou para Porto Alegre e conseguiu sua primeira vitória fora de casa no campeonato, e o Grêmio, sua primeira derrota em seus domínios. Os gaúchos criaram as primeiras chances da partida, mas quem saiu na frente foi os visitantes. Aos 25, o lateral direito Diego Renan cruzou na medida para Kieza cabecear com precisão no fundo das redes de Marcelo Grohe. O Vitória aumentou a vantagem seis minutos depois. O zagueiro Bressan derrubou Dagoberto na área, e o juiz, sob muita reclamação dos gremistas, marcou o pênalti. Bressan recebeu seu segundo cartão amarelo, e com isso foi para o vestiário mais cedo. Diego Renan cobra forte a penalidade, a bola passa embaixo de Grohe e estufa a rede da Arena do Grêmio. Dagoberto e depois Kieza quase ampliaram o marcador ainda no primeiro tempo. Ao contrário do que se esperava, os gaúchos, mesmo com um jogador a menos, foram tentar buscar o empate. Roger Machado mexeu bem na equipe: reforçou a defesa com o volante Jailson e deu mais velocidade ao time com a entrada de Negueba, substituindo Douglas. O Grêmio conseguiu um gol aos 10, após o goleiro Fernando Miguel rebater o cruzamento nas costas de Victor Ramos, fazendo a bola morrer nas próprias redes. Dagoberto e Luan deram trabalho, mas a chance do jogo foi do gremista. Giuliano lançou da defesa, e o zagueiro do Vitória furou. Luan saiu livre na cara de Fernando Miguel para empatar o jogo, mas chutou para fora. Com os três pontos, o Vitória subiu para o 14º lugar, com 12 pontos. O Grêmio se manteve na 3ª posição, um pouco mais distante dos líderes, tendo 18 pontos.

São Paulo 0x0 Sport: Em noite fria e com pouca inspiração no Morumbi, São Paulo e Sport empatam jogando para pouco mais de 11 mil pessoas. Os visitantes começaram bem, marcando forte a saída de bola tricolor. Mas aos poucos, os pernambucanos foram recuando, e com isso o time da casa cresceu no jogo. Sem Calleri, suspenso, Ganso e Michel Bastos criaram as melhores chances para os paulistas na primeira etapa. O Sport contou muito com as jogadas de Diego Souza, que levou vantagem no mano a mano contra o zagueiro Maicon. Na volta do intervalo, o tricolor foi para cima buscar o resultado, mas o mau desempenho de João Schmidt e Thiago Mendes na armação prejudicou o time. Completamente acuados, os visitantes se fecharam de vez, tentando jogar no contra-ataque. Edgardo Bauza colocou três atacantes na partida – Centurión, Alan Kardec e Luiz Araújo -, mas não foi o suficiente para sair um gol na capital paulista. Com o empate, o São Paulo segue fora do G4, na 7ª posição, com 15 pontos. O Sport continua na zona do rebaixamento, em 18º, com 9 pontos.

Coritiba 1×1 Internacional: Com defesas sofrendo na bola aérea, Coritiba e Internacional empatam no Couto Pereira. Os donos da casa começaram melhor a partida, com boas tentativas e sendo parados com faltas. Depois, os gaúchos começaram a trocar passes e dominar o jogo. Kléber de cabeça quase abriu o placar para o Coxa, mas foi o Colorado que saiu na frente. Aos 33, Geferson cobra o lateral na área, o zagueiro Ernando desvia e de cabeça Anderson encobre o goleiro Wilson. Com a vantagem no placar, o Inter recuou o time no segundo tempo, e Vitinho era a única ameaça a Wilson. Os curitibanos estavam sempre no campo de ataque. Kléber só não empatou o jogo aos 23 porque Danilo Fernandes estava lá. O zagueiro Alan Costa furou, a bola sobrou para Leandro cruzar para trás e o “Gladiador” obrigar o goleiro Colorado a fazer uma bela defesa, mandando a bola para escanteio. Neste escanteio, Danilo nada pode fazer. Leandro cobrou o escanteio, e os zagueiros do Coxa resolveram: Luccas Claro desviou e Nery Bareiro cabeceou livre. Com o empate, o Coritiba continua no Z4, em 17º lugar, com 9 pontos. Na outra ponta da tabela aparece o Internacional, na vice-liderança do campeonato, com 20 pontos.

Confira a classificação geral da Série A:12

Guilherme Papa

Sobre Guilherme Papa

Guilherme Papa já escreveu 268 posts nesse site..

Guilherme Papa é estudante, de 21 anos, da turma do 5º semestre de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo. Completamente louco por futebol, tem como objetivo transmitir informações do mundo da bola da melhor maneira possível.

BetWarrior


Poliesportiva


Guilherme Papa
Guilherme Papa
Guilherme Papa é estudante, de 21 anos, da turma do 5º semestre de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo. Completamente louco por futebol, tem como objetivo transmitir informações do mundo da bola da melhor maneira possível.

Artigos Relacionados

Topo