Venezuela x Equador – Para acabar com o drama

Venezuelanos e equatorianos brigam diretamente por uma vaga no Mundial da Polônia
Venezuela x Equador - Para acabar com o drama

Venezuela e Equador jogam no estádio El Teniente, em Rancagua, no Chile. A partir das 19h50 (horário de Brasília), os times lutam para não ficarem de fora do Mundial da Polônia, ainda esse ano. Separados por três pontos, o duelo é direto para definir quem irá representar o continente na competição FIFA.

Venezuela

Com quatro pontos ganhos, a equipe Vinotinto estava no céu até pouco tempo atrás, agora vive o inferno e pode não conseguir sua classificação. O alento é que ainda depende si para avançar, pois, caso vença os rivais deste domingo por 2 x 0, carimbam o passaporte para a Europa, pelo números de gols de marcados. O empate só favorece os comandados de Rafael Dudamel, se a Colômbia perder por quatro de vantagem. O treinador falou da motivação para a decisão.

“Tentamos em todos os momentos transmitir a sanidade porque isso é partida por partida e temos que lutar até o final. Nossos meninos saberão como se recuperar e competir até o último jogo. Nós temos tudo em nossas mãos. Sabíamos que este seria o caso, nunca conseguimos uma classificação com duas ou três datas faltando para terminar um Campeonato Sul-Americano “

https://twitter.com/FVF_Oficial/status/1093992869994479617

Equador

Em segundo lugar, com sete pontos, a La Tri só precisa de um ponto para se classificar para o Mundial e jogará a vida contra a Venezuela. Mas se esse ponto não vir, mesmo ainda pode conseguir a sonhada classificação, mas apenas se a Colômbia não vencer o seu duelo. Pode acontecer de conseguir a vaga com a mesma combinação, porém não pode perder por dois gols de diferença. Ao final da partida contra o Brasil, Jorge Célico, treinador da equipe se disse feliz com o empate.

“Tivemos um jogo coletivo maior que o Brasil e mais oportunidades para marcar, mas quando você não tem efetividade ou cruza uma barra, você não pode vencer. Mas, mesmo assim, estamos felizes com o desempenho dos meninos “

https://twitter.com/Sub20Chile2019/status/1093667329249021954

Retrospecto

Nas estatísticas, os times jogaram apenas cinco vezes, todas pelo Sul-Americano. Cada uma venceu duas vezes e o empate ocorreu em uma ocasião. No último encontro, em 2017, vitória venezuelana por 4 x 2.

Sobre Ruan Silva

Ruan Silva já escreveu 540 posts nesse site..

Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.

Ruan Silva
Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.

Artigos Relacionados

Topo